Mapeamento da área de preservação permanente do rio Passa-Três: uma contribuição para a gestão territorial e preservação do manancial

Autores

DOI:

10.46551/rc24482692202328

Palavras-chave:

Cerrado, Conservação ambiental, Geoprocessamento, Mata ciliar, Sustentabilidade

Resumo

Nas Áreas de Preservação Permanente (APPs) ao longo dos cursos d'água, o objetivo primordial é garantir a qualidade e a proteção dos recursos hídricos. Entretanto, em Uruaçu, no norte de Goiás, especialmente nas proximidades do rio Passa-Três, enfrenta-se um dilema entre a utilização e a conservação dessas áreas, devido à negligência no cumprimento das leis ambientais. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi realizar uma análise da conservação da APP marginal do rio Passa-Três, visando contribuir para a gestão do território e a preservação do manancial. Para isso, utilizou-se o software QGIS 3.22, respeitando os critérios do Código Florestal (Lei nº 12.561/2012) para a delimitação da APP, e a subsequente avaliação da qualidade ambiental mediante a conformidade da APP, baseando-se no mapeamento desenvolvido pelo Projeto MapBiomas, ano 2021. Os resultados mostraram que somente 12,66% da APP estão preservados, enquanto 87,34% estão em condições inadequadas, sendo principalmente ocupados por pastagens (36,41%), áreas com pouca vegetação nativa ou solo exposto (29,58%), construções (18,59%) e atividades agrícolas (2,75%). A falta de vegetação nas margens da APP aumenta o risco de erosão e acúmulo de sedimentos, prejudicando o fornecimento de água. Portanto, ações de restauração são essenciais para o planejamento e a gestão adequada dessas áreas destinadas à preservação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wellington Ribeiro Martins, Universidade Estadual de Goiás – UEG, Anápolis (GO), Brasil

É Graduado em Zootecnia pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e Mestre em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Estadual de Goiás (UEG).

Endereço: Av. Juscelino Kubitschek, nº 146 - Bairro Jundiaí. Caixa Postal 459 Anápolis – GO. CEP: 75.110-390. Bloco II - 3º Andar.

Adriana Aparecida Silva, Universidade Estadual de Goiás – UEG, Anápolis (GO), Brasil

 

É Graduada em Geografia pelo Instituto de Estudos Socioambientais (IESA), Mestre e Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é lotada no Centro de Ensino e Aprendizagem em Rede (CEAR) e colaboradora do corpo docente do Programa de Mestrado Interdisciplinar “Territórios e Expressões Culturais do Cerrado” (TECCER).

Endereço: Av. Juscelino Kubitschek, nº 146 - Bairro Jundiaí. Caixa Postal 459 Anápolis – GO. CEP: 75.110-390. Bloco II - 3º Andar.

       

Licenciada (1999) e Bacharel em Geografia (2000) pelo Instituto de Estudos Socioambientais (IESA), Especialista em Ciências do Solo (2001) pela Escola de Agronomia (EA), Mestre (2004) e Doutora (2012) em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Docente Efetiva da Universidade Estadual de Goiás (UEG) desde 2004. Atualmente lotada no Centro de Ensino e Aprendizagem em Rede (CEAR), onde exerce atividades de Ensino e Pesquisa, além de estar na Coordenadora de Tecnologia. Na condição de colaboradora compõem o corpo docente do Programa de Mestrado Interdisciplinar "Territórios e Expressões Culturais no Cerrado" (TECCER).

Joana D'arc Bardella Castro, Universidade Estadual de Goiás – UEG, Anápolis (GO), Brasil

É Graduada em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), Mestre em Economia de Empresas pela Universidade Católica de Brasília (PUC/DF), Doutora em Economia pela Universidade de Brasília (UNB). Atualmente é Professora titular da Universidade Estadual de Goiás (UEG), e docente do programa stricto sensu em Recursos Naturais do Cerrado – RENAC, e do programa Strictu sensu em Territórios e Expressões Culturais do Cerrado – TECCER.

Endereço: Av. Juscelino Kubitschek, nº 146 - Bairro Jundiaí. Caixa Postal 459 Anápolis – GO. CEP: 75.110-390. Bloco II - 3º Andar.

Referências

ALMEIDA, Arlete Silva de; VIEIRA, Ima Célia Guimarães. Conflitos no uso da terra em Áreas de Preservação Permanente em um polo de produção de biodiesel no Estado do Pará. Rev. Ambient. Água, [S./l.], v. 9, n. 3. p. 476-487. 2014.

BARÃO, Winne Nayadini; MELLONI, Eliane Guimarães Pereira; PONS, Nívea Adri-ana Dias; TEIXEIRA, Débora Luisa Silva. Técnicas de geoprocessamento aplicadas ao estudo do conflito de uso do solo em microbacias do município de Senador Amaral–MG. Revista Brasileira de Geografia Física, [S./l.], v. 14, n. 01, p. 439-454, 2021.

BRASIL. Lei n° 12.651 de 25 de maio de 2012. Estabelece normas gerais sobre a prote-ção da vegetação, áreas de preservação permanente, 2012a. [...]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 17 jul. 2022.

CALADO, Tatiana de Oliveira; CARDOSO, Ariane Silva; MARQUES, Érika Alves Tavares; SOBRAL, Maria do Carmo. Planos diretores na articulação da gestão de recur-sos hídricos com o uso do solo no entorno de reservatórios. Revista Brasileira de Geo-grafia Física, [S./l.], v. 13, n. 03, p. 958-972, 2020.

CAMARGOS, Lourdes Manresa. Geovisualização e seu potencial na inclusão da infra¬estrutura azul no planejamento territorial: estudos de caso em escalas regional e local no Quadrilátero Ferrífero/MG. 2020. 141 f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Geografia, 2020.

DE MEDEIROS, Cleyber Nascimento; ALBUQUERQUE, Emanuel Lindemberg Silva. Geoprocessamento aplicado ao mapeamento do uso e cobertura da terra em Áreas de Preservação Permanente do município de Caucaia, Ceará, Brasil. Boletim de Geografia, [S./l.], v. 37, n. 2, p. 94-112, 2019.

EMBRAPA – Embrapa Agroindústria Tropical. Estudo pedoclimático para a explora-ção do cajueiro-anão precoce em Uruaçu, GO. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tro-pical: 2003. 32 p.

EMBRAPA SOLOS – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Humberto Gonçalves dos Santos et al.,(Org.). 5. ed. Brasília, DF: Em¬brapa, 2018. 356 p. Disponível em: <https://www.embrapa.br/solos/busca-de-publicacoes/-/pu-blicacao/1094003/sistema-brasileiro-de-classificacao-de-solos>. Acesso em: 14 jan. 2021.

FERNANDEZ, Fernando; PIETRAFESA, Pedro. Problemática ambiental e políticas pú¬blicas de meio ambiente no Distrito Federal. Revista Brasileira de Desenvolvimento Re¬gional, Blumenau, v. 9, n. 3, p. 221-248, out. 2021.

GANDARA, Gercinair Silvério. Rios: território das águas às margens das cidades: o caso dos rios de Uruaçu-GO. Revista Franco-Brasileira de Geografia, [S./l.], n. 31, p. 85-98. 2017.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Banco de informações ambientais – BDiA. 2021. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/geo-ciencias/downloads-geociencias.html>. Acesso em: 02 set. 2022.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Banco de in¬formações ambientais – BDiA. 2017. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/geocien¬cias/downloads-geociencias.html>. Acesso em: 02 set. 2022.

MACHADO, Tereza Cristina Efigenia; CAMPOS, Milton Cesar Costa; PAGANI, Caio Henrique Patrício; CUNHA, Jose Mauricio; SOARES, Marcelo Dayron Rodrigues. Avaliação do uso e ocupação das áreas de preservação permanente nos anos de 2008 e 2013 na zona urbana de Humaitá, Amazonas. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, [S./l.], v. 15, n. 2, p. 744-750, 2018.

MAPBIOMAS. Projeto MapBiomas – Coleção 7 da Série Anual de Mapas de Cober¬tura e Uso de Solo do Brasil. 2021. Disponível em: <https://mapbiomas.org/>. Acesso em: 15 ago. 2022.

MATIELLO, Sabrina; CERRI, Fabiano; PAGANI, Caio Patrício; LIMA, Janielson Silva. O uso do geoprocessamento para delimitação e análise das Áreas de Preservação Permanente de um córrego em Nova Mutum Paraná-RO. Revista Presença Geográfica, [S./l.], v. 4, n. 1, p. 40-50, 2017.

METZGER, Jean Paul; BUSTAMANTE, Mercedes; FERREIRA, Joice; FERNANDES, Geraldo Wilson; LIBRÁN-EMBID, Felipe; PILLAR, Valério; PRIST, Paula; RODRI¬GUES, Ricardo Ribeiro; VIEIRA, Ima Célia; OVERBECK, Gerhard. Por que o Brasil precisa de suas Reservas Legais. Perspectives in Ecology and Conservation, [S./l.], v. 17, n. 3, p. 104-116, 2019.

MOREIRA, Égne Benaia Fernandes; SOUZA, José Carlos de. Avaliação geoambiental da área de preservação permanente do córrego Mina d’água, Campinaçu, Goiás, Brasil. Élisée, [S./l.], v. 7, n. 1, p. 119-130. 2018.

MOREIRA, Maria Luiza Osório; MORETON, Luiz Carlos; ARAÚJO, Vanderlei Antô-nio de; LACERDA FILHO, Joffre Valmório de; COSTA, Heitor Faria da. Geologia do Estado de Goiás e Distrito Federal. Texto explicativo do mapa geológico de Estado de Goiás e Distrito Federal. Escala 1.500.000 - RJ20133: Fundo de Fomento à Mineração- FUNMINERAL. Goiânia, 2008. Disponível em: <https://ri-geo.sgb.gov.br/handle/doc/10512>. Acesso em: 25 fev. 2021.

PESSI, Dhonatan Diego; EREIO, Patrícia Karina Barbosa; ALVES, Gustavo Benedito Medeiros; MARTARELLO, Alecsandra Pazza; LOVERDE-OLIVEIRA, Simone Maria. Qualidade da Cobertura Vegetal em Áreas de Preservação Permanente de Nascentes. Anuário do Instituto de Geociências, [S./l.], v. 41, n. 3, p. 270-280. 2018.

RODRIGUES, Ana Beatriz Matos; GIULIATTI, Nathália Melo; JÚNIOR, Antônio Pe-reira. Aplicação de metodologias de recuperação de áreas degradadas nos biomas brasi-leiros. Brazilian Applied Science Review, [S./l.], v. 4, n. 1, p. 333-369, 2020.

ROSENFIELD, Milena Fermina; MÜLLER, Sandra Cristina. Ecologia funcional como ferramenta para planejar e monitorar a restauração ecológica de ecossistemas. Oecolo¬gia Australis, [S./l.], v. 24, n. 3, p. 550-565, 2020.

SANTOS, Letícia Caroline Lacerda; BRITO, Gustavo Henrique Mendes. Delimitação das Áreas de Preservação Permanente na bacia hidrográfica do Rio dos Patos, GO, e identificação dos conflitos de uso de solo. Ipê Agronomic Journal [S./l.], v. 2, n. 1. p. 53-61. 2018.

SILVA, Fabio Leandro da; FUSHITA, Ângela Terumi; CUNHA, Marcela Bianchessi da; SANTINO, Irineu Bianchini; VENEZIANI, José Carlos Toledo. Gestão de recursos hídricos e manejo de bacias hidrográficas no Brasil: elementos básicos, histórico e estra-tégias. Revista Brasileira de Geografia Física, [S./l.], v. 14, n. 3, p. 1626-1653, 2021.

SILVA, Lucas Pereira da; ALMEIDA, Rherison Tyrone Silva. Caracterização da Área de Preservação Permanente do rio Meia Ponte em Goiânia, GO. Revista Uniaraguaia (online), [S./l.], v. 16. n. 1. jan./abr. 2021.

SILVA, Tayanne Graciette Nascimento; GAMA, Roberta da Costa; TEIXEIRA, Lorena Gama; DOS SANTOS, Gil Rodrigues; DE SOUSA, Rhonan Martins; DE SOUZA, Pris¬cila Bezerra. Diagnóstico ambiental de uma área de proteção permanente (app), formoso do Araguaia–TO. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, [S./l.], v. 16, n. 2, 2018.

Downloads

Publicado

2023-11-01

Como Citar

MARTINS, W. R.; SILVA, A. A.; CASTRO, J. D. B. Mapeamento da área de preservação permanente do rio Passa-Três: uma contribuição para a gestão territorial e preservação do manancial. Revista Cerrados, [S. l.], v. 21, n. 02, p. 283–301, 2023. DOI: 10.46551/rc24482692202328. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/6817. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Categorias