A iniciação esportiva no esporte paralímpico: o caso do voleibol sentado

Sports initiation in paralympic sport: the case of sitting volleyball

Autores

Palavras-chave:

Pessoa com Deficiência; Jogos Paralímpicos; Atletas; Mulheres no esporte; Educação Física inclusiva.

Resumo

Este estudo tem como objetivo averiguar como ocorreu a inserção de atletas da seleção brasileira feminina de voleibol sentado na prática esportiva paralímpica. Para tanto, a coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com cinco atletas que participaram dos Jogos Paralímpicos nas edições de 2012, em Londres, e de 2016, no Rio de Janeiro. Evidenciou-se que a inserção das atletas na prática do voleibol sentado foi intermediada por indicações de profissionais da área da saúde e do esporte, com destaque para os treinadores da modalidade, que desempenharam papel proeminente no processo de iniciação destas atletas no esporte paralímpico. A Educação Física escolar despontou nas falas das atletas como potencial facilitador para o processo de iniciação esportiva, sobretudo, às pessoas com deficiência adquirida na vida adulta. Para tanto, foi ressaltada a necessidade de que as experiências com o esporte na fase escolar sejam positivas, estimulando a permanência na prática da(s) modalidade(s) ao longo da vida e contribuindo para o bem-estar físico e psicossocial da pessoa com deficiência. Os resultados do estudo denotaram que as formas de inserção das mulheres no voleibol sentado no Brasil possuem relações com características que marcaram os primórdios da composição da modalidade no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitória Crivellaro Sanchotene, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda e Mestra em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Integrante do grupo de pesquisa Núcleo de Estudos em História e Memória do Esporte e da Educação Física (NEHME) da UFRGS/CNPq, do Observatório do Esporte Paralímpico/UFRGS e do Centro de Memória do Esporte (CEME/UFRGS). ORCID:  https://orcid.org/0000-0001-9731-5890.

Giandra Anceski Bataglion, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestra em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Integrante do Núcleo de Estudos em História e Memória do Esporte e da Educação Física (NEHME) da UFRGS/CNPq, do Observatório do Esporte Paralímpico/UFRGS e do Centro de Memória do Esporte (CEME/UFRGS). ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8913-9874.

Janice Zarpellon Mazo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pós-doutorado em História (IFCH/UFRGS). Doutora em Ciências do Desporto pela Universidade do Porto (Portugal). Professora da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança da UFRGS. Professora do Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano – Mestrado e Doutorado da UFRGS. Líder do grupo de pesquisa Núcleo de Estudos em História e Memória do Esporte e da Educação Física (NEHME) da UFRGS/CNPq. Coordenadora do Observatório do Esporte Paralímpico/UFRGS e do Centro de Memória do Esporte (CEME/UFRGS). ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8215-0058.

Referências

BATAGLION, Giandra Anceski; MAZO, Janice Zarpellon. Paralimpíadas Escolares (2006-2018): Evidências em mídias digitais acerca do evento esportivo. Recorde - Revista de História do Esporte, Rio de Janeiro/RJ, v. 12, n. 1, p. 1-42, 2019a.

BATAGLION, Giandra Anceski; MAZO, Janice Zarpellon. Paralimpíadas Escolares: representações sociais acerca do esporte paralímpico no Rio Grande do Sul. Revista de Educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco – REVASF, Petrolina/PE, v. 9, n. 19, p. 353-385, 2019b.

BATAGLION, Giandra Anceski; MAZO, Janice Zarpellon. Legados das Paralimpíadas Escolares para o Esporte Paralímpico no Brasil. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação da Câmara dos Deputados, Brasília/DF, v. 12, n. Especial: Políticas e Pesquisas sobre Esporte, p. 24-47, 2019c.

BATAGLION, Giandra Anceski; MAZO, Janice Zarpellon; BEGOSSI, Tuany Defaveri; HAICHI, Marcelo de Castro. A social representation of the disabled person in the paralympic universe: from studens to athlets. In: OLIVEIRA, Ailton Fernando Santana de; HAIACHI, Marcelo de Castro (orgs.). The future of the olympic and paralympic games - 5th Debate Cycle in Olympic and Paralympic Studies. 1 ed. Florianópolis: Tribo da Ilha, v. 1, 2019, p. 195-223.

BEGOSSI, Tuany Defaveri; MAZO, Janice Zarpellon. O percurso das mulheres pioneiras no cenário paralímpico Sul-rio-grandense. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília/DF, v. 24, n. 4, p. 143-155, 2016.

BELTRAME, André Luís Normanton; SAMPAIO, Tânia Mara Vieira. Atendimento especializado em esporte adaptado: discutindo a iniciação esportiva sob a ótica da inclusão. Revista da Educação Física/UEM, [s.l.], v. 26, n. 3, p.377-388, 12 ago. 2015. Universidade Estadual de Maringa. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v26i3.24990.

BENFICA, Dalila Tâmara. Esporte paralímpico: analisando suas contribuições nas (re)significações do atleta com deficiência. 2012. 115f. Sc. Universidade Federal de Viçosa, abril de 2012.

BERTOLDI, Rafaela; et al. Esporte Paralímpico e possíveis fatores determinantes do desempenho esportivo: estudo de caso. Motricidade, Portugal, v. 14, n. S1, p. 254-262, 2018.

BRASIL. Decreto Legislativo nº 186, de 09 de julho de 2008. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. 4ª Ed., rev. e atual. Brasília, Secretaria de Direitos Humanos, p. 100, 2011.

BRASIL, Lei nº10.264, de 16 de julho de 2001. Lei Agnelo/Piva. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LEIS_2001/L10264.htm. Acesso em 10/06/2018.

BRASIL. Lei nº 13146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa Com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 10 de junho de 2019.

CARDOSO, Vinícius Denardin. O desenvolvimento da carreira esportiva de atletas paraolímpicos no Brasil. 2016. 217 f. Tese (Doutorado em Ciências do Movimento Humano) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

CARDOSO, Vinícius Denardin et al. A contribuição da mídia na construção dos ídolos paralímpicos brasileiros. Brazilian Journal of Education, Technology and Society. [S.l.], v. 11, n. 1, p.78-86, 31 mar. 2018. Disponível em: http://brajets.com/index.php/brajets/article/view/471/245. Acesso em: 25 de setembro de 2018.

CARDOSO, Vinícius Denardin et al. Esporte paraolímpico no Brasil: de sua estruturação a sua consolidação. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 1, n. 16, p.59-72, 2017.

CARVALHO, Camila Lopes; GORLA, José Irineu; ARAÚJO, Paulo Ferreira de. Voleibol Sentado: do conhecimento à iniciação da prática. Conexões: Revista da Faculdade de Educação Física da Unicamp, Campinas, v. 11, n. 2, p.97-126, abr./jun. 2013.

CONDE, Antonio João Manescal; SOBRINHO, Pedro Américo de Souza; SENATORE, Vanilton. Manual de Orientação para os Professores de Educação Física: introdução ao Movimento Paraolímpico. Brasília/DF: Comitê Paraolímpico Brasileiro, 2006, 1CD-ROM.

CONDE, António João Menescal. Memória Paralímpica. São Paulo: Comitê Paralímpico Brasileiro, 2018.

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 296 p.

DANTAS, José Agtônio Guedes. Ciclo de debates em estudos Olímpicos e Paraolímpicos. Os desafios do voleibol sentado feminino para os Jogos do Rio 2016. Organização: OLIVEIRA, Ailton Fernando Santana de; HAIACHI, Marcelo de Castro. Diferentes olhares dos Jogos Rio 2016: a mídia, os profissionais e os espectadores. Aracaju: Diário Oficial do Estado de Sergipe, 2018. p. 1-378.

FERNANDES, Flávia de Camargo. O esporte para pessoa com deficiência física: da iniciação esportiva à prática regular. 2019. 1 recurso online (104 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, SP.

FERREIRA, Eliana Lucia (Organizadora). Esportes e atividades físicas inclusivas. v. 5. Niterói: Intertexto, 2014.

GORLA, José Irineu; CALEGARI, Décio Roberto. O esporte como ferramenta de reconhecimento e valorização da pessoa com deficiência no Brasil. Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde, Campinas/SP, v. 15, n. 2, p. 257-270, abr./jun., 2017.

GREGUOL, Márcia; COSTA, Roberto Fernandes da (Organizadores). Atividade Física Adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. 4 ed. Barueri/SP: Manole, 2019.

HAIACHI, Marcelo de Castro. O curso de vida do atleta com deficiência: a deficiência e o esporte como eventos marcantes. 2017. 240 f. Tese (Doutorado em Ciências do Movimento Humano). Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

HAIACHI, Marcelo de Castro et al. Reflexões sobre a carreira do atleta paraolímpico brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 10, p.2999-3006, out. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016001002999&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 07/05/2018.

IBGE. População residente por tipo de deficiência permanente. 2010. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/94/cd_2010_religiao_deficiencia.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.

INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE. Classification: Fair and equal competition. 2015. Official Website of the Paralympic Movement. Disponível em: https://www.paralympic.org/classification. Acesso em: 30 jun. 2019.

INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE. (2019). What are the Paralympic values?. Disponível em: https://www.paralympic.org/feature/what-are-paralympic-values. Acesso em: 05 abr. 2020.

PALACIOS, Jenica María Herrera et al. Fisioterapia y balance en deportistas de voleibol sentado en la Selección Colombia de Voleibol Sentado rama masculina. Revista Cubana de Investigaciones Biomédicas, Ciudad de La Habana, v. 4, n. 33, p.344-354, set. 2014.

REIS, Rafael Estevam; MEZZADRI, Fernando Marinho; SILVA, Marcelo Moraes e. As políticas públicas para o esporte paralímpico no Brasil: apontamentos gerais. Revista Corpoconsciência, Cuiabá. v. 21, n. 1, p. 58-69, jan. 2017.

RESENDE, Mariana Corrêa de. Análise do perfil psicológico de participantes brasileiros de paradesporto em nível escolar: motivação e resiliência. 2018. 96f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São João Del Rei, Programa de Mestrado em Psicologia, São João Del Rei, 2018.

SANCHOTENE, Vitória Crivellaro. Percursos e memórias esportivas das atletas da seleção brasileira feminina de voleibol sentado. 2019. 90 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019.

VICCARI, Gabriely Souza; MATTES, Verônica Volski. Construções e transições de carreira no esporte adaptado: um estudo de caso com uma atleta paralímpica da seleção brasileira do voleibol sentado. Revista da Sobama, Marília, v. 19, n. 2, p. 89102, dez., 2018.

WINNICK, Joseph P. Adapted physical education and sport. 5th edition. Human Kinetics, 2010.

Downloads

Publicado

2020-07-20

Como Citar

Crivellaro Sanchotene, V. ., Anceski Bataglion, G. ., & Zarpellon Mazo, J. . (2020). A iniciação esportiva no esporte paralímpico: o caso do voleibol sentado: Sports initiation in paralympic sport: the case of sitting volleyball. Revista Argumentos, 17(2). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3049

Edição

Seção

Dossiê