Os fatores edáficos e antropogênicos e suas correlações com as fitofisionomias do Parque Estadual da Mata Seca, Manga/MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202113%20

Palavras-chave:

Fitogeografia. Caatinga. Solos. Matas Secas.

Resumo

O extremo Norte de Minas Gerais se encontra em uma faixa ecotonal localizada entre os biomas Cerrado e Caatinga. É nesse cenário marcado pela abundância de diversas fitofisionomias que se localiza o Parque Estadual da Mata Seca. Visando compreender melhor a interação solo/planta/sociedade, este trabalho teve como objetivo analisar a influência dos fatores pedológicos e antropogênicos sobre as características florísticas, fisionômicas e estruturais dos componentes vegetacionais da área de estudo. Todos solos são eutróficos e a presença de Ca e Mg foi importante para explicar o porte da vegetação. Os fatores antropogênicos, como o corte seletivo de espécies e os desmates cíclicos nas pastagens, se destacaram como os mais relevantes na explicação das diferenças entre as formações vegetais do parque.  O Parque Estadual da Mata Seca apresenta grande riqueza florística que se expressa em 83 espécies distribuídas em 25 famílias. As famílias floristicamente mais ricas foram a Fabaceae, a Bignoneaceae e a Euphorbiaceae. As fitofisionomias mais preservadas e com solos mais férteis apresentaram maior porte e densidade.  Os Solos mais rasos e a ação antrópica favorecerem a redução do porte e a densidade dos indivíduos. Esses resultados evidenciaram a influência dos fatores edáficos e antropogênicos sobre as fitofisionomias do parque.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo Alves Belém, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES, Montes Claros (MG), Brasil

É Graduado, Mestre e Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é Professor do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Cristiane Valéria Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Belo Horizonte (MG), Brasil

É Graduada em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), Mestre em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e Doutora em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Atualmente é professora do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia do Instituto de Geociências (IGC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Maria das Dores Magalhães Veloso, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES, Montes Claros(MG), Brasil

É Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes); Mestre em Educação pelo Instituto Superior Enrique José Varona (IEPEJV/Cuba) e Doutora em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente é Professora do curso de Ciências Biológicas e do Programa de Pós Graduação em Botânica Aplicada - PPGBot, da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Referências

ALMEIDA, M. I. S. Algumas considerações sobre o papel do Estado na reorganização do espaço norte–mineiro. Caderno Geográfico, Montes Claros, MG, v. 1, n. 3, p. 9-18,1999.

ANGELIM, A. E. S.; MORAES, J. P. S.; SILVA, J. A. B.; GERVÁSIO, R. C. R. G. Germinação e aspectos morfológicos de plantas de Umburana de cheiro (Amburana cearensis) encontradas na Região Vale do São Francisco. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 1062-1064, jul. 2007.

ANTUNES, F. Z. Caracterização climática. Informe Agropecuário – Caatinga. Belo Horizonte, v. 17, n. 181, p. 15-19, 1994.

ARAUJO, G. M. Matas ciliares da caatinga: florística, processo de germinação e sua importância na restauração de áreas degradadas. 2009. 66 f. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Departamento de Biologia, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2009.

BEDÊ, C. L. et al. Manual para mapeamento de biótopos no Brasil – Base para um planejamento ambiental eficiente. Belo Horizonte: Fundação Alexander Brandt, 1997.

BELÉM, R. A. Zoneamento ambiental e os desafios da implementação do Parque Estadual Mata Seca, município de Manga, Norte de Minas Gerais. 2008. 169f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

BELÉM, R. A. Atributos químicos, físicos e mineralógicos dos solos e sua relação com os biótopos do Parque Estadual da Mata Seca, Município de Manga, Norte de Minas Gerais. 2015. 161f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

BRANDÃO, M. Caatinga. In: MENDONÇA, M.; LINS, L. (Org.). Lista vermelha das espécies ameaçadas de extinção da flora de Minas Gerais. Belo Horizonte: Fundação Biodiversitas, 2000. p. 75-85.

BRANDÃO, M.; NAIME, U. J. Cobertura vegetal original dos municípios de Jaíba, Manga e Matias Cardoso, MG. Daphne, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 7-13, abr. 1998.

BRANDÃO, M.; GAVILANES, M. Composição florística das áreas recobertas pela Caatinga na área mineira da Sudene. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 17, n. 181, p. 20-32. 1994.

BRANDÃO, M.; ARAÚJO, M.G.; LACA-BUENDIA, J. P. “Furados”: Um novo ecossistema de grande importância como suporte à fauna local e regional da Região da Jaíba, MG. Daphne, Belo Horizonte, v.8, n.3, p.51-60, jul. 1998.

CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa informação tecnológica/Embrapa Florestas, 2008.

CODEMIG - Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais. (Belo Horizonte, MG). Mapa Geológico do estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2014. Mapa físico. Escala 1: 1.000.000.

DRUMOND, G.M.; MARTINS, C.S.; MACHADO, A.B.M.;SEBAIO, F.A.; ANTONINE, Y. Biodiversidade em Minas Gerais: um atlas para sua conservação. Belo Horizonte: Fundação Biodiversitas, 2005, 222p.

DUARTE, T. G. Florística, fitossociologia e relações solo-vegetação em Floresta Estacional Decidual em Barão de Melgaço, Pantanal de Mato Grosso. 2007. 155 f. Tese (Doutorado em Botânica) – Programa de Pós-graduação em Botânica, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2007.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA – EMBRAPA. Manual de métodos de análise de solo. 2. ed. Rio de Janeiro: Centro Nacional de Pesquisa de Solos, 1997.

EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MINAS GERAIS – EPAMIG. Estudo de solos, clima e vegetação do município de Manga - MG. Belo Horizonte: EPAMIG, 1990.

ESPIRITO-SANTO et al. Florestas estacionais deciduais brasileiras: distribuição e estado de conservação. MG Biota: Boletim técnico-científico da diretoria de biodiversidade do IEF - MG, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 5-13, jun./jul. 2008.

GONÇALVES, F.N. Estudo das características físicas, química e morfológicas dos solos como subsidio ao levantamento das potencialidades agrícolas da comunidade rural de Pernambuco em Pirapora, Norte de Minas Gerais. 2014. 75 f. Monografia (Graduação em Geografia). Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros. 2014.

LORENZI, H. Árvores brasileiras – Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa, SP: Plantarum, 2002. v. 2.

MACIEL, J. R.; FERREIRA, J. V. A.; SIQUEIRA-FILHO, J. A. Modelagem de distribuição de espécies arbóreas na recuperação de áreas degradadas da Caatinga. In: SIQUEIRA-FILHO, J. A. (Org.). A flora das Caatingas do São Francisco: história natural e conservação. Rio de Janeiro: Andrea Jacobsson, 2012. p. 231-264.

MEIADO, M.V.; MACHADO, M.C.; ZAPPI, D.C.; TAYLOR, N.P.; SIQUEIRA FILHO, J.A. Cactos do rio São Francisco: atributos ecológicos, distribuição geográfica e endemismo. In. SIQUEIRA FILHO, J. A. (Org.). A flora das Caatingas do São Francisco: história natural e conservação. Rio de Janeiro: Andrea Jacobsson, 2012. p. 265-303.

OLIVEIRA, C. V. Atributos químicos, mineralógicos, micromorfológicos, gênese e uso de solos do Projeto Jaíba, Norte de Minas Gerais.1999. 181 f. Tese (Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas) – Programa de Pós-graduação em solos e nutrição de plantas, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 1999.

OLIVEIRA, C. V.; KER, J.C.; FONTES, L.E.F.; CURI, N.; PINHEIRO, J.C. Química e mineralogia de solos derivados de rochas do Grupo Bambuí no Norte de Minas Gerais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 22, n. 4, p. 583-593, 1998.

PÓVOA, J. S. R. Distribuição da variação genética de Cedrela fissilis Vell, em fragmentos florestais no sul de Minas Gerais, por meio de isoenzimas. 2002. 95 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, 2002.

PRADO, D. E. As Caatingas da América do Sul. In: LEAL, I.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. (Org.). Ecologia e conservação da Caatinga. Recife: Editora UFPE, 2005.

QUEIROZ, A.F. Caracterização e classificação de solos do município de Casa Nova/BA para fins de uso, manejo e conservação. 2013, 155f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo). Universidade Federal Rural do Semiárido, Mossoró. 2013.

RAMOS, K. M. O. et al. Desenvolvimento inicial e repartição de biomassa de Amburana cearensis (allemao) em diferentes condições de sombreamento. Acta bot. bras., São Paulo, v. 18, n. 2, p. 351-358, 2004.

RATTER, J. A.; ASKEW, G. P.; MONTGOMERY, R. F.; GIFFORD, D. R. Observations on forests of some mesotrophic soils in Central Brazil. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 47-58, 1978.

ROCHA, A.E.; AGRA, M.F. Flora do Pico do Jabre, Paraíba, Brasil: Cactaceae Juss. Acta. Bot. Bras., Belo Horizonte, v. 16, n. 1, p. 15-21, 2002.

RODRIGUES, A. C. C.; OSUNA, J. T. A.; QUEIROZ, S. R. O. D.; RIOS, A. P. S. Biometria de frutos e sementes e grau de umidade de sementes de Angico (Anadenanthera colubrina. (Vell.) Brenan Var. Cebil (Griseb.) Altschul procedentes de duas áreas distintas. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, Garça, SP, v. 4, n. 8, p. 1-15, ago. 2006.

RODRIGUES, P.M.S. Análise de gradientes de solo e vegetação em Mata Ciliar do Rio São Francisco, Norte de Minas Gerais, para fins de restauração florestal. 2011. 71 f. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Departamento de Biologia Vegetal, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2011.

SANTOS, D. S. et al. Manual de descrição e coleta de solo no campo. 5. ed. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo/Embrapa, 2005.

SANTOS, J.C.B.; SOUZA JUNIOR, V.S; CORRÊA,M.M.;RIBEIRO,M.R.; ALMEIDA, M.C; BORGES, L.E.P. Caracterização de Neossolos Regolíticos da Região Semiárida do estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 36, p. 683-695, 2012.

SCHARIOT, A.; SEVILHA, A. C. Biodiversidade, estrutura e conservação de Florestas Estacionais Deciduais no Cerrado. 2005. In: SCHARIOT, A.; SOUSA, J. C.; FELFILI, J. M. (Ed.). Ecologia, biodiversidade e conservação do Cerrado. Brasília. Não publicado.

SCOLFORO, J. R.; CARVALHO, L. M. T. de. Mapeamento e inventário da flora nativa e dos reflorestamentos de Minas Gerais. Lavras, MG: UFLA, 2006.

SIQUEIRA FILHO, J. A.; SOUZA, D.P.; SIQUEIRA, A.A.; MEIADO, M.V.; CORRÊA, L.C.; CAMPELO, M.J.A.; RAMOS, R.R.D. A queda do mito: composição, riqueza e conservação das plantas vasculares das Caatingas do Rio São Francisco. In. SIQUEIRA FILHO, J. A. (Org.). A flora das Caatingas do São Francisco: história natural e conservação. Rio de Janeiro: Andrea Jacobsson, 2012. p. 161-191.

SIQUEIRA-FILHO, J. A.; SANTOS, A. P. B.; NASCIMENTO, M. F. S.; ESPÍRITO-SANTO, F. S. Guia de árvores da Caatinga. Petrolina, PE: Editora e Gráfica San-franciscana, 2009.

VELOSO, T. M. G.; WHITAKER, D. C. A. Memórias sobre um conflito de terra em relatos de história de vida. Fractal – Revista de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p. 23-40, jan./abr. 2013.

WHITAKER, D. C. A. et al. A transcrição da fala do homem rural: fidelidade ou caricatura? In: WHITAKER, D. C. A. (Org.). Sociologia rural; questões metodológicas emergentes. Presidente Venceslau, SP: Letras à margem, 2002. p.115-120.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

BELÉM, R. A.; OLIVEIRA, C. V.; VELOSO, M. das D. M. . Os fatores edáficos e antropogênicos e suas correlações com as fitofisionomias do Parque Estadual da Mata Seca, Manga/MG. Revista Cerrados, [S. l.], v. 19, n. 01, p. 298–329, 2021. DOI: 10.46551/rc24482692202113 . Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3807. Acesso em: 21 jun. 2021.