Mapeamento de zonas sísmicas no estado de Minas Gerais - Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rvg26752395220241387414

Palavras-chave:

Mapeamento, Zoneamento, Sismos, Minas Gerais

Resumo

A ocorrência de abalos sísmicos em Minas Gerais no decorrer do tempo vem chamando a atenção de autoridades e da população em geral. Tem despertado a atenção de pesquisadores sobre a necessidade de compreender suas causas e sobre a identificação de suas principais áreas de ocorrência, a fim de mitigar os riscos associados. Este estudo tem como objetivo mapear as zonas de atividade sísmica no estado. Utilizando a técnica de densidade de Kernel, foram identificadas cinco grandes áreas de concentração de sismos, nomeadas como Norte 1, Norte 2, Nordeste, Centro-sul e Triângulo. A partir dessas zonas principais, vinte e seis subzonas foram mapeadas para identificar os pontos focais dos sismos. Esse mapeamento detalhado permitirá em estudos futuros investigar as causas subjacentes dos eventos sísmicos, compreender a estrutura geológica das áreas e identificar regiões com maior potencial para futuros sismos. Além disso, fornecerá subsídios para medidas de prevenção e para o desenvolvimento de projetos específicos de gerenciamento de risco sísmico. Este estudo representa um passo significativo em direção a uma compreensão mais profunda da atividade sísmica em Minas Gerais, fornecendo informações cruciais para a segurança e o planejamento urbano.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maykon Fredson Freitas Ferreira, Universidade Estadual de Montes Claros

Mestrado e Graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atuação como Analista de Sismologia do Núcleo de Estudos Sismológicos da Unimontes, vinculado ao Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Manoel Reinaldo Leite, Universidade Estadual de Montes Claros

Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Atuação como professor no Departamento de Geociências da Unimontes e Coordenador do Núcleo de Estudos Sismológicos da Unimontes.

Luis Ricardo Fernandes da Costa, Universidade Estadual de Montes Claros

Doutorado, Mestrado e Graduação em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atuação como Professor no Programa de Pós-Graduação em Geografia e nos cursos de Graduação em Geografia do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Referências

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Projeto de Estruturas Resistentes a Sismos – Procedimentos. Norma Brasileira ABNT NBR 15.421, 2006.

ALKMIM F.F. 2004. O que faz de um cráton um cráton? O Cráton do São Francisco e as revelações Almeidianasao delimitá-lo. In: Mantesso-Neto V., Bartorelli A., Carneiro C.D.R., Brito-Neves B.B. (eds.). Geologia do Continente Sul-Americano: evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo, Beca, p. 17-35. ISBN: 8587256459.

ALKIMIN, Fernando F. História Geológica de Minas Gerais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, 2018. Disponível em: <http://recursomineralmg.codemge.com.br/historia-geologica-de-minas-gerais/>. Acesso em 18 de Setembro de 2023.

ALMEIDA F.F.M. de 1977. O Cráton do São Francisco. Revista. Brasileira de Geociências, 7(4):349-364.

ALMEIDA F.F.M. de, Hasui Y., Brito Neves B.B. de, Fuck R. A. 1981. Brazilian structural provinces: an introduction. Earth Sci. Rev., 17:1-21.

ALMEIDA, A. A. D., Análise probabilística de Segurança Sísmica de Sistemas e Componentes Estruturais, Dissertação de Doutorado, dezembro, PUC-RJ, Rio de Janeiro, 2002.

AGURTO-DETZEL, H.; ASSUMPÇÃO, M.; CIARDELLI, C.; ALBUQUERQUE, D.F.; BARROS, L.V.; FRANÇA, G.S.L. The 2012-2013 Montes Claros earthquake series in the São Francisco Craton, Brazil: new evidence for non-uniform intraplate stresses in mid-plate South America. Geophys. J. Int. submitted. 2014.

ASSUMPÇÃO, M.; DIAS NETO, C. M. Sismicidade e Estrutura Interna da Terra. In: W. Teixeira; M.C. Toledo; T. Fairchild; F. Taioli. (Org.). Decifrando a Terra. 1 ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2000, v. , p. 43-62.

ASSUMPÇÃO, M. et al., 2014. Intraplateseismicity in Brazil, In:Intraplate Earthquakes, chap. 3, ed. Talwani, P., Cambridge Univ. Press.

ASSUMPÇÃO, Marcelo de Sousa et al. Terremotos no Brasil: preparando-se para eventos raros. Boletim SBGf, n. 96, p. 25-29, 2016.

BARROS, L. V., ASSUMPÇÃO, M., QUINTERO, R. & CAIXETA, D. The intraplate Porto dos Gaúchos seismic zone in the Amazon craton – Brazil, Tectonophysics, 469, 37–47. 2009.

BARROS, L. V., CARVALHO, J. M., ALBUQUERQUE, D. F., HUELSEN, M. G. V., CAXETA, D. F., FERREIRA, V. M., FONTENELE, D. P., 2014. Recorrência e migração sísmica em Montes Claros – MG. Expanded abstract, VI Simpósio Brasileiro de Geofísica, Porto Alegre, Brazil, 14-16 October 2014.

BERGAMASCHI, R. B. SIG aplicado a segurança no trânsito – estudo de caso no município de Vitória – ES. 74 f. (Monografia de Graduação). Universidade Federal do Espírito Santo: Vitória, 2010.

BERROCAL, J., ASSUMPCÃO, M., ANTEZANA, R.,DiasNeto,C., ORTEGA,R., FRANÇA, H. & VELOSO, J. A., 1984. Sismicidade do Brasil, IAG/USP and Comissão Nacional de Energia Nuclear, 320 p.

CÂMARA, G.; CARVALHO, M. S. Análise de eventos pontuais. In: DRUCK, S.; CARVALHO, M.S.; CÂMARA, G.; MONTEIRO, A.V.M. Análise Espacial de Dados Geográficos. Brasília, EMBRAPA, 2004.

CAMPOS J.E.G. & DARDENNE M.A. 1997. Origem e evolução da Bacia SanFransciscana. Revista Brasileira de Geociências, 27(3):283-294. doi:10.25249/0375-7536.1997283294.

CAMPOS-NETO M.C. 2000. Orogenic Systems from Southwestern Gondwana: An approach to Brasiliano-PanAfricanCycle and OrogenicCollage in Southeastern Brazil. In: Cordani U.G., Milani E.J., Thomaz Filho A., Campos D.A. (eds.). Tectonic Evolution of South America. Rio de Janeiro, 31o International Geological Congress, Rio de Janeiro, p. 335-365.

CHIMPLIGANOND, C. N. Estudos sobre a sismicidade de Caraíbas-Itacarambi, Minas Gerais: causas e características. 2013. 100 p. Tese de Doutorado – Instituto de Geociências da Universidade de Brasília. Brasília. 2013.

CPRM 2003. DELGADO, I. de M. et al. Geotectônica do escudo atlântico. In: BIZZI, L. A. et al. (org.). Geologia, tectônica e recursos minerais do Brasil: texto, mapas & SIG. Brasília, DF: Serviço Geológico do Brasil - CPRM, 2003. p. 227-334. Disponível em: http://www.cprm.gov.br/didote/pdf/geologia_tectonica.pdf. Acesso em: maio. 2023.

DARDENNE M.A. 2000. The Brasília foldbelt. In: Cordani U.G., Milani E.J., Thomaz Filho A., Campos D.A. (eds.). Tectonic Evolution of South America. 31º International Geological Congress, Rio de Janeiro. p. 231-264.

DOURADO, João Carlos. Mapa de Ameaça Sísmica do Brasil. Congresso Brasileiro de Geologia, 47. Salvador, 2014. Disponível em: <http://www.47cbg.com.br/apresentacoes/PAP015043.pdf>

FONTES, S., SANT’ANA. T., ASSUMPÇÃO. M., A rede sismográfica brasileira - Breve histórico da Sismologia no Brasil. Boletim SBGF, N. 125, p. 10-12, 2023.

GIARDINI, Domenico. The global seismichazard assessment program (GSHAP) – 1992/1999. AnnalidiGeofisica, v. 42, n. 6, p.957-974, dez. 1999. DOI: https://doi.org/10.4401/ag-3780.

GROTZINGER J., JORDAN T.H. 2013. Para entender a Terra. 6. ed. Porto Alegre: Bookman.

IBGE 2019. PROVÍNCIAS estruturais. In: PROVÍNCIAS estruturais, compartimentos de relevo, tipos de solos, regiões fitoecológicas e outras áreas. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. p. 24-60. Acima do título: Macrocaracaterização dos Recursos Naturais do Brasil. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101648>. Acesso em: maio. 2023.

LIMA, M. I. C. de. Província Estrutural da Amazônia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 38., 1994, Camboriú. Boletim de Resumos Expandidos. Camboriú: Sociedade Brasileira de Geologia, 1994. v. 2. p. 410-411.

LOWRIE, W. Fundamentals of Geophysics. 2ª edition, Cambridge UniversityPress, Cambridge, 2007. 381 p.

MAKDONALD, K. C. Exploring the mid-oceanridge. Oceanus 41(1): 2 – 8. 1998.

NÓBREGA, P. G. B. et al. Sobre os Mapas de Perigo Sísmico para o Projeto de Estruturas. In: Congresso Brasileiro do Concreto, 61., 2019, Fortaleza. Anais. 2019.

PEDROSA-SOARES A.C., NOCE C.M., ALKMIM F.F., SILVA L.C., BABINSKI M., CORDANI U.G., CASTAÑEDA C. 2007. Orógeno Araçuaí: Síntese do Conhecimento 30 anos após Almeida 1977. Geonomos, 15(1):1-16. doi: 10.18285/geonomos.v15i1.103

PETERSEN, Mark D.; HARMSEN, Stephen C.; JAISWAL, Kishor S.; RUKSTALES, Kenneth S.; LUCO, Nicolas; HALLER, Kathleen M.; MUELLER, Charles S.; SHUMWAY, Allison M. SeismicHazard, Risk, and Design for South America: U.S. Geological Survey data release, 2018. DOI: 10.5066/F7Wm1BK1.

PIRCHINER, Marlon. Técnicas de suavização aplicadas à caracterização de fontes sísmicas e à análise probabilística de ameaça sísmica. 2014. 106 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Modelagem Matemática da Informação, Escola de Matemática Aplicada, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/14010>.

PRESS, F., SIEVER, R., GROTZINGER, J., JORDAN, T. H. Para entender a Terra. Traduzido por Menegat R., Fernandes P. C. D., Fernandes L. A. D., Porcher C. C. Porto Alegre: Bookman, 2006. 656p.

KAWAMOTO, M. T. Análise de técnicas de distribuição espacial com padrões pontuais e aplicação a dados de acidentes de trânsito e a dados de dengue de Rio Claro–SP. 69 f. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Botucatu: Botucatu, SP, 2012.

RODRIGUES, R. M. R., Geração de acelerogramas sísmicos artificiais compatíveis com um espectro de resposta. Projeto de Graduação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Curso de Engenharia Civil, Rio de Janeiro, 2012.

SANTOS, S. H. C., SOUZA L. S. Estudos da Zonificação Sísmica Brasileira Integrada em um Contexto Sul-Americano. Anais das Jornadas Argentinas de IngenieríaEstructural. Buenos Aires. 2004.

SHEDLOCK, K. M., GIARDINI, D., GRIINTHAL, G. e ZHANG, P. 2000. The GSHAP Global Seismic Hazard Map. Seismological Research Letters 71:979-686.

SILVA, F. C. M. Avaliação do risco sísmico nas regiões nordeste e sudeste do Brasil. Projeto final de graduação – DME, Escola Politécnica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2009.

SYKES, L. R. Intraplateseismicity, reactivation of preexisting zone of weakness, alkaline magmatism, and othertectonismposdating continental fragmentation. Rev. Geophys. 16 (4), 621-688. 1978.

TASSINARI, C. C. G.; Tectônica Global. In: W. TEIXEIRA; M. C. TOLEDO; T. FAIRCHILD; F. TAIOLI. (Org.). Decifrando a Terra. 1 ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2000, v. p. 97-112.

VALERIANO C.M. 2017. The Southern Brasília Belt. In:Heilbron M., Cordani U.G., Alkmim F.F. (eds.). São Francisco craton, eastern Brazil. Tectonic Genealogy of a Miniature Continent. Regional Geology Reviews, Springer International Publishing Co., p. 189-203. ISBN: 9783319017150, doi: 10.1007/978-3-319-01715-0_10

Downloads

Publicado

2024-05-04

Como Citar

Ferreira, M. F. F., Leite, M. R., & Fernandes da Costa, L. R. (2024). Mapeamento de zonas sísmicas no estado de Minas Gerais - Brasil. Revista Verde Grande: Geografia E Interdisciplinaridade, 6(01), 387–414. https://doi.org/10.46551/rvg26752395220241387414