Análise do rastreamento pré-natal de diabetes por meio do exame de glicemia: resultados maternos e neonatais

Autores

  • Sonia Maria Oliveira de Barros Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
  • Valdete da Silva Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Palavras-chave:

Diabetes gestacional, glicemia, assistência pré-natal.

Resumo

Este estudo objetivou correlacionar a frequência da realização de exames de glicemia, os resultados materno-fetais entre puérperas e identificar os fatores de risco para o desenvolvimento do diabetes gestacional. Estudo descritivo, transversal e retrospectivo em cartões de pré-natal e prontuários. As variáveis de estudo foram: peso, idade, histórico pré-natal, obstétrico e de ascendentes. As variáveis fetais foram: peso, Apgar, intercorrências neonatais e patologias. Os dados foram tratados através de análise descritiva, estatística, e regressão logística, significância de 5%. Os fatores de risco são: sobrepeso, obesidade prévia, ganho ponderal excessivo, idade >25 e diabetes II em ascendente. A regressão logística aponta chances de desenvolver diabetes em 7,30 vezes mais naquelas com ascendentes diabéticos e 1,11 vezes mais para cada ano de idade aumentada.  Os resultados caracterizam um rastreamento que valoriza as características maternas de risco para Diabetes gestacional. As intercorrências maternas e neonatais tiveram associação com diabetes gestacional

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-03-03

Como Citar

Maria Oliveira de Barros, S., & da Silva, V. (2020). Análise do rastreamento pré-natal de diabetes por meio do exame de glicemia: resultados maternos e neonatais. Revista Renome, 7(2), 56–70. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renome/article/view/1205

Edição

Seção

Artigos de Reflexão