Análise dos Censos Agropecuários brasileiros dos anos de 2006 e 2017 para identificação de características da população agrícola

Analysis of brazilian Agricultural Census of the years of 2006 and 2017 for identification of characteristics of the agricultural population

Autores

DOI:

10.22238/rc2448269220191702228246

Palavras-chave:

Produtor rural. Caracterização do produtor. Censo Agropecuário.

Resumo

A agricultura é um setor da economia que está em constante desenvolvimento e vem contribuindo consideravelmente para o crescimento do PIB brasileiro. Devido a relevância desse segmento faz-se necessário conhecer o perfil dos trabalhadores rurais que estão contribuindo com esses resultados. Dessa forma, a pesquisa foi realizada com o objetivo de identificar as características da população agrícola brasileira, a partir de uma análise comparativa realizada com os dados disponíveis no Censo Agropecuário dos anos de 2006 e 2017. O estudo foi desenvolvido através da seleção de variáveis que apresentaram dados coletados e divulgados nos dois períodos de Censo, são elas: condição legal da terra, pessoa que dirige a propriedade, relação dos agricultores com financiamentos e divisão dos estabelecimentos por região. Como resultado constatou-se que em sua maioria os produtores são proprietários da terra em que trabalham e a maior parte dos estabelecimentos são dirigidos por homens. Os relacionamentos com instituições financeiras acontecem, geralmente, por meio de agências bancárias e tem a finalidade de custear as operações. A região Nordeste é a que abriga a maior quantidade de estabelecimentos rurais, com um número elevado de pequenas propriedades e o oposto acontece na região Centro-Oeste, que possui uma grande extensão de terras agricultáveis distribuída entre poucas propriedades rurais.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sayonara Chagas da Silva Arrais, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina, Minas Gerais, Brasil

Sayonara Chagas da Silva Arrais – Possui Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e Mestrado em Saúde, Sociedade e Ambiente pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Atualmente é analista Bancária do Banco do Nordeste do Brasil S/A.

Bernat Viñolas Prat, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina, Minas Gerais, Brasil

Possuiu Graduação em Engenheria Civil, Mestrado em Engenharia da Construção e Doutorado em Engenharia da Construçao, todos cursados pela Universitat Politècnica de Catalunya (UPC/Espanha). Atualmente é pesquisador e professor no mestrado profissional Sociedade, Sáude e Meio Ambiente (UFVJM).

Rosana Passos Cambraia, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina, Minas Gerais, Brasil

Possuiu Graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), Mestrado em Psicobiologia pela Universidade de São Paulo (USP) e Doutorado em Psicobiologia pela Universidade de São Paulo (USP/RIB. PRETO). Atualmente é Docente nos programas de pós graduação Stricto sensu, modalidade mestrado profissional Interdisciplinar em Saúde, Sociedade & Ambiente (FCBS/UFVJM) e na modalidade acadêmica Interdisciplinar em Estudos Rurais (FIH/UFVJM).

Referências

ASSUNÇÃO, J; CHEIN, F. Condições de crédito no Brasil rural. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 45, n. 2, p. 371-372, 2007.

BATISTA, H.R; NEDER, H.D. Efeitos do PRONAF sobre a pobreza rural do Brasil (2001-2009). Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 52, supl. 1, p. 150, 2014.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Crédito Rural. Disponível em: <https://www3.bcb.gov.br/mcr/manual/09021771806f488d.htm?fullName=2%20-%20Cr%C3%A9ditos%20de%20Custeio>. Acesso em: 10 ago. 2018.

BRASIL. Lei n. 7.827, de 27 de setembro de 1989. Regulamente o art. 159, inciso I, alínea c, da Constituição Federal, institui o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte - FNO, o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste - FNE e o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste - FCO, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 de setembro de 1989. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03, leis/L7827.htm>. Acesso em: 06 fev. 2018.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA. Safra de grãos deve alcançar 300 milhões toneladas em dez anos. DF: Brasília. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/noticias/safra-de-graos-deve-alcancar-300-milhoes-ton-de-graos-em-dez-anos-indica-estudo>. Acesso em: 05 ago. 2018.

BRUMER, A. Gênero e Agricultura: A situação da mulher na agricultura do Rio Grande do Sul. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, p. 205-227, 2004. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/ref/v12n1/21699.pdf >. Acesso em: 01 de maio 2018.

BRUMER, A; FREIRE, N.M.S. O trabalho da mulher na pequena produção agrícola. Revista do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ano XI/XI, p. 302-322, 1984.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA AGRICULTURA – CNA. Agricultor, a mais nobre das profissões. Disponível em: <http://www.cnabrasil.org.br/artigos/agricultor-mais-nobre-das-profissoes>. Acesso em: 05 ago. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍTICA - IBGE. Censo Agropecuário 2006. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/51/agro_2006.pdf>. Acesso em: 28 nov. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censo Agropecuário 2017. Disponível em:

< https://censoagro2017.ibge.gov.br/templates/censo_agro/resultadosagro/index.html>. Acesso em: 15 ago. 2018.

MEDEIROS, L.S. “Sem terra”, “Assentados”, “Agricultores Familiares”: considerações sobre os conflitos sociais e as formas de organização dos trabalhadores rurais brasileiros. In: Una nueva ruralidad em America Latina? Colección de CLACSO. Libronauta Argentina S.A. 2005, p. 108-133.

NASCIMENTO, V.F. Patriarcado rural: Permanência e alterações da ordem patriarcal no meio rural. IV Encontro Nacional e X Fórum Estado, Capital Trabalho. Universidade Federal de Sergipe (UFS). 2017.

PAULILO, M.I.S. O peso do trabalho leve. Ciências Hoje, Rio de Janeiro: SBPC, v. 5, n. 28, p. 64-70, jan-fev. 1987.

RONCON, N. A importância do setor agrícola para a economia brasileira. Fundação Educacional do Município de Assis – FEMA/IMESA. Assis, 2011, p. 69.

SCHNEIDER, S; MATTEI, L; CAZELLA, A.A. Histórico, caracterização e dinâmica recente do Pronaf. In: ___. (Org.) Políticas públicas e participação social no Brasil rural. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2004, p. 21-50.

SILVA, A.B.A.D. Perfil da agricultura familiar do Agreste Paraibano: uma tipificação contextualizada. João Pessoa, 2018. Acesso em: 01 de maio 2019.

ZANCHET, A; JUNIOR, S.C.F. Perfil contábil-administrativo dos produtores rurais e a demanda por informações contábeis. Ciências Sociais Aplicadas em Revista, v. 6, n. 11, 2006.

Downloads

Publicado

2019-11-21

Como Citar

ARRAIS, Sayonara Chagas da Silva; PRAT, Bernat Viñolas; CAMBRAIA, Rosana Passos. Análise dos Censos Agropecuários brasileiros dos anos de 2006 e 2017 para identificação de características da população agrícola: Analysis of brazilian Agricultural Census of the years of 2006 and 2017 for identification of characteristics of the agricultural population. Revista Cerrados, [s. l.], v. 17, n. 02, p. 228–246, 2019. DOI: 10.22238/rc2448269220191702228246. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/118. Acesso em: 16 jul. 2024.