LICENCIATURA NO CURSO DE PSICOLOGIA: PANORAMA NO SÉCULO XXI

Autores

  • Diego Ranielly Dias Silva Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI
  • Kesley de Jesus Leal Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI
  • Leonardo Augusto Couto Finelli Faculdades Integradas do Norte de Minas – FUNORTE

DOI:

https://doi.org/10.46551/259498102020017

Palavras-chave:

Licenciatura em Psicologia. História da Psicologia. LDB. DCN. Ensino Superior.

Resumo

O processo de hominização leva ao desenvolvimento do indivíduo no mundo. Percebe-se que a aliança entre a Psicologia e a Educação promove o desenvolvimento da sociedade ao ampliar esse processo. Desde seu reconhecimento enquanto profissão, no Brasil, em 1962, a Psicologia já assumia a perspectiva da formação para modalidade da Licenciatura, porém com as mudanças nas políticas educacionais, essa foi sendo esquecida. Não obstante, a partir da LDB de 1996, há a retomada de tal modalidade educacional que passa a ganhar força no avançar do século XXI. Nesse sentido, o presente artigo retoma a evolução da legislação das diretrizes curriculares de graduação de Psicologia que tratam da Licenciatura no curso de Psicologia. A partir da discussão documental, realizou-se o levantamento das IES que Oferecem a opção de ênfase em licenciatura. Tais dados foram buscados a partir dos respectivos cadastros de oferta de curso no e-MEC, e desse da matriz de cada instituição. Como resultados verificou-se que 543 IES oferecem a graduação em psicologia, dessas, conseguiu-se analisar as matrizes de 470 instituições. Dessas, verificou-se que 425 instituições não oferecem a Licenciatura em Psicologia em sua matriz curricular. As 45 que ofertam levam a discussão sobre quais as dificuldades e empecilhos para tal implementação, assim como a consideração da perda associada para a formação dos profissionais da Psicologia, assim como para o desenvolvimento da sociedade em geral, que não tem a oferta de tais discussões na formação de alunos da educação nos mais diversos níveis e modalidades de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Augusto Couto Finelli, Faculdades Integradas do Norte de Minas – FUNORTE

Doutor em Ciências da Educação (UEP), Mestre em Psicologia (USF), Graduado em Psicologia (UFMG), Graduado em Pedagogia (FETAC), Professor adjunto das Faculdades Integradas do Norte de Minas – FUNORTE.

Referências

ASSUNÇÃO, M. M. S. Curso de Psicologia: Algumas Reflexões sobre o Bacharelado e a

Licenciatura. Educação em Revista, v. 29, p. 45-60, 1999.

BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. L. T. Psicologias: uma introdução ao estudo

de psicologia. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

BRASIL. Lei nº 4.119 de 27 de agosto de 1962. Dispõe sobre os cursos de formação em

psicologia e regulamenta a profissão de psicólogo. Brasília (DF): Diário Oficial da União p.

, 1962.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Lei nº 7.044, de 18 de Outubro de 1982. Altera

dispositivos da Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971, referentes a profissionalização do ensino

de 2º grau. Brasília: MEC, 1982.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de

Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação & Câmara de Educação

Superior. Parecer CNE/CES nº 776/1997, aprovado em 3 de dezembro de 1997 - Orientação

para as diretrizes curriculares dos Cursos de Graduação. Brasília, DF: CNE/CES, 1997a.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais:

introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental.

Brasília: MEC/SEF, 1997b.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação & Câmara de Educação

Superior. Resolução CNE/CES nº 8, de 7 de maio de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares

Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. Brasília, DF: CNE/CES, 2004.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação & Câmara de Educação

Superior. Parecer CNE/CES N.º 338, de 12 de novembro de 2009. Aprecia a Indicação

CNE/CES nº 2/2007, que propõe a alteração do art. 13 da Resolução CNE/CES nº 8, de 7 de

maio de 2004, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em

Psicologia. Brasília, DF: CNE/CES, 2009.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação & Câmara de Educação

Superior. Resolução CNE/CES nº 5, de 15 de março de 2011. Institui as Diretrizes

Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia, estabelecendo normas para o

projeto pedagógico complementar para a Formação de Professores de Psicologia. Brasília, DF:

CNE/CES, 2011.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação & Câmara de Educação

Superior. Resolução CNE/CES nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares

Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação

pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada.

Brasília, DF: CNE/CES, 2015.

BRASIL, Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação

Superior Cadastro e-MEC. 2016. Sistema e-MEC. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/.

Acesso em: 10 abr. 2016.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação & Câmara de Educação

Superior. Resolução CNE/CES nº 3, de 3 de outubro de 2018. Altera o Art. 22 da Resolução

CNE/CP nº 2, de 1º de 2015, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação

inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados

e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: CNE/CES, 2018.

COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS – CNEDH. Plano

Nacional de Educação em Direitos Humanos. Ministério dos Direitos Humanos. Brasília,

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA (CFP); CONSELHOS REGIONAIS DE

PSICOLOGIA. Ofício nº 0633-08/DIR-CFP. Brasília: CFP, 2008.

FERNANDÉZ, A. A Inteligência Aprisionada. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

FINELLI, Docência em Avaliação Psicológica: A formação em Minas Gerais – Brasil. Revista

Galego-Portuguesa de Psicoloxía e Educación, v. 21, n. 2, 49-59, 2013.

FINELLI, L. A. C.; FREITAS, S. R.; CAVALCANTI, R. L. Docência em Avaliação

Psicológica: a formação no Brasil. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y

Educación, v. Extr., n. 12, p. 12-30, 2015.

GADOTTI, M. Concepção dialética da educação. São Paulo: Cortez, 1983.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GUIMARÃES, P. A utilidade da educação de adultos: a aprendizagem ao longo da vida na

União Europeia e a política pública de educação e formação de adultos em Portugal. Laplage

em Revista, v. 2, n. 1, p. 36-50, 2016.

JACÓ-VILELA, A. M.; ESPÍRITO SANTO, A. A.; DEGANI-CARNEIRO, F.; GOES, L. O.;

VASCONCELLOS, M. A. G. N. T. Investigando em História da Psicologia: contribuições

metodológicas. Interacciones: Revista de Avances en Psicología, v. 2, n. 2, p. 123-134, 2016.

LEITE, S. A. S. Psicologia no Ensino Médio: desafios e perspectivas. Temas em Psicologia, v.

, n. 1, p. 11-21, 2007.

MACHADO, L. A.; VITÓRIA, M. I. C. O ensino de psicologia no currículo da educação

básica: análise da formação docente. Revista Educação Online, Rio de Janeiro, v. 13, n. 27, p.

-216, jan./abr. 2018.

MELLO, M. A Psicologia no Ensino Médio: uma análise sobre a prática docente. Psicol.

Ensino & Form., Brasília, v. 4, n. 2, p. 65-80, 2013.

MITRE, S. M.; SIQUEIRA-BATISTA, R.; GIRARDI-DE-MENDONÇA, J. M.; MORAISPINTO, N. M.; MEIRELLES, C. A. B.; PINTO-PORTO, C.; MOREIRA, T.; HOFFMANN, L.

M. A. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates

atuais. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl. 2, p. 2133-2144, dez. 2008.

OLIVEIRA, H. K. T.; RODRIGUES, M. M. M.; SIQUEIRA, P.; LOPES, R. M. L.; BUOSI, L.

M. Contribuições da psicologia para a inclusão da pessoa surda no ensino fundamental.

27 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) – Centro Universitário

de Várzea Grande – UNIVAG, Várzea Grande, MT, 2018.

PEREIRA, O. C. N. O licenciado em Psicologia no ensino fundamental: possibilidade de

atuação. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 23, e178679, 2019.

ROSA, C. L. Educação profissional, científica e tecnológica, formação humana e a

psicologia escolar e educacional. 2018. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação) –

Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, Criciúma, SC, 2018.

SCHULTZ, D. P.; SCHULTZ, S. E. História da psicologia moderna. São Paulo: Cultrix,

SILVA JÚNIOR, A., CATARINI, M.; PRUDENTE, R.C.A.C. 1945-1962: Os antecedentes da

regulamentação da psicologia como profissão no Brasil. CES Revista, v. 18, n. 1, p. 157-167,

TRIOLA, M. F. Introdução à estatística. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

Downloads

Publicado

2020-09-10 — Atualizado em 2020-09-15

Versões

Como Citar

Silva, D. R. D., Leal, K. de J., & Finelli, L. A. C. . (2020). LICENCIATURA NO CURSO DE PSICOLOGIA: PANORAMA NO SÉCULO XXI. Revista Ciranda, 4(2), 39-57. https://doi.org/10.46551/259498102020017 (Original work published 10º de setembro de 2020)

Edição

Seção

Artigos