Liga Acadêmica de Sistematização da Assistência de Enfermagem: um relato de experiência

Autores

  • Mariana Galvão Pereira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luiza Vieira Ferreira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Rejane Silva Rocha Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Isabel Cristina de Oliveira Gomes Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Anna Paula Gonçalves Lolli Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Denicy de Nazaré Pereira Chagas Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Denise Rocha Raimundo Leone Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Edna Aparecida Barbosa de Castro Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

Comunicação Interdisciplinar, Assistência, Enfermagem, Prática profissional

Resumo

Objetivos: Divulgar e fomentar metodologias de ensino participativas, com um maior protagonismo do discente de Enfermagem; identificar possibilidades de articulação de ensino, pesquisa e extensão integrando com o desenvolvimento da prática nos serviços de saúde. Métodos: Este artigo é um relato de experiência a respeito da formação da primeira Liga Acadêmica da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora. Resultados: Para que se concretizasse a criação da Liga, foi realizada uma busca por ligas previamente formadas no país para adquirir experiência e conhecimento. Houve a elaboração de um projeto e, posteriormente à sua apreciação, foi construída a Liga Acadêmica de Sistematização da Assistência de Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora. Conclusão: A Liga contribuiu para a formação profissional das discentes, auxiliando na aquisição de novos conhecimentos e no reconhecimento da Sistematização da Assistência de Enfermagem como atividade privativa do enfermeiro.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Galvão Pereira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Enfermeiras. Mestrandas em Enfermagem pela Universidade Federal de
Juiz de Fora - UFJF.

Luiza Vieira Ferreira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Enfermeiras. Mestrandas em Enfermagem pela Universidade Federal de
Juiz de Fora - UFJF.

Rejane Silva Rocha, Universidade Federal de Juiz de Fora

Enfermeiras. Mestrandas em Enfermagem pela Universidade Federal de
Juiz de Fora - UFJF.

Isabel Cristina de Oliveira Gomes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro


Enfermeira. Residente em Enfermagem pela Universidade do Estado do
Rio de Janeiro - UERJ.

Anna Paula Gonçalves Lolli, Universidade Federal de Juiz de Fora

Discente do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora
– UFJF

Denicy de Nazaré Pereira Chagas, Universidade Federal de Juiz de Fora

Enfermeiras. Mestrandas em Enfermagem pela Universidade Federal de
Juiz de Fora - UFJF.

Denise Rocha Raimundo Leone, Universidade Federal de Juiz de Fora


Enfermeira. Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Juiz de
Fora - UFJF.

Edna Aparecida Barbosa de Castro, Universidade Federal de Juiz de Fora

Enfermeira. Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do
Rio de Janeiro (UERJ). Professora do Departamento de Enfermagem
Aplicada da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de
Fora – UFJF.

Referências

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. – 50. Ed. rev. e atual. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

COFEN. Resolução 358/2009. Dispões sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências. Disponível em: http://novo.portalcofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html.

BRASIL. CNE/MEC. Diretrizes curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES03.pdf.

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO. Faculdade Enfermagem Universidade Federal de Juiz de Fora, 2014. Disponível em: http://www.ufjf.br/enfermagem/files/2010/06/PPC-ENFERMAGEM-GRADUA%C3%87%C3%83O-2014.pdf.

BOTELHO NM, FERREIRA IG, SOUZA LE. A. Ligas Acadêmicas de medicina: um artigo de revisão. Revista Paranaense de Medicina – V. 27(4) outubro-dezembro 2013. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0101-5907/2013/v27n4/a4082.pdf.

FERREIRA DAV, ARANHA RN, SOUZA MHF. O. Ligas Acadêmicas: uma proposta discente para ensino, pesquisa e extensão. Interagir (UERJ). 2011; 16: 47-51.

BITTENCOURT GKGD, CROSSETTI MG. O. Habilidades de pensamento crítico no processo diagnóstico em enfermagem. Rev. esc. enferm. USP [Internet]. 2013. 47(2): 341-347. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/101854/000909633.pdf?sequence=1.

GARCIA TR. SAE o processo de enfermagem: aspectos conceituais e da prática profissional. São Paulo, 2011.

TANNURE MC, PINHEIRO AM. SAE – Sistematização da assistência de enfermagem: guia prático. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 298p.

NETO JR, BEZERRA PL, NÓBREGA ML, SOARES MGO, FERNANDES MM. Sistematização da Assistência de enfermagem: termos, referencial teórico e as fases do processo de enfermagem. Rev enferm UFPE [on line]. Recife, jul. 2012. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/2948.

BONIN JE, OLIVEIRA JGS, NASCIMENTO JM, REZENDE ME, STOPATO SP, LEITE ICG. Liga Acadêmica de Medicina de Família e Comunidade: instrumento de complementação curricular. Rev. APS; jan/mar; 14(1); 50-57; 2011.

Downloads

Publicado

2020-05-23

Edição

Seção

Relato de Experiência