Evolução e dinâmica espacial intraurbana da COVID-19 em Montes Claros/MG, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202121

Palavras-chave:

Covid-19. Dinâmica Espacial. Montes Claros-MG.

Resumo

Montes Claros, cidade média com população superior a 400 mil habitantes, é o foco principal de concentração do vírus por COVID-19 no Norte do Estado de Minas Gerais, resultado de sua centralidade política, econômica e estrutural, além do seu tamanho demográfico.  Até o dia 16 de abril de 2020, registrou-se 30.573 casos e 721 óbitos. A partir disso, este artigo analisa a evolução e dinâmica espacial da Covid-19 em Montes Claros em dois momentos: 03/11/2020 e 19/04/2021.  Focalizará na expansão da Covid-19 na escala da cidade, evidentemente sem desconsiderar suas nuances e articulação com outras escalas geográficas. A metodologia pautou-se em uma abordagem qualitativa com levantamento e organização de dados secundários de Covid-19 em Montes Claros, provenientes da Secretaria Municipal de Saúde, disponibilizados através de Boletins Informativos publicados diariamente. Os resultados foram sistematizados em produtos cartográficos analíticos como mapas e gráficos demonstrando a evolução temporal da pandemia. No que tange as análises sobre o comportamento geográfico do vírus, constatou-se sua elevada ampliação para todos os bairros revelando um padrão espacial altamente heterogêneo o que associa e implica no avanço do processo de desigualdade social nessa cidade média.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Soares de França, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, Montes Claros (MG), Brasil

É Graduada em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Juliana Soares de França, Universidade de Brasília – UnB, Brasília (DF), Brasil

É Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) e Metre em Medicina Tropical pela Universidade de Brasília (UnB).

Referências

Batella, W.; Miyazaki, V. K. RELAÇÕES ENTRE REDE URBANA E COVID-19 EM MINAS GERAIS Doutor. Hygeia, Uberlãndia, Edição Especial: Covid-19, p.102 – 110. Jun./2020.

BATISTA, R. P. Segregação Socioespacial e a Paisagem Urbana: Um Estudo Da

Cidade De Montes Claros – MG. 2017. 134 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros. 2017.

BOFF, L. Coronavírus é ultimato para mudarmos a relação com a terra. Brasil de Fato: Brasília (DF), 28 de Abril de 2020. Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2020/04/28/coronavirus-e-ultimato-para-mudarmos-a-relacao-com-a-terra-afirma-leonardo-boff >. Acesso em 10 de Abril de 2021.

BENKO, G. Economia, espaço e globalização na aurora do século XXI. São Paulo: Hucitec, 1996.

BESSA, K.; LUZ, R. A. da. A pandemia de Covid-19 e as particularidades regionais da sua difusão no segmento de rede urbana no estado do Tocantins, Brasil. Revista Ateliê Geográfico, Goiânia-GO, v. 14, n.2, p. 06 – 28, ago/2020.

BRANDÃO, C. Cidades médias como provedores de bens e serviços públicos e coletivos e como construtoras de cidadania e de direitos. In: SILVA, Willian Ribeiro da; SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão (Orgs). Perspectivas da urbanização: reestruturação urbana e das cidades. Rio de Janeiro: Consequência, 2017. P.99-118.

BRASIL. Ministério da Saúde. Painel Coronavírus, 2021. Disponível em https://covid.saude.gov.br/. Acesso em 30 abril de 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei 10.257, de 10 de julho de 2001. 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/Leis/LEIS_2001/L10257.htm>. Acesso em 30 abr. 2021.

COCCO, R. G.; COLLISCHONN, E. Relações entre a distribuição espacial da Covid-19 e a dinâmica das Interações Espaciais no Estado do Rio Grande do Sul. Hygeia Edição Especial: Covid-19, p.183 – 192, Jun./2020.

FRANÇA, I. S. Urbanização Contemporânea e Desigualdades Sociais: análise de Montes Claros/MG. Revista GeoSertões. (Unageo-CFP-UFCG), [S./l.], v. 5, nº 9, jan./jun. 2020.

FRANÇA, I. S. A cidade média e suas centralidades: O exemplo de Montes Claros no Norte de Minas Gerais. 2007. 283 f. Dissertação de Mestrado em Geografia. Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, 2007.

IANNI, O. 2001. A Era do Globalismo. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD COVID19. Disponível em: <https://covid19.ibge.gov.br/pnad-covid/>. Acesso em 22 de abril de 2021.

IBGE. Regiões de Influência das Cidades/REGIC - 2018. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. 192 p. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/cartas-e-mapas/redes-geograficas/15798-regioes-de-influencia-das-cidades.html?=&t=acesso-ao-produto.

IBGE. Divisão Regional do Brasil em Regiões Geográficas Imediatas e Regiões Intermediárias. Coordenação de Geografia: RJ, 2017. 82p.

IBGE. Pesquisa Produto Interno Bruto Municipal, 2017. Disponível em <http://www.ibge.gov.br htm/>. Acesso em 30 de abril de 2021.

IBGE. Censo Demográfico, 2010. Disponível em < http://www.ibge.gov.br htm/>. Acesso em 30 de abril de 2021.

Jornal Estado de Minas Gerais. Montes Claros confirma primeiro óbito por coronavírus na cidade. 05-04_2020. Disponível em <https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2020/04/05/interna_gerais,1135919/montes-claros-confirma-primeiro-obito-por-coronavirus-na-cidade.shtml>. Acesso em 21 de Abril de 2021.

LEITE, M. E. Geoprocessamento aplicado ao estudo do espaço urbano: o caso da cidade Montes Claros-MG. 2006. 118 f. Dissertação de Mestrado em Geografia. Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, 2006.

MAGALHÃES, S. C. M. M.; SANTOS, F. de O., LIMA, S. do C. L. Situação Epidemiológica da Transmissão da Covid-19 no Norte de Minas Gerais, Brasil. Hygeia Edição Especial: Covid-19, p.80 – 87, Jun./2020.

MONTES CLAROS. Prefeitura Municipal. SEPLAN. Plano Diretor de Montes Claros. Montes Claros: PMMC, 2016. Lei Complementar 53 de 1º. Dez. 2016.

MONTE-MÓR, R. L. Urbanização extensiva e lógicas de povoamento: um olhar ambiental. In: SANTOS, M. et al. Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec, 1994.

PEREIRA, A. M. Cidade média e região: o significado de Montes Claros no Norte de Minas Gerais. 2007. 351 f .Tese de Doutorado em Geografia . Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, 2007.

SANTOS, M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2002.

SPOSITO, M. E. B.; GUIMARÃES, R. B. Por que a circulação de pessoas tem peso na difusão da pandemia. UNESP [26/03/2020]. Disponível em: <https://www2.unesp.br>. Acesso em: 26/06/2020.

SPOSITO, M. E. B. Urbanização e cidades: perspectivas geográficas. Presidente Prudente: UNESP, 2001.

WHO. World Health Organization. Coronavirus disease (COVID-19) outbreak. Genebra: WHO, 2020. Disponível em: https://www.who.int/dg/speeches/detail/who-director-general-s-opening-remarks-at-themedia-briefing-on-covid-19---11-march-2020. Acesso em 30 de abril de 2021.

Sites

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2020/04/05/interna_gerais,1135919/montes-claros-confirma-primeiro-obito-por-coronavirus-na-cidade.shtm

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2021/03/02/interna_gerais,1242507/com-hospitais-com-lotacao-maxima-montes-claros-aumenta-restricoes.shtml

https://www.mg.gov.br/minasconsciente/entenda-o-programa

http://www.montesclaros.mg.gov.br/planodiretor/planodiretor2015.htm. Acesso em 20/08/2016

https://portal.montesclaros.mg.gov.br/decretos

https://saude.montesclaros.mg.gov.br/

Downloads

Publicado

2021-08-01

Como Citar

FRANÇA, I. S. de; FRANÇA, J. S. de. Evolução e dinâmica espacial intraurbana da COVID-19 em Montes Claros/MG, Brasil. Revista Cerrados, [S. l.], v. 19, n. 02, p. 109–135, 2021. DOI: 10.46551/rc24482692202121. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/4151. Acesso em: 19 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)