Conflitos em torno d’água em Santa Catarina

uma reflexão sob perspectiva ética socioambiental

Palavras-chave: Conflitos ambientais, ética socioambiental, judicialização, água, desenvolvimento regional

Resumo

O trabalho apresenta uma reflexão realizada com base em estudo sobre decisões judiciais proferidas pelo tribunal de Justiça de Santa Catarina com relação aos conflitos socioambientais em torno da água no estado de Santa Catarina, dando ênfase aos casos envolvendo a instalação de hidroelétricas que afetam populações ribeirinhas. O estudo constatou que além de ser uma parcela muito pequena de conflitos que alcançam efetivamente a judicialização, os conflitos que alcançam recebem tratamento pautado por um tipo de argumentação jurídica que associa o interesse geral da comunidade aos interesses das empresas geradoras de energia. Com isto, os direitos dos ribeirinhos e pescadores artesanais afetados são subestimados ou tratados como irrelevantes. Com base nestes dados, faz-se uma análise de cunho ético socioambiental evidenciando que: a argumentação que prevalece pressupõe uma redução instrumental do rio a um ente meramente gerador de energia e que há um espaço argumentativo a ser trilhado defendendo os rios como entidades cujo valor não se reduz aquele instrumentalizável facilmente pelo mercado, que viabiliza a valoração de formas múltiplas e diversas de convivência com o rio, e que garante interesses de humanos e não humanos.

Biografia do Autor

Luciano Félix Florit, Universidade Regional de Blumenau

Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Regional de Blumenau (FURB), Brasil. Líder do Grupo Interdisciplinar em Pesquisas Socioambientais (Grupo IPÊS). E-mail: lucianoflorit@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5437-8234.

Ana Lúcia Bittencourt, Centro Universitário Avantis

Doutora em Desenvolvimento Regional. Membro do Grupo Interdisciplinar em Pesquisas Socioambientais (Grupo IPÊS). Professora do Centro Universitário Avantis, Brasil. E-mail: ana.bittencourt@avantis.edu.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5437-8234.

Referências

BERMANN, C. Impasses e controvérsias da hidroeletricidade. Estud. av. vol.21 no.59 São Paulo, Jan./Apr. 2007.
BITTENCOURT, Ana Lúcia. Conflitos socioambientais em torno da água em Santa Catarina: Desenvolvimento Regional e atuação estatal. 2018. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2018.
CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da “invenção do outro”. In: LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. p. 169-186. (Coleção Sur Sur). Disponível em: . Acesso em: 03 ago. 2018.
FLORIT, Luciano F., SAMPAIO, Carlos A. C., PHILIPPi Jr. Arlindo, Os desafios da ética socioambiental. In, FLORIT, Luciano F., SAMPAIO, Carlos A. C., PHILIPPi Jr. Arlindo (Eds), Ética Socioambiental. Cap1. Editora Manole, 2019. Barueri/SP. ISBN 9788520451380.
FLORIT, Luciano. Ética ambiental ocidental e os direitos da natureza. Contribuições e limites para uma ética socioambiental na América Latina. Revista Pensamiento Actual, v. 17, p. 121-136, 2017.
FLORIT, Luciano. Conflitos ambientais, desenvolvimento no território e conflitos de valoração: considerações para uma ética ambiental com equidade social. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 36, p. 255-271, abr. 2016. DOI: 10.5380/dma. v36i0.41624.
FLORIT, Luciano Felix. Ética ambiental ocidental e os direitos da natureza. Contribuições e limites para uma ética socioambiental na América Latina. Revista Pensamiento Actual, vol. 17, n. 28, p. 121-136, 2017.
FLORIT, L. F. A reinvenção social do natural. Natureza e agricultura no mundo contemporâneo. 1. ed. Blumenau: Edifurb, v. 1. 2004, 192p.
FLORIT, L. F.; OLIVEIRA, L. B.; FLEURI, R. M.; WARTHA, R. Índios do Vale Europeu. Justiça ambiental e território no Sul do Brasil. Novos Cadernos NAEA, v. 19, n. 2, 2016, pp. 21-41.
FREITAS FILHO. R.; LIMA, T.M. Metodologia de Análise de Decisões – MAD. Univ. JUS, Brasília, n. 21, p. 1-17, 2010.
LANDER, E. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. p. 169-186. (Coleção Sur Sur). Disponível em: . Acesso em: 03 ago. 2018.
LASCHEFSKI, Klemens. Licenciamento e equidade ambiental. As racionalidades distintas de apropriação do ambiente por grupos subalternos. In: Andréa Zhouri (org.), As tensões do lugar. Hidrelétricas, sujeitos e licenciamento ambiental. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.
MARCON, M. T. R. A trajetória dos processos de regionalização em Santa Catarina: Escalas geográficas e atores sociais. Tese (Doutorado). 2009. Tese (Doutorado) Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Florianópolis, SC, 2009.
MARTINEZ-ALIER, J. O ecologismo dos pobres. São Paulo: Contexto, 2007.
MIGNOLO, W. Desafios decoloniais hoje. Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu, v. 1, n.1, p. 1232, 2017.
CPT. Conflitos no Campo Brasil 2014. Goiânia: CPT Nacional, 2015.
CPT. Massacres no Campo, 2018. Disponível em: https://www.cptnacional.org.br/component/jdownloads/category/6-conflitos-pela-agua?Itemid=-1 Acesso em: 20 fev. 2018.
SANTA CATARINA. Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Apelação Cível n. 2002.027450-5. Apelantes e Apelados Adão Deoclides da Silva e Tractebel – Energia S/A. Relatora: Desa. Maria do Rocio Luz Santa Ritta. Acórdão 30/08/2005. 2005a. Decisão Unânime com ressalva Des. Carlos Prudêncio. Disponível em: . Acesso em 10 jul. 2017.
SANTA CATARINA. Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Apelação Cível n 2002.024814-8. Apelantes e Apelados pelantes e apelados Tractebel - Energia S/A e José da Rocha. Relatora: Desa. Maria do Rocio Luz Santa Ritta. Acórdão 15/08/2006. 2006. Decisão Unânime com ressalva Des. Carlos Prudêncio. Disponível em . Acesso em 10 jul. 2017.
SILVA, F. P. ; BALTAR, P ; LOURENCO, B. . Colonialidade do saber, dependência epistêmica e os limites do conceito de democracia na América Latina. Revista de Estudos e Pesquisas Sobre as Américas , v. 12, p. 68-87, 2018.
VAINER C. B. Recursos hidráulicos: questões sociais e ambientais. Estudos Avançados, São Paulo, v. 21, n. 59, p. 119-137, abr. 2007.
ZHOURI A, LASCHEFSKI K. Desenvolvimento e conflitos ambientais: um novo campo de investigação. In: ZHOURI A, LASCHEFSKI K, (ORG.). Desenvolvimento e conflitos ambientais. Belo Horizonte: UFMG; 2010. p. 11-31.
ZHOURI, Andréa. Povos tradicionais, meio ambiente e colonialidade. In: Andrea Maria Narciso Rocha de Paula [et.al] (Org.). Povos e comunidades tradicionais: contribuições para outro desenvolvimento. Montes Claros: Editora Unimontes, 2016.
ZHOURI, Andrea. Megaprojetos e violência epistêmica: desafios para a ética ecológica, in FLORIT, L. F.; SAMPAIO, C. A. C.; PHILLIPI JR, A. (Editores). Ética Socioambiental. 1. ed. ISBN 9788520451380. Barueri/SP: Editora Manole, 2019.
Publicado
2020-02-14
Seção
Dossiê