REFLEXOS DAS OCUPAÇÕES URBANAS NA MOBILIDADE ÀS MARGENS DA RODOVIA ESTADUAL GO-060 ENTRE GOIÂNIA (GO) E TRINDADE (GO)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc2448269220201801189219

Palavras-chave:

Ocupação espacial. Sistema viário. Fluxo veicular. Transporte. Mobilidade.

Resumo

O estudo pretende compreender a dinâmica dos diversos tipos de ocupações implantadas no entorno da Rodovia Estadual GO- 060, entre a cidade de Goiânia (GO) e Trindade (GO), e os seus reflexos na mobilidade urbana. O problema se identifica na relação causa e efeito no conflito entre o espaço urbano e o sistema de transportes, em áreas conurbadas da Região Metropolitana de Goiânia (GO). O objetivo consiste em analisar as áreas de ocupação do recorte espacial, o fluxo veicular dos modos de transportes e o índice de mobilidade, em função das tipologias de ocupação, caracterizadas como polos geradores de viagens (PGVs). Para se identificar tais ocorrências, foram utilizadas metodologias adaptadas para análise espaço-temporal e redes. Os resultados mostraram as diferenças em áreas de ocupação nos PGVs Tipo Comércio/Indústria 25,74% e 30,77% e Tipo Residencial 11,41% e 38,78% para as Regiões Oeste/Mendanha e Trindade 2, para os períodos (2011/2016) e (2009/2015), respectivamente.  Essa dinâmica ocupacional gerou um aumento de +87% no total de viagens do fluxo dos diversos modos de transporte e um acréscimo de +79% no índice de mobilidade para o período de 2013 a 2016, mostrando a tendência de motorização das regiões e os reflexos na mobilidade urbana.

Palavras-chave: Ocupação espacial. Sistema viário. Fluxo veicular. Transporte. Mobilidade.

 

REFLEXES OF URBAN OCCUPATIONS ON MOBILITY TO THE MARGINS OF THE STATE ROAD GO-060 BETWEEN GOIÂNIA (GO) AND TRINDADE (GO)

ABSTRACT

The study aims to understand the dynamics of the various types of occupations implanted around the State Highway GO-060, between the city of Goiânia (GO) and Trindade (GO), and their reflexes on urban mobility. The problem is identified in the cause and effect relationship in the conflict between urban space and the transport system in conurbated areas of the Metropolitan Region of Goiânia (GO). The objective is to analyze the areas of occupation of the spatial area, the vehicular flow of the modes of transport and the mobility index, according to the types of occupation, characterized as travel generating poles (TGPs). To identify such occurrences, methodologies adapted for spatiotemporal analysis and networks were used. The results showed the differences in occupation areas in the Trade / Industry Type 25.74% and 30.77% and Residential Type 11.41% and 38.78% for the West / Mendanha and Trindade 2 Regions for the periods (2011/2016) and (2009/2015) respectively. This occupational dynamic generated an increase of + 87% in the total travel flow of the different modes of transport and an increase of + 79% in the mobility index for the period from 2013 to 2016, showing the trend of motorization in the regions and the reflexes in urban mobility.

 Keywords: Spatial occupation. Road system. Vehicular flow. Transport. Mobility.

 

REFLETS DES OCCUPATIONS URBAINES SUR LA MOBILITÉ LE LONG DE LA ROUTE D’ÉTAT GO-60 ENTRE GOIANIA (GO) ET TRINDADE (GO)

RÉSUMÉ

L’étude prétend comprendre la dynamique des divers types d’occupations implantées le long de la Route d’État GO-060, entre les villes de Goiânia (GO) et Trindade (GO), et ses retombées sur la mobilité urbaine. Le problème s’identifie dans la relation de cause à effet dans le conflit entre espace urbain et système de transport, dans les aires urbanisées de la Région Métropolitaine de Goiânia (GO). L’objectif est d’analyser les zones d’occupation du découpage spatial, le flux routier des modes de transport et l’indice de mobilité selon les typologies d’occupation, caractérisées comme pôles générateurs de voyages (PGVs). L’identification de ces faits s’est réalisée par l’utilisation de méthodologies adaptées à l’analyse spatio-temporelle et de réseaux. Les résultats montrent des différences de PGVs dans les zones d’occupation du type Commerce/Industrie 25,74% et 30,77% et du type résidentiel 11,41% et 38,78% pour les régions Ouest/Mendanha et Trindade 2, respectivement pour les périodes (2011/2016) et (2009/2015). Cette dynamique d’occupation révèle une augmentation de +87% du total de voyages de flux des différents modes de transport et une croissance de +79% de l’indice de mobilité pour la période de 2013 à 2016, montrant la tendance de motorisation des régions et ses reflets sur la mobilité urbaine.

Mots clés: Occupation spatial. Système routier. Flux de véhicules. Transport. Mobilité. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denis Biolkino de Sousa Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás – IFG, Goiânia, Goiás, Brasil

Possui Graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC/GO), Mestrado em Transportes pela Universidade de Brasília (UnB) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) através do DINTER IFG/UFU (2015). Atualmente é Professor titular no ensino básico, técnico, tecnólogo e superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG).

William Rodrigues Ferreira, Universidade Federal de Uberlândia – UFU, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Mestrado em Transportes pela Universidade de Brasília (UnB) e Doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é Professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

AGETOP – Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas. Núcleo de Segurança Rodoviária. Dados estatísticos de fluxo veicular. Goiânia, 2017.

AKISHINO, Pedro. Estudos de Tráfego. Apostila do Curso de Graduação em Engenharia Civil. Departamento de Transportes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), v. 1, 2004

BRASIL. Ministério das Cidades. Mobilidade e Desenvolvimento Urbano. In: Gestão integrada da mobilidade urbana. Brasília: DF, 2006.

CARDOSO, C. E. de P. Evolução da Mobilidade no Município de São Paulo – 15º Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito, ANTP, 2005.

CET – Companhia de Engenharia de Tráfego. Noções Básicas de Engenharia de Tráfego. Série Boletim Técnica da CET nº 5. São Paulo, CET, 1977.

CORRÊA, R. L. Espaço: um conceito-chave da geografia. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. C.; CORRÊA, R. L. Geografia: conceitos e temas. 11ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. p. 15-47.

CORRÊA, R. L. O espaço urbano. 3ª ed. São Paulo: Editora Ática, Série Princípios, 1995.

DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito. Frota Nacional. Disponível em < http://www.denatran.gov.br/frota2016.htm>. Acesso em 06 jun 2017.

DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito. Manual de Procedimentos para o Tratamento de Polos Geradores de Tráfego. Brasília: DENATRAN/FGV, 2001.

FERRARA, L. D. Olhar Periférico: informação, linguagem, percepção ambiental. São Paulo: EdUSP, 1999.

FERRARI, C. Dicionário de urbanismo. 1 ed. São Paulo: Editora Disal, 2004.

FERREIRA, W. R. O espaço público nas áreas centrais: a rua como referência – um estudo de caso em Uberlândia-MG. 2002. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-28042006-103725/pt-br.php. Acesso em 15 jan. 2018.

GOIÁS. Lei complementar nº 27, de 30 de dezembro de 1999. Cria a Região Metropolitana de Goiânia, autoriza o Poder Executivo a instituir o Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Goiânia, a Secretaria Executiva e a constituir o Fundo de Desenvolvimento Metropolitano de Goiânia e dá outras providências correlatas. Goiás, 1999. Disponível em:

<http://www.gabinetecivil.goias.gov.br/leis_complementares/1999/lei_complementar_n27.htm>. Acesso em: 15 ago. 2017.

GOMES, P. C. C. O conceito de região e sua discussão. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. C.; CORRÊA, R. L. Geografia: conceitos e temas. 11ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

HISSA, C. E. V. A mobilidade das fronteiras: inserções da geografia na crise da modernidade. 1ª reimpressão. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasil em Síntese. Cidades @, 2017. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br>. Acesso em 15 jun. 2017.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010. Características da População e dos Domicílios – Resultados do Universo. Rio de Janeiro, (2011). Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/english/estatistica/populacao/censo2010/ caracteristicas_da_populacao/resultados_do_universo.pdf>. Acesso em 16 fev. 2015.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=52&dados=0>. Acesso em 16 abr 2017.

KNEIB, E. C. Mobilidade Urbana e Qualidade de Vida: Do Panorama Geral ao Caso de Goiânia. Revista UFG/Universidade Federal de Goiás. Ano XIV nº 12 – julho de 2012, p.71.

KNEIB, E. C. Subcentros urbanos: contribuição conceitual e metodológica à sua definição e identificação para planejamento de transportes. 2008. 207 f. Tese (Doutorado em Transportes), Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2008.

KNEIB, E. C. Caracterização de Empreendimentos Geradores de Viagens: Contribuição Conceitual à Análise de seus Impactos no Uso, Ocupação e Valorização do Solo Urbano. 2004. 168 f. Dissertação (Mestrado em Transportes), Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2004.

MARICATO, E. As idéias fora do lugar e o lugar fora das idéias: planejamento urbano no Brasil. In: ARANTES, O.; VAINER, C.; MARICATO, E. (Org.). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2000, p. 121 – 192.

NETO, A.T. Reflexões acerca de região. Publicado no Observatório Geográfico de Goiás, 2002. Disponível em: <https://observatoriogeogoias.iesa.ufg.br/up/215/o/teixeira_neto_ant_nio_reflex_es_regi_o.pdf>. Acesso em 12 jan 2017.

PEREIRA, D. B. de S. Intervenções espaciais e mobilidade urbana de rodovias em regiões metropolitanas. 2019. 271 f. Tese (Doutorado em Geografia), Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019.

PEREIRA, D. B. de S.; FERREIRA, W. R. (2018). Influência do uso e ocupação do solo no sistema de transportes e mobilidade no contexto de rodovia em região metropolitana: estudo de caso em Goiânia (GO), Brasil. Atas do 8º Congresso Luso-Brasileiro para o Planeamento Urbano, Regional, Integrado e Sustentável: PLURIS 2018. Coimbra, Portugal, 24 a 26 de outubro de 2018. pp. 1027-1052.

PONS, J. M. S.; REYNÉS, M. R. M. Geografía de los transportes. Palma (Illes Balears): Universitat de lês Illes Balears, 2004.

PORTUGAl, L. da S. Polos geradores de viagens orientadas à qualidade de vida e ambiental: modelos e taxas de geração de viagens. Rio de Janeiro: Interciência, 2012.

PORTUGAL, L. S.; GOLDNER, L. G. Estudo de Polos Geradores de Tráfego e de seus impactos nos sistemas viários e de transportes. 1. ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2003.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA. Lei n°171 de 29 de maio de 2007. Plano Diretor de Goiânia 2007. Dispõe sobre o Plano Diretor e o processo de planejamento urbano do Município de Goiânia e dá outras providências. Prefeitura Municipal de Goiânia, atualizado 2009.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRINDADE. Plano Diretor de Trindade 2008. Lei Complementar nº 008, 02 de Junho de 2008. Secretaria de Planejamento Municipal, 2008.

RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Ática, 1993.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova: da crítica da Geografia a uma Geografia Crítica. – 6. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004. - (Coleção Milton Santos;2).

SANTOS, M. Espaço e Método. São Paulo. Nobel, 3. Edição, 1992.

SECIMA – Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos. Análise da mobilidade urbana e metropolitana. Região Metropolitana de Goiânia. Plano de desenvolvimento integrado. Universidade Federal de Goiás, UFG. Goiânia, 2017. Disponível em: < http://pdi-rmg.desenvolvimento.go.gov.br/wp-content/uploads/2017/10/7-Análise-da-Mobilidade-Urbana-e-Metropolitana.pdf >. Acesso em 17 mar. 2018.

SOARES, B. R.; ARAÚJO, F. A. V. Relação cidade-campo: desafios e perspectivas. CAMPO-TERRITÓRIO: revista de geografia agrária, v.4, n. 7, p. 201-229, fev. 2009. Disponível em < file:///C:/Users/Denis%20Biolkino/Downloads/11894-44040-1-PB.pdf>. Acesso em 19 dez. 2017.

SPOSITO, M. E. B. Segregação socioespacial e centralidade urbana. In: VASCONCELOS, P. de A.; CORRÊA, R. L.; PINTAUDI, S. M. A Cidade Contemporânea: segregação espacial. 1. ed., 1ª reimpressão. – São Paulo: Contexto, 2016.

SPOSITO, M. E. B. Capitalismo e urbanização. 6. ed. – São Paulo: Contexto, 1994.

VASCONCELLOS, E. A. Políticas de transporte no Brasil: a construção da mobilidade excludente. Barueri, SP: Manole, 2013.

VASCONCELLOS, E. A. Transporte urbano, espaço e equidade: análise das políticas públicas. São Paulo: Annablume, 2001.

VASCONCELLOS, E. A. Transporte urbano nos países em desenvolvimento: reflexões e propostas. São Paulo: Editoras Unidas, 1996.

VESENTINI, J. W. Sociedade e espaço: geografia geral e do Brasil. 44ª ed. atual. e reform. São Paulo: Ática, 2005.

Publicado

2020-05-19

Como Citar

PEREIRA, D. B. DE S. .; FERREIRA, W. R. REFLEXOS DAS OCUPAÇÕES URBANAS NA MOBILIDADE ÀS MARGENS DA RODOVIA ESTADUAL GO-060 ENTRE GOIÂNIA (GO) E TRINDADE (GO). Revista Cerrados, v. 18, n. 01, p. 189-219, 19 maio 2020.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)