ESCALADA: DE EXPERIÊNCIA ACADÊMICA PARA A VIDA

Autores

  • Igor Maciel da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares https://orcid.org/0000-0002-6560-0475
  • Bárbara Edir Rodrigues Peres Nunes Universidade Federal de Juiz de Fora - MG
  • Renata Martins Universidade Federal de Juiz de Fora - MG

DOI:

https://doi.org/10.46551/rn2022132000060

Resumo

 A investigação de trajetórias nas atividades de aventura na natureza é um aspecto ainda pouco explorado nas narrativas científicas. Portanto, o objetivo desta entrevista é evidenciar a trajetória e a relação do professor Rodrigo Soares de Lima com a escalada, o qual, após ter vivências no curso de graduação em Educação Física em Governador Valadares-MG levou a prática da escalada para a sua vida profissional e pessoal. A metodologia adotada foi a História Oral. Como considerações, apresenta-se que a experiência positiva com o conteúdo na graduação refletiu na trajetória profissional de Rodrigo; é necessária a capacitação e perícia contínua para o trabalho com essas atividades; tais práticas constituem-se de ferramenta importante para mediar debates a respeito da interação de pessoas entre si e com o ambiente natural, e por conseguinte do entendimento de meio ambiente como o que inclui os sujeitos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Igor Maciel da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares

Graduação em Educação Física (UEMG, 2013-2016), mestre (2016-2018) e doutorando (2019-2023) em Estudos do Lazer (UFMG). Atualmente trabalha como professor substituto no curso de Bacharelado em Educação Física da Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares. Possui experiências no ensino da História da Educação Física, Sociologia do Esporte, Pesquisa Qualitativa, Esportes de Aventura, Estudos Olímpicos, Danças, Hidroginástica e Ginástica de academia. Na pesquisa e extensão tem experiência com Danças Circulares. Ofertou palestras sobre gênero e currículo, e diversidade no esporte e na Educação Física. Também trabalhou com colônias de férias, ensino de ballet clássico e danças afro-brasileiras, curadoria de exposições, organização de eventos em Universidades e Faculdades, gestão pedagógica no Ensino EaD, coordenação de periódicos científicos, proposição de Dossiês nas revistas INSEPE e Caminhos da História, membro de conselho editorial e avaliador de artigos. Suas publicações permeiam as temáticas tempo livre, esporte, dança, cinema e mulheres nas diversões. Fora isso, desenvolve atividades de ilustração e literatura com dois livros de contos publicados pela Valor Editora e seleção em concursos literários nas categorias crônica e poesia.

Currículo: http://lattes.cnpq.br/7695738227562483

Referências

ALMEIDA, A. C. P. C. de. Esporte, aventura e natureza: o praticante e a responsabilidade ambiental. In: MARINHO, A.; UVINHA, R. R. Lazer, esporte, turismo e aventura: a natureza em foco, Campinas, SP: Editora Alínea, 2009, p. 45-85.

BAHIA, M. C.; SAMPAIO, T. M. V. Lazer- Meio ambiente: em busca das atitudes vivenciadas nos esportes de aventura. Rev. Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 28, n. 3, 2007, p. 173-189.

BEI. Esportes de aventura ao seu alcance. São Paulo: Bei comunicação, 2002, 178 p.

DEBORTOLI, J. A. O. Lazer/ócio e educação em processos de participação, envolvimento e aprendizagem cotidiana. In: SILVA, V. P.; SILVA, D. S. (Org.). Lazer, vida de qualidade e direitos sociais. Curitiba: InterSaberes, 2020, p. 63-77.

JUNIOR, L. G.; LEMOS, Fábio R. M.; CHECCI, C. M. S. Do conformismo do lazer à radicalidade do ócio: esperançando o bem viver. In: SILVA, V. P.; SILVA, D. S. (Org.). Lazer, vida de qualidade e direitos sociais. Curitiba: InterSaberes, 2020, p. 17-34.

MARINHO, A. Atividades na natureza, lazer e educação ambiental: refletindo sobre algumas possibilidades. Motrivivência. Florianópolis, Santa Catarina, ano XVI, n.22, 2004, p. 1-15.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Física, Resolução CNE/CES, nº 6, 18 de dezembro de 2018. Disponível em: https://www.semesp.org.br/wp-content/uploads/2018/12/RESOLU%C3%87%C3%83O-CNE_CES-N%C2%BA-6-DE-18-DE-DEZEMBRO-DE-2018.pdf. Acesso em: 23 fev. 2022.

MUNSTER, M. A. V. Esportes na natureza e deficiência visual: uma abordagem pedagógica. 311 f. 2004. Tese (doutorado), Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2004.

PORTELLI, A. O que faz a História Oral diferente. Projeto História, São Paulo, n. 14, 1997, p. 25-39.

TEREZANI, D. R; BAHIA, M. C.; ANDRADE, C. P.; ROSA, M. C.; BARBOSA, F. S.; MARCELLINO, N. C. Lazer e meio ambiente na Revista Licere, Rev. Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, 21 (1), 2013, p. 16-26.

REPHO. Manual de procedimentos do Repositório de Entrevistas de História Oral da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2020, 27 p. Disponível em: https://www.ufrgs.br/repho/wp-content/uploads/2020/11/Manual-do-Repositorio-de-Entrevistas-de-Historia-Oral-versao-novembro-2020.pdf. Acesso em: 22 fev. 2022.

Publicado

2022-09-29

Como Citar

MACIEL DA SILVA, I.; EDIR RODRIGUES PERES NUNES, B. .; MARTINS, R. . ESCALADA: DE EXPERIÊNCIA ACADÊMICA PARA A VIDA . RENEF, [S. l.], v. 13, n. 20, p. 2–18, 2022. DOI: 10.46551/rn2022132000060. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renef/article/view/4995. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Entrevista