Força da floresta, saúde e doença: o uso da flora medicinal pelo povo Parintintin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202114%20

Palavras-chave:

Floresta, Flora medicinal, Povo Parintintin

Resumo

O artigo busca investigar a relação do povo Parintintin, autodenominado Pykahu, habitante da Terra Indígena Nove de Janeiro, município de Humaitá, Estado do Amazonas, com a floresta e o uso da flora medicinal, a partir dos seus saberes tradicionais, nos processos de cura. O método se ancora no empirismo e nos relatos orais produzidos por esse povo originário. Para tanto, utilizou-se de técnicas como observação participante, história oral, entrevistas semiestruturadas e informais, dentre outras. Para os Parintintin a floresta emana saúde, sendo que dela extraem inúmeras espécies vegetais utilizadas nos processos de cura do corpo e da alma. A estas se somam aquelas plantadas em quintais, além da utilização de fármacos. Desta forma, novos componentes se hibridizam àqueles próprios da cultura local, a partir do diálogo entre os saberes não indígenas (científico e popular) e indígenas, que acabam se transformando e se diversificando, se adaptando, mas também se impondo, de modo a garantir a saúde deste povo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Strachulski, Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG, Ponta Grossa (PR), Brasil

É Graduado em Geografia Licenciatura pela Universidade Cesumar (UNICESUMAR); e Graduado em Geografia Bacharelado, Mestre em Gestão do Território (Geografia) e Doutor em Geografia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Adnilson de Almeida Silva, Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Porto Velho (RO), Brasil

É Graduado em Geografia e Mestre em Geografia pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR); e Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente é Professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGG) e do Departamento de Geografia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR).

Nicolas Floriani, Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG, Ponta Grossa (PR), Brasil

É Graduado em Agronomia, Mestre em Ciências do Solo e Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente é Professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGG) e do Departamento de Geociêncis da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Referências

AGUILERA URQUIZA, Antônio Hilário. Sustentabilidade e Território - Relação com a Educação Escolar Indígena. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FRONTEIRAS ÉTNICO-CULTURAIS E FRONTEIRAS DA EXCLUSÃO: PRÁTICAS EDUCATIVAS NUM CONTEXTO INTERCULTURAL, 2., 2006, Campo Grande. Anais [...] Campo Grande: NEPPI, 2006. Disponível em: <http://www.neppi.org/anais/textos/pdf/sustentabilidade_territorio_relacao_educacao_ escolar.pdf>. Acesso em: 04 maio 2020.

ALBUQUERQUE, Ulysses Paulino. Plantas medicinais e mágicas comercializadas nos mercados públicos do Recife – PE. Ciência & Trópico, Recife, v. 25, n. 1, p. 7 - 15, jan./jun. 1997. Disponível em: <https://fundaj.emnuvens.com.br/CIC/article/view/642/428>. Acesso em: 04 maio 2020.

ALBUQUERQUE, Ulysses Paulino; ANDRADE, Laise de Holanda Cavalcanti. Conhecimento botânico tradicional e conservação em uma área de caatinga no estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Acta Botânica Brasílica, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 273-285, jul./set. 2002. Disponível em: <http://www.etnobotanicaaplicada.com.br/pt/gerenciador/uploadfiles/e2ac937d57694883b546689568224546.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2020.

ALBUQUERQUE, Ulysses Paulino de; LUCENA, Reinaldo Farias de Paiva; CUNHA, Luiz Vital Fernandes Cruz. Métodos e técnicas na pesquisa etnobiológica e etnoecológica. 1. ed. Recife: NUPEEA, 2010. 559 p. (Coleção Estudos e Avanços).

ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Amazônia: a dimensão política dos “conhecimentos tradicionais. In: ACSELRAD, Henri. (Org). Conflitos Ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Reúne Dumaró, 2004. 294 p. p. 37-56.

ALMEIDA SILVA, Adnilson de. Territorialidades e identidade do coletivo Kawahib da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau em Rondônia: “Orevaki Are” (reencontro) dos “marcadores territoriais. 2010. 301 f. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

ALMEIDA SILVA, Adnilson de. Territorialidades, identidades e marcadores territoriais Kawahib da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau em Rondônia. Jundiaí: Paco, 2015. 308 p.

AMOROZO, Maria Christina de Mello. Uso e diversidade de plantas medicinais em Santo Antônio do Leverger, MT, Brasil. Acta Botânica Brasílica, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 189 - 203, 2002. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/abb/v16n2/a06v16n2.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2020.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. In: PESSANHA, José Américo Motta (Org.). A filosofia do não; O novo espírito científico; A poética do espaço. Tradução de Antônio da Costa Leal e Lídia do Valle Santos Leal. São Paulo: Abril Cultural, 1978. 354 p. p. 182-354.

BERQUE, Augustin. Géogrammes, pour une ontologie des faits géographiques. L’Espace Geographique, Aubervilliers, v. 28, n. 4. p. 320 - 326. 1999. Disponível em: <https://www.persee.fr/docAsPDF/spgeo_0046-2497_1999_num_28_4_1275.pdf>. Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. Decreto de 3 de novembro de 1997. Homologa a demarcação administrativa da Terra Indígena Nove de Janeiro, localizada no Município de Humaitá, Estado do Amazonas. Diário Oficial da União: Brasília, DF., 4 nov. 1997. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/dnn/Anterior%20a%202000/1997/Dnn6024.htm>. Acesso em: 20 abr. 2018.

CANCLINI, Néstor. Garcia. Culturas híbridas. Estratégias para entrar e sair de modernidade. 4. ed. 4. reimpr. Tradução: Ana Regina Lessa e Heloisa Pezza Cintrão. São Paulo: Editora da Universldade de São Paulo, 2008. 385 p.

CARDOZO, Ivaneide. Bandeira.; VALE JÚNIOR, Israel. Correa. (Orgs.). Diagnóstico Etnoambiental participativo: etnozoneamento e plano de gestão Terra Indígena Ipixuna. Porto Velho: Kanindé, 2012. 98 p.

CIMI - Conselho Indigenista Missionário. Regional Rondônia. In: Panewa especial. Porto Velho: CIMI, 2015.

CLAVAL, Paul. A geografia cultural. 3.ed. Florianópolis: UFSC, 2007. 453 p.

DARDEL, Eric. O Homem e a Terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2011. 159 p.

DIEGUES, Antonio Carlos; ARRUDA, Rinaldo Sergio Vieira; SILVA; Viviane Capezzuto Ferreira da; FIGOLS, Francisca Aida Barboza; ANDRADE, Daniela. (Orgs.). Os saberes tradicionais e a biodiversidade no Brasil. São Paulo: MMA/COBIO/NUPAUB/USP, 1999. 189 p.

FLORIANI, Nicolas; CLARINDO, Maximillian Ferreira; ALMEIDA SILVA, Adnilson de; STANISKI, Adelita. Medicina popular, catolicismo rústico, agrobiodiversidade: o amálgama cosmo-mítico-religioso das territorialidades tradicionais na região da Serra das Almas, Paraná, Brasil. Geografia, Rio Claro, v. 41, n. 2, p. 331-350, mai./ago. 2016. Disponível em: <http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/ageteo/article/view/10683>. Acesso em: 20 jan. 2020.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 200 p.

HAESBAERT, Rogerio. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. 400 p.

ISA - INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL. Povos Indígenas no Brasil: Parintintin. ISA, 2015. Disponível em: <https://pib.socioambiental.org/pt/Povo:Parintintim>. Acesso em: 2 jan. 2020.

KANINDÉ. Terra Indígena Nove de Janeiro. Diagnóstico Etnoambiental Participativo. Porto Velho: Kanindé, 2006. No prelo.

KRACKE, Waud Hocking. Ivaga’nga, Mbahira’nga e Anhang: gente do céu, gente das pedras e demônios das matas (espaço cosmológico e dualidade na cosmologia Kagwahiv). In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 16., 1984, Brasília. Anais [...] Brasília: ABA, 1984. Comunicação apresentada no Grupo de Trabalho Cosmologia Tupi.

KRACKE, Waud Hocking. El sueño como vehículo del poder shamánico: interpretaciones culturales y significados personales de los sueños entre los Parintintin. In: PERRIN, Michel. (Coord.). Antropología y experiencias del sueño. Quito: Abya-Yala; Roma: MLAL, 1990. 302 p. p. 145-158.

MEDEIROS, Tássia Karina Alexandre de; ALMEIDA SILVA, Adnilson de; Suruí, Gasodá Wawaeitxapôh ; ARAÚJO FILHO, Isaac Costa ; FLORIANI, Nicolas. Os etnoconhecimentos botânicos dos Paiterey e as repercussões no território: uma prévia análise na Aldeia Paiter da Linha 09 - Terra Indígena Sete de Setembro. Confins, São Paulo, v. 36, n. 3, 2018. p. 1 - 36. Disponível em: <http://journals.openedition.org/confins/13516>. Acesso em: 08 jun. 2020.

MENENDÉZ, Miguel Angel. Os Kawahiwa. Uma contribuição ao estudo dos Tupí Centrais. 1989. 200 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social), Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.

MIRANDA, Aldecira Pinheiro; ALMEIDA SILVA, Adnilson de; MOTTA, Rogério Vargas; PARINTINTIN, Maria Lani. Um ensaio de tentar ver “as coisas dos nativos” Parintintin. In: ALMEIDA SILVA, Adnilson; NASCIMENTO SILVA, Maria das Graças Silva; SILVA, Josué da Costa.; FLORIANI, Nicolas. (Orgs.). Uma viagem ao mundo dos Pykahu-Parintintin: Olhares, percepções e sentidos. Jundiaí: Paco, 2017. 225 p. p. 39-82.

NIMUENDAJÚ, Curt. Os Índios Parintintin do Rio Madeira. Journal de la Société des Américanistes, Paris, Tomo 16, p. 201-278, 1924.

PARINTINTIN, C. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

PARINTINTIN, F. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

PARINTINTIN, J. C. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

PARINTINTIN, M. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

PARINTINTIN, M. B. F. N. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

PARINTINTIN, M. G. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

PARINTINTIN, S. Entrevista na Aldeia Traíra. Humaitá: Terra Indígena Nove de Janeiro, 2015.

REFLORA. Lista de Espécies da Flora do Brasil. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/listaBrasil/ConsultaPublicaUC/ConsultaPublicaUCdo#CondicaoTaxonCP>. Acesso em: 24 fev. 2020.

SCHWEICKARDT, Júlio Cesar. Magia e religião na modernidade: os rezadores em Manaus. Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2002. 269 p.

STRACHULSKI, Juliano. Os saberes ecológicos tradicionais de agricultores da comunidade rural Linha Criciumal e sua relação com a paisagem rural - Cândido de Abreu, PR. 2014. 176 f. Dissertação (Mestrado em Gestão do Território), Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2014.

STRACHULSKI, Juliano. Kagwyri´pe jihoi: o território como fundamento do saber tradicional Parintintin na Aldeia Traíra da Terra Indígena Nove de Janeiro, Humaitá-AM. 2018. 337 f. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2018.

STRACHULSKI, Juliano.; ALMEIDA SILVA, Adnilson de.; FLORIANI, Nicolas; ALVES, Jorge No Kaya. Os Kaingang da Terra Indígena Faxinal: a configuração atual das práticas socioculturais territoriais. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 19, n. 68, p. 307 - 325, dez. 2018. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/40547/24794>. Acesso em: 08 jun. 2020.

STRACHULSKI, Juliano.; FLORIANI, Nicolas. Conhecimento popular sobre plantas: um estudo etnobotânico na comunidade rural de Linha Criciumal, em Cândido de Abreu- PR. Revista Geografar, Curitiba, v. 8, n. 1, p. 125 - 153, jun. 2013. Disponível em: <http://revistas.ufpr.br/geografar/article/view/30327/20463>. Acesso em: 15 maio 2020.

TORRI, Maria Costanza. A medicina tradicional na América do sul e as relações complexas entre os valores culturais, espirituais e terapêuticos das plantas. Revista de Geografia, Recife, v. 30, n. 3, p. 6 - 23, 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/229103/23507>. Acesso em: 20 fev. 2021.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo Batalha. A natureza em pessoa: sobre outras práticas de conhecimento. In: ENCONTRO VISÕES DO RIO BABEL: CONVERSAS SOBRE O FUTURO DA BACIA DO RIO NEGRO, 1., 2007, Manaus. Anais [...] Manaus: Instituto Socioambiental/Fundação Vitória Amazônica, 2007. Disponível em: <https://www.socioambiental.org/banco_imagens/pdfs/visesdoriobabel.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2018.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

STRACHULSKI, J.; SILVA, A. de A.; FLORIANI, N. Força da floresta, saúde e doença: o uso da flora medicinal pelo povo Parintintin. Revista Cerrados, [S. l.], v. 19, n. 01, p. 329–360, 2021. DOI: 10.46551/rc24482692202114 . Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3957. Acesso em: 21 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Categorias