A construção das políticas patrimoniais de Belo Horizonte: o caso do “Terreiro de Candomblé Ilê Wopo Olojukan” e da “Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá”

The construction of Belo Horizonte's heritage policies: the case of the “Terreiro de Candomblé Ilê Wopo Olojukan” and the “Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá”

Autores

Palavras-chave:

Políticas Públicas, Patrimônio Cultural, Negro, Belo Horizonte

Resumo

O presente artigo reflete sobre as práticas preservacionistas da cidade de Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais/Brasil, apontando os desafios impostos ao poder público, entre as décadas de 1990 e 2000, quando se trata de ações voltadas para a salvaguarda de bens que tradicionalmente não se configuram na história do órgão preservacionista local, a saber, os bens culturais vinculados à identidade e memória negra. O estudo toma o caso do tombamento da “Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá” e do terreiro de candomblé “Ilê Wopo Olojukan”, bens culturais estes pertencentes às comunidades que se encontram à margem da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanessa Pires Lott, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutora em História, Professora Adjunta de Museologia da Faculdade de Artes Visuais do Instituto de Ciências das Artes da Universidade Federal do Pará (UFPA). E-mail: wanessalott@hotmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7026-9852.

Referências

ANDRADE, Mário. Anteprojeto para a criação do Serviço do Patrimônio Artístico Nacional. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro. 30, 2002.

ANDRADE, Luciana Teixeira de, ESTEVES, Paulo Luis, Negociações urbanas: gestão de conflitos em torno do patrimônio. In: FERNANDES, Edésio, RUGANI, Jurema M. Cidade, memória e legislação: a preservação do patrimônio na perspectiva do direito urbanístico. Belo Horizonte: IAB/MG, 2002.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues et al, O difícil espelho: limites e possibilidades de uma experiência de cultura e educação. Rio de Janeiro: IPHAN/DEPRON, 1996.

CARDOSO, Marcus – técnico da Secretaria Municipal de Cultura – Patrimônio Cultural em Belo Horizonte entrevista concedia à autora em 02 de agosto de 2005.

CORRÊA, A. Vilas, Parques, Bairros e Terreiros: Novos parâmetros na cena das políticas culturais em São Paulo e São Luís. Tese de doutorado, PUC São Paulo, 2001a.

CORRÊA, Alexandre Fernandes. Patrimônios bio-culturais: Um debate sobre novas estratégias preservacionistas. In.: IV Reunião de Antropologia do Mercosul. Etnografia e Antropologia. Curitiba, 11 a 14 de novembro de 2001b. Disponível em: www.ufma.br/canais/gtep/Textos/02 Acesso em 16 de dezembro de 2019.

CUNHA, Flávio Saliba. Patrimônio cultural e gestão democrática em Belo Horizonte. Varia História. Belo Horizonte. 18, 1997.

CURY, Isabelle (org.). Cartas patrimoniais. Rio de Janeiro: Edições do IPHAN, 2002.

D’OXOSSI Babalorixá Sidney. Candomblé entrevista concedia à autora em 17 de setembro de 2005.

FONSECA, Maria Cecília Londres. O Patrimônio em processo - trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ; IPHAN, 1997.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A retórica da perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ; IPHAN, 1996.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG; Brasília: Representações da UNESCO no Brasil, 2003.

IBGE Belo Horizonte Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/belo-horizonte/panorama Acesso dia 19/02/2020. Acesso dia 20 de Março de 2020.

LEN VEM, M. As classes sociais e o poder político na formação espacial de Belo Horizonte (1893-1914). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Dissertação de Mestrado, 1977.

LOTT, Wanessa Pires Patrimônio cultural na cidade de Belo Horizonte: o caso da “Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá” e do terreiro de candomblé “Ilê Wopo Olojukan”. Dissertação (Mestrado em Gestão de Cidades) – PUC Minas, Belo Horizonte, MG, 2005.

LOTT, Wanessa Pires A salvaguarda do patrimônio negro na cidade de Belo Horizonte. Projeto História - Revista do Programa de Estudos Pós-graduados de História, v. 1, p. 49-83, 2018. Disponível em https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/35615 Acesso dia 22 de Março de 2020.

MONTE-MÓR, R. L. “Belo Horizonte: a cidade planejada e a metrópole em construção”. Belo Horizonte – Espaços e tempos em construção. Belo Horizonte: CEDEPLAR/PBH, 1994.

PONTES, Ana Cristina – técnica da Secretaria Municipal de Cultura – Patrimônio Cultural em Belo Horizonte entrevista concedia à autora em 04 de agosto de 2005.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE Lei Orgânica do Município de Belo Horizonte de 21 de março de 1990. Disponível em http://www.pbh.gov.br/smsa/biblioteca/conselho/lei_organica_do_municipio.htm Acesso dia 21 de Março de 2020.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE Lei municipal nº 8.146 de 29 de dezembro de 2000. Disponível em http://bhz5.pbh.gov.br/legislacao.nsf/42d34f6e3014477e0325679f0041f8fa/f2cdf8a81a79d1cc032569c9005609f4?OpenDocument. Acesso em 19 de fevereiro de 2020.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, Secretaria Municipal de Cultura. Inventário de tombamento da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá. Belo Horizonte: Secretaria Municipal de Cultural da Prefeitura de Belo Horizonte, 1994.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, Secretaria Municipal de Cultura. Processo de tombamento da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá. Nº 010869309568. Belo Horizonte: Secretaria Municipal de Cultural da Prefeitura de Belo Horizonte, 1995a

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, Secretaria Municipal de Cultura. Processo de tombamento de Ilê Wopo Olojukan: Deus mais do que tudo. Nº 010915349580. Belo Horizonte: Secretaria Municipal de Cultural da Prefeitura de Belo Horizonte, 1995b.

RUBINO, Silvana. O mapa do Brasil passado. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro. 24, 1996.

SALGEIRO, H. O ecletismo em Minas Gerais: Belo Horizonte 1894-1930. In.: FABRIS, A. (org). Ecletismo na Arquitetura Brasileira. São Paulo: Nobel/Edusp. 1982.

SANTOS, Marisa Velloso M. Nasce a Academia SPHAN. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro. 24, 1996.

SILVA, Fernando Fernandes da. Mário e o Patrimônio: um anteprojeto ainda atual. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro. 30, 2002.

VELHO, Gilberto. Patrimônio, negociação e conflito. Mana. Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 237-248, Abril. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132006000100009&lng=en&nrm=iso Acesso em 21 de Março de 2020.

Downloads

Publicado

2020-05-26

Como Citar

Pires Lott, W. (2020). A construção das políticas patrimoniais de Belo Horizonte: o caso do “Terreiro de Candomblé Ilê Wopo Olojukan” e da “Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá” : The construction of Belo Horizonte’s heritage policies: the case of the “Terreiro de Candomblé Ilê Wopo Olojukan” and the “Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá”. Revista Caminhos Da Historia, 25(1), 139-155. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/2630