ANÁLISE DA DESIGUALDADE DE RENDA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS EM 2000 E 2010: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAIS (AEDE)

Autores

  • Éder de Souza Beirão Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Kelly Jaciara Fernandes da Silva Nunes Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Luíz Filipe Rodrigues dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Resumo

Resumo: O presente estudo tem como objetivo analisar a distribuição espacial do Índice de Gini nos municípios do estado de Minas Gerais nos anos 2000 e 2010. Foi utilizada a metodologia de Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE). A variável utilizada foi o coeficiente de Gini. Os dados foram obtidos junto a plataforma Atlas do Desenvolvimento Humano e foram analisados no software de estatística e econometria espacial, GeoDa. Os indicadores utilizados neste trabalho foram o I de Moran, utilizado para a verificação da autocorrelação espacial e o Local Indicator of Spatial Association – LISA, usado para a identificação da existência de clusters espaciais. O mapa de desvio-padrão possibilitou observar que, no período de uma década, ocorreu a redução da desigualdade de renda nos municípios mineiros, pois o coeficiente de Gini médio passou de 0,54 em 2000 para 0,47 no ano de 2010. O I de Moran Global mostrou que há autocorrelação espacial negativa nos dois períodos analisados, sugerindo que os municípios com elevada concentração de renda não estavam cercados por vizinhos na mesma situação e as unidades com baixa concentração de renda não necessariamente estavam rodeadas por municípios com baixa concentração. Através da análise do LISA, foi possível verificar que as regiões do estado de Minas que obtiveram maior concentração de renda foram a Central Mineira e a Metropolitana de Belo Horizonte. No que diz respeito às mesorregiões com menor concentração de renda chegou-se as mesorregiões do Oeste de Minas e Sul/Sudoeste de Minas, Noroeste de Minas e Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba se destacaram.

Palavras-chave: Análise Exploratória de Dados Espaciais; Autocorrelação espacial; Cluster espacial; Desigualdade de renda; Minas Gerais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Éder de Souza Beirão, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Mestre em Desenvolvimento Social pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Kelly Jaciara Fernandes da Silva Nunes, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Mestra em Desenvolvimento Econômico e Estratégia Empresarial pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Luíz Filipe Rodrigues dos Santos, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Mestre em Desenvolvimento Social pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Referências

ALMEIDA, E. Econometria espacial aplicada. Campinas/SP: Editora Alínea, 2012.

ANSELIN, L. Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v.27, n.2, p.93-115, 1995.

___________. Interactive techniques and exploratory spatial data analysis. In: LONGLEY, P. A. et al. (Ed.) Geographic information system: principles, techniques, management and applications. Nova York Wiley, 1999.

ANSELIN, L.; BERA, A. K. Spatial dependence in linear regression models with an introduction to spatial econometrics. In: ULLAH, A. Y.; GILES, D. (Eds.). Handbook of applied economic statistics. New York: Marcel Ockker, cap. 7, p. 237-289, 1998.

BONELLI, R.; RAMOS, L. Distribuição de renda no Brasil: avaliação das tendências de longo prazo e mudanças na desigualdade desde meados dos anos 70. Revista de Economia Política, v. 13, n. 2, 50, p. 76-97, 1993.

CIMADAMORE, A. D.; CATTANI, A. D. A construção da pobreza e da desigualdade na América Latina: uma introdução. In: CIMADAMORE, A. D.; CATTANI, A. D. (Orgs.). Produção de pobreza e desigualdade na América Latina. Porto Alegre: Tomo Editorial/Clacso, 2007.

DEININGER, K.; SQUIRE, L. Measuring Income and Inequality: A New Database. Development Discussion Papers, n. 537, Havard University College, May 1996.

DUBIN, R. A. Spatial Autocorrelation: A Primer. Journal of Housing Economics, v.4, n.7, p.304-327, 1998.

GOLGHER, A. B. Introdução à econometria espacial. Jundiaí: Paco Editorial, 2015.

HARVEY, D. Os limites do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

LANGONI, C. G. Distribuição de renda e desenvolvimento econômico no Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

MARCONATO, M. et al. A focalização do Programa Bolsa Família nos municípios de Santa Catarina: uma análise espacial. Informe Gepec, Toledo, v. 19, n. 1, p. 38-37, 2015.

MORAN, P. A. P. The interpretation of statistical maps. Journal of Royal Statistical Society, v.10, n.2, p.243-251, 1948.

MORRISSON, C. La Répartition des revenus. Paris: PUF, 1996.

NERI, M. Miséria e a nova classe média na década da igualdade. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

NEVES, C. et al. Análise do Índice de Gini nos municípios de Santa Catarina em 2000 e 2010: uma abordagem exploratória de dados espaciais. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos - RBERU, Vol. 09, n. 2, pp. 209-227, 2015.

OLIVEIRA, K. F. Uma análise espacial da insuficiência e da desigualdade de renda nos municípios sergipanos, 1991-2000. In: Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, 3, Aracaju/SE, 2006.

PIKETTY, T. A economia da desigualdade. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015. POCHMANN, M. Nova classe média: o trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Boitempo, 2012.

SHORROCKS, A. F. Inequality decomposition by factor components. Econométrica, v. 50, n. 01, p. 193-211,1982.

SILVA, L. D. C.; AMARANTE, P. A.; SILVA, J. R. A pobreza extrema nos municípios baianos: um estudo de dependência espacial com dados do censo 2010. In: Anais do Encontro de Economia Baiana, 10, 2014, Salvador: UFPB, p. 158-187, 2014.

SILVA, L. N. S.; BORGES, M. J.; PARRÉ, J. L. Distribuição espacial da pobreza no Paraná. Revista de Economia, Curitiba, v. 30, n. 3, p. 35-58, 2014.

SPRANDEL, M. A. A pobreza no paraíso tropical: interpretações e discursos sobre o Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumatá: Núcleo de Antropologia da Política/UFRJ, 2004.

WILKINSON, R.; PICKETT, K. The Spirit Level: Why Equality is Better for Everyone. Penguin Books, UK, 2010.

Downloads

Publicado

2021-03-24

Edição

Seção

Artigos