COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS (IDEAIS VERSUS REAIS): PERCEPÇÕES DE ALUNOS E PROFESSORES DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA DA FUNORTE

Autores

  • Talita Ribeiro da Luz Faculdade Novos Horizontes
  • Elbe Figueiredo Brandão Santiago Universidade de Montes Claros – UNIMONTES

Resumo

Resumo: O processo de formação acadêmica assumiu maior importância em função da globalização e das alterações que as propostas curriculares trouxeram aos cursos de graduação no Brasil. Assim, pensar na formação e no desenvolvimento de competência dos alunos tornou-se uma reflexão necessária. Com este objetivo, realizou-se uma pesquisa de campo, descritiva
e comparativa, com professores e alunos do curso de Fonoaudiologia em Montes Claros. O referencial teórico foi composto de duas temáticas: Profissão e Competência Profissional. Na percepção de alunos e professores todos os indicadores relacionados à perspectiva ideal do curso na formação de competências profissionais, segundo o modelo de Fleury e Fleury (2001) foram estatisticamente maiores do que a perspectiva real do aluno, exceto em um indicador. Quanto às competências previstas nas Diretrizes Curriculares Nacionais, verificou-se que o que é efetivamente desenvolvido pelos respondentes quanto às competências profissionais não corresponde às expectativas assinaladas pelos mesmos nos itens do questionário aplicado.


Palavras-chave: Competências Profissionais; Profissões; Fonoaudiologia; Percepção de alunos; Percepção de Professores; Modelo de Competências

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talita Ribeiro da Luz, Faculdade Novos Horizontes

Doutora e Mestre em Administração pela UFMG – Brasil. Coordenadora do Mestrado Acadêmico
em Administração da Faculdade Novos Horizontes – Minas Gerais – Brasil. 

Elbe Figueiredo Brandão Santiago, Universidade de Montes Claros – UNIMONTES

Mestranda em Administração pela Faculdade Novos Horizontes – Minas Gerais Brasil. Professora da Universidade de Montes Claros – UNIMONTES.

Referências

ABOTT, A. The System of Professions.The University of Chicago Press, 1988.

ALVES, P. A Educação superior contemporânea: entre o humanismo e o mercado. Revista Científica das Escolas de Comunicação e Artes e Educação. Universidade Potiguar – LaureateInternationalUniversities. Repositório Científico. Aceite em julho de 2013.

BRASIL. Lei 9.394. Brasília: 1996. (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB)

BOTERF, G. De lacompétence: essisur um attracteurétrange. Paris Editions d’Organisation, 1994.

BRAGA, R. O Ensino Superior no Brasil: presente e futuro. Estudos e Deba- tes 2. Brasília: Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, 1979.

CATANI, A. M.; OLIVEIRA, J. F.; Educação Superior no Brasil: reestruturação e metamorfose das universidades públicas. Petrópolis: Vozes 2002 a.

CUNHA, M. V.; CRIVELLARI, H.M.T. O mundo do trabalho na sociedade do conhecimento e os paradoxos das profissões de informação. In: VALENTIM, M.L.P. (org.) Atuação profissional na área de informação. São Paulo: Polis 2004. P-41-54.

DADOY, M. As Noções de Competência e Competências, á luz das transformações na Gestão da Mão de obra. IN TOMASI, A. (org.) Da Qualificação á competência. Campinas: Papirus, 2004.

DESAULNIERS, J. B. R. Formação, Competência e Cidadania. Educação e Sociedade. Ano XVIII, n60, p.51-63, de 1997.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Estratégias Empresariais e Formação de Competências. Atlas S.A. São Paulo, 2001.

FRAUCHES, C.C. (ORG.) Diretrizes Curriculares para os cursos de graduação. Brasília: ABMES, 2008, 702 p.

FREIDSON, E. Renascimento do profissionalismo: teoria, profecia e política. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

GYAMARTY K. G. Professions: anideology? International Social Science Journal, i. XXVII. N 4, 1975

LUZ, T. R. Formação de Competências Profissionais em Alunos de Cur- sos Superiores de IES Mineiras: comparando percepções de docentes e discentes. FNH- Faculdade Novos Horizontes – Projeto aprovado pela FAPEMIG- Fundação de Amparo a Pesquisa de Minas Gerais, 2011.

MACHADO, N. J. Sobre ideia de competência. In: Perrenoud, P. et alii – Competência para ensinar no século XXI. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA, http://emec.mec.gov.br, acesso em 20 de março de 2011.

PARSONS, T. Professions. In: International encyclopaedia of the social sciences. S. 1 Macmillan, 1968, v. 12.

PARSONS, T. The professions and Social Structure. IN: Essays in Sociological Theory, New York: Free Press, 1954.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

RUAS, R.L. Desenvolvimento de Competências Gerenciais e Contribuição da Aprendizagem Organizacional. In: FLEURY, M. T. L., OLIVEIRA Jr.,M. M. Gestão Estratégica do Conhecimento. São Paulo: Atlas, 2001.

STARR, P. La transformación Social de La Medicina em lós Estados Unidos de América. México: Fondo de Cultura Econômica, 1991.

TARGINO, M. G. Quem é o profissional da Informação? Transformação, Campinas, v.12, n. 2, p. 61-69, jul-dez. 2000.

WEBER, Max. Essays in sociology. New York, Oxford University Press, 1946

WILENSKY, H. L. The Professionalization of everyone? American Journal of Sociology, 70, p.137-58, 1964.

ZARIFIAN, P. A Gestão da e pela competência. Centro Internacional para Educação, trabalho e transparência Tecnologia. Rio de Janeiro, 1996.

Downloads

Publicado

2021-04-07

Edição

Seção

Artigos