ENTRE “CANTOS” E “BATUQUES”: territórios e territorialidades negro-africanas na cidade de salvador no século XIX

Palavras-chave: Movimentos de Territorialização. Escravo de ganho. Cantos de trabalho. Batuques. Territorialidades Negras.

Resumo

Propõe-se neste artigo trazer à tona os traços de movimentos de territorialização peculiares, realizados pelos escravos de ganho e crioulos na constituição dos cantos de trabalho e dos batuques de “lazer” espalhados pela cidade de Salvador no século XIX. Acredita-se que tais sujeitos, em outros tempos, tenham alimentado uma complexa rede de articulação multicultural que contribuiu para a formação de territórios de resistência e, consequentemente, para a organização de levantes e insurreições contra o modelo económico vigente, o que em âmbito geográfico torna o debate relevante visto a escassez de fontes acerca das diferentes geograficidades da gente negra no Brasil pré-abolição. Para tanto, delineou-se o debate aqui encaminhado, a partir de estudos bibliográficos inerentes a temática apresentada.

 

BETWEEN “CANTOS” AND “BATUQUES”: territories and territorialities black african in the city of salvador in the XIX century

ABSTRACT

The proposed article aims to highlight the traces of peculiar territorialization movements performed by the money-earling slave and Creoles in the constitution of the cantos de trabalho and the batuques de lazer scattered throughout the city of Salvador in the nineteenth century. It is believed that these subjects, in other times, have fed a complex network of multicultural articulation that contributed to the formation of territories of resistance and, consequently, to the organization of uprisings and insurrections against the current economic model, which in geographic scope makes the debate relevant considering the scarcity of sources about the different geographies of black people in Brazil pre-abolition. For that, the discussion here was delineated, based on bibliographical studies inherent to the theme presented.

Keywords: Territorialization movements. Money-earning slave. Cantos de trabalho. Batuques. Black territorialities.

 

ENTRE “CANTOS” Y “BATUQUES”: territorios y territorialidades negro africanos en la ciudad de salvador en el siglo xix

RESUMEN

En este artículo se propone resaltar las huellas de movimientos de territorialización peculiares, realizado por los esclavos de gano y los criollos en la constitución de los “cantos” de trabajo y los batuques de “esparcimiento” repartidos por toda la ciudad de Salvador en el siglo XIX. Se cree que estos temas, en otros tiempos, han alimentado una compleja red de articulación multicultural que contribuyó a la formación de territorios de resistencia y, en consecuencia, a la organización de levantamientos e insurrecciones contra el modelo económico en vigor, que en el ámbito geográfico hace que el debate sea relevante teniendo en cuenta la escasez de fuentes sobre las diferentes geografías de los negros en Brasil antes de la abolición. Para eso, la discusión aquí fue delineada, basada en estudios bibliográficos inherentes al tema presentado.

Palabras-clave: Movimientos de territorialización. Esclavo de ganho. “Cantos” de trabajo. Batuques. Territorialidades negras.

 

Biografia do Autor

Emerson Costa de Melo, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Carangola, Minas Gerais, Brasil.

Possui Graduação em Graduação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Doutorado em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente é Professor da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG).

Referências

AVÉ-LALLEMANT, Robert. Viagem pelas Províncias da Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe (1859). Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980. 347p.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999. 532p.

CORRÊA, Aureanice de M. Irmandade da Boa Morte como manifestação cultural afro-brasileira: de cultura alternativa a inserção global. 2004. 323 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, CCMN/PPGG, Rio de Janeiro, 2004.

COSTA, Ana de Lourdes R. da. Ekabó!: trabalho escravo, condições de moradia e reordenamento urbano em Salvador no século XIX. 1989. 231 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1989.

GORENDER, Jacob. O escravismo colonial. São Paulo: Ática, 1980. 640p.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003. P 480.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. Amkoullel, o menino fula. Trad. Xina Smith de Vasconcellos. São Paulo: Palas Athena; Casa das Áfricas, 2003. 342p.

HAESBAERT, Rogério. Territórios Alternativos. 2ª ed, São Paulo: Contexto, 2006. 186p.

HAESBAERT, Rogério. O Mito da Desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 6ª ed. Rio e Janeiro, Bertrand Brasil, 2011. 395p.

MATORY, James L. Jeje: repensando nações e transnacionalismo. MANA. 1999, vol.5, n.1, pp. 57-80.

MATTOSO, Katia M. de Q. Bahia, século XIX: uma província no império. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992. 747p.

MELO, Emerson. Entre territórios e terreiros: Yorubá, velhos deuses no Novo Mundo. 2014. 222 f. Dissertação (Mestrado em Geografia), - Universidade Federal de Minas Gerais, IGC/PPGG, Belo Horizonte, 2014.

MELO, Emerson. A compreensão das dinâmicas territoriais afrorreligiosas a partir da perspectiva da afro-territorialidade: um estudo sobre o processo de constituição, organização e difusão do Candomblé Kétu. 2019. 225 f. Tese (Doutorado em Geografia), - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, IGEOG/PPGEO, Rio de Janeiro, 2019

NINA RODRIGUES, Raimundo. Os africanos no Brasil. 6ª ed. Brasília: EUNB, 1982. 401p.

QUERINO, Manuel. A raça africana e os seus costumes na Bahia. Salvador: P555 edições, 2006. 100p.

REIS, João José. Rebelião Escrava no Brasil: a História do Levante dos Malês, 1835. São Paulo: Cia das Letras, 2003. 648p.

SILVA, Marilene R. N. da. Negro na rua: a nova face da escravidão. São Paulo, SP: Hucitec, Brasília, DF: CNPq, 1988. 166p.

SILVEIRA, Renato da. O Candomblé da Barroquinha: processo de constituição do primeiro terreiro baiano de keto. Salvador: Edições Mainanga, 2006. 645p.

SPIX, Johann. B; MARTIUS, Karl. F. P. Viagem pelo Brasil - 1817-1820. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1981. 110p.

VERGER, Pierre. Fluxo e refluxo do tráfico de escravos entre o Golfo do Benin e a Bahia de todos os Santos dos séculos XVII a XIX. Trad. Tasso Gadzanis. 4ª ed. Salvador: Corrupio, 1987. 728p.

VERGER, Pierre. Notícias da Bahia - 1850. Salvador: Corrupio, 1999. 238p.

Publicado
2019-12-26
Como Citar
MeloE. C. de. (2019). ENTRE “CANTOS” E “BATUQUES”: territórios e territorialidades negro-africanas na cidade de salvador no século XIX. Revista Cerrados, 17(02), 03-24. https://doi.org/10.22238/rc24482692201917020324