#Vemprarua: jornadas de um espaço em rede

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc2448269220191701240255

Palavras-chave:

Jornadas de Junho. Movimentos Sociais. Espaço. Ciberespaço. Rede.

Resumo

As jornadas de junho se constituíram como um movimento de insurgência disposto sobre o Brasil no período de junho de 2013, com base nas iniciativas do MPL em protesto contra a tarifa do transporte público em São Paulo, mas cujo escopo se ampliou e abarcou uma série de demandas sociais cuja origem é o âmago da sociedade brasileira na extensão e nas particularidades do território nacional. Na dinâmica dos atos, redes de comunicação alternativa e autônoma foram instrumentos de movimentação, informação e coesão das manifestações, por meio de dispositivos e redes sociais. A proposta deste estudo foi refletir as dinâmicas das Jornadas de Junho, considerando a dimensão do ciberespaço como elemento aglutinador de práticas socioespaciais e de insurgência, na busca de uma aproximação entre Geografia e ciberespaço no contexto do exame do caso em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Souza Santos, Centro Universitário FIPMoc - UNIFIPMoc, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Gustavo Souza Santos – Possui graduação em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc) e mestrado em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atualmente é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES) e é professor do Centro Universitário FIPMoc (UNIFIPMoc).

Referências

CASTELLS, M. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CORRÊA, R. L. O espaço geográfico: algumas considerações. In: SANTOS, M. (Org.). Novos rumos da Geografia brasileira. São Paulo: Hucitec, 1982.

FEIXA, C.; FERNÁNDEZ-PLANELLS, A.; FIGUERAS-MAZ, M. Generación Hashtag. Los movimientos juveniles en la era de la web social. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, v. 14, n. 1, p. 107-120, 2016.

GIBSON, W. Neuromancer. Tradução de Marcia Men. 5. ed. São Paulo: Aleph, 2016.

LEMOS, A. Cibercultura. Tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 7. ed. São Paulo: Sulina, 2015.

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 3. Ed. São Paulo: Loyola, 1998.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2000.

SANTOS, G. S. et al. Cibercultura, interações sociais e pós-modernidade: realidade versus virtualidade. Espacios, Caracas, v. 36, n. 22, 2015.

SANTOS, G. S. #Vemprarua: territorialidades de insurgência e ativismos on-line/off-line nas Jornadas de Junho de 2013 no Brasil. 2017. 158f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, 2017.

SANTOS, G. S.; TRINDADE, L. T.; ROCHA, J. S. B. Um novo lócus espaçotemporal. Animus – Revista Interamericana de Comunicação Midiática, Santa Maria, v. 14, n. 28, p. 171-186, 2015.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002.

Downloads

Publicado

2019-06-28

Como Citar

SANTOS, G. S. . #Vemprarua: jornadas de um espaço em rede. Revista Cerrados, [S. l.], v. 17, n. 01, p. 240–255, 2019. DOI: 10.22238/rc2448269220191701240255. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1044. Acesso em: 18 jun. 2024.