O MERCADO MUNICIPAL DE ARAGUAÍNA/TO COMO PROPULSOR DE ALIMENTOS DO CERRADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc24482692202018014465

Palavras-chave:

Conservação da biodiversidade. Segurança alimentar e nutricional. Tocantins.

Resumo

Este estudo teve como objetivo compreender a importância do Mercado Municipal de Araguaína/TO como propulsor de alimentos do cerrado, gerando segurança alimentar e nutricional aos feirantes e aos consumidores, visto que acontece primeiramente o autoconsumo e posteriormente a comercialização, garantindo renda e sustento às famílias. O delineamento utilizado foi o estudo de caso. Foram aplicados questionários semiestruturados junto aos feirantes do Mercado Municipal, no período de setembro à novembro de 2019, além de levantamento de material bibliográfico e registro fotográfico. Os resultados mostram que houveram diversos conflitos entre feirantes e comerciantes para posterior implementação pelo poder público do Mercado Municipal de Araguaína, o que aconteceu em 1978, garantindo assim, inclusão social e renda, fortalecimento da cadeia produtiva dos frutos do cerrado, além da promoção da segurança alimentar entre feirantes e consumidores locais. Porém, esses alimentos estão ameaçados com o avanço da soja e pecuária sobre o bioma cerrado, comprometendo a diversidade de produtos ofertados pelos feirantes do Mercado Municipal em Araguaína.

Palavras-chave: Espaço público. Mercado municipal. Araguaína.

 

THE MUNICIPAL MARKET OF ARAGUAÍNA/TO AS A FOOD DRIVER IN THE CERRADO

ABSTRACT

This study aimed to understand the importance of the Municipal Market of Araguaína/TO as a propellant of food in the cerrado, generating food and nutritional security for marketers and consumers, since self-consumption and then commercialization take place, guaranteeing income and sustenance for the families. The design used was the case study. Semi-structured questionnaires were applied to market vendors in the Municipal Market, from September to November 2019, in addition to a survey of bibliographic material and photographic record. The results show that there were several conflicts between marketers and traders for subsequent implementation by the public authorities of the Araguaína Municipal Market, which happened in 1978, thus guaranteeing social inclusion and income, strengthening the productive chain of cerrado fruits, in addition to promoting food security between marketers and local consumers. However, these foods are threatened by the advance of soy and livestock over the cerrado biome, compromising the diversity of products offered by market vendors in the Municipal Market in Araguaína.

 Keywords: Public place. Municipal market. Araguaína. 

 

EL MERCADO MUNICIPAL DE ARAGUAÍNA/TO COMO CONDUCTOR DE ALIMENTOS EN EL CERRADO

RESUMEN

Este estudio tuvo como objetivo comprender la importancia del Mercado Municipal de Araguaína/TO como propulsor de alimentos en el cerrado, generando seguridad alimentaria y nutricional para comercializadores y consumidores, ya que se produce el autoconsumo y luego la comercialización, garantizando ingresos y sustento para las familias de la familia. El diseño utilizado fue el estudio de caso. Se aplicaron cuestionarios semiestructurados a vendedores de mercado en el Mercado Municipal, de septiembre a noviembre de 2019, además de una encuesta de material bibliográfico y registro fotográfico. Los resultados muestran que hubo varios conflictos entre comercializadores y comerciantes para la posterior implementación por parte de las autoridades públicas del Mercado Municipal de Araguaína, que ocurrió en 1978, garantizando así la inclusión social y los ingresos, fortaleciendo la cadena productiva de frutos cerrados, además de promover seguridad alimentaria entre comercializadores y consumidores locales. Sin embargo, estos alimentos están amenazados por el avance de la soya y el ganado sobre el bioma cerrado, lo que compromete la diversidad de productos ofrecidos por los vendedores en el Mercado Municipal de Araguaína.

 Palabras-clave: Espacio público. Mercado municipal. Araguaína.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osmar Oliveira de Moura, Universidade Federal do Tocantins – UFT, Araguaína, Tocantins, Brasil

Possuiu Graduação em Geografia pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Atuou como bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Atualmente é Membro do Grupo de estudos “Educação para e no século XXI: diálogos interdisciplinares, escritas e eventos acadêmicos” e Grupo de Estudos Agrários e Direitos Humanos (GEADH/UFT).

Ana Caroline Pereira dos Santos, Universidade Federal do Tocantins – UFT, Araguaína, Tocantins, Brasil

Possuiu Graduação em Geografia pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Bolsista do CNPq com o projeto de pesquisa intitulado “Dinâmica da Paisagem da microrregião geográfica de Araguaína/TO: subsídios para o planejamento e conservação ambiental” e integrante do grupo de pesquisa Análise da paisagem, conservação da biodiversidade e agroecologia na Amazônia Legal (GeoPaisagem).

Silvania Reis de Araújo, Universidade Federal do Tocantins – UFT, Araguaína, Tocantins, Brasil

Graduanda em Geografia pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Maurício Ferreira Mendes, Universidade Federal do Tocantins – UFT, Araguaína, Tocantins, Brasil

Possuiu Graduação em Biologia e Geografia pela Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT), Mestrado em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola pela Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). É professor do curso de Geografia da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Câmpus Araguaína, e colaborador do programa de mestrado em Demandas Populares e Dinâmicas Regionais (PPGDire). Líder do grupo de pesquisa Análise da paisagem, conservação da biodiversidade e agroecologia na Amazônia Legal (GeoPaisagem).

Referências

AB' SABER, A. N. Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

BARBOSA, M. G. R. O Mercado Municipal de Araguaína: um Enfoque Sobre Comércio Informal. 2010. 30 f. Monografia (Graduação em Geografia) – Universidade Federal do Tocantins, Araguaína/TO, 2010.

BARROS, I. F. O agronegócio e a atuação da burguesia agrária: considerações da luta de classes no campo. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 131, p.175-195, 2018.

BEZERRA, J. L. M. Educação Patrimonial: novas perspectivas para o ensino de História. 2016. 119 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História). Universidade Federal do Tocantins, Araguaína/TO, 2016.

BRASIL. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11346.htm. Acesso em: 16 dez. 2019.

CASTILLO, R. Agronegócio e Logística em áreas de cerrado: expressão da agricultura científica globalizada. Revista da ANPEGE, João Pessoa, v. 3, n. 3, p. 21-27, 2007.

CASTILHO, D. CHAVEIRO, E. F. Por uma análise territorial do cerrado. In: PELÁ, M.; CASTILHO, D. (Orgs.). Cerrados: perspectivas e olhares. Goiânia: Editora Vieira, 2010. p.35-50.

CASTRO, I. E. Geografia política: território, escalas de ação e instituições. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CHAVEIRO, E. F.; BARREIRA, C. C. M. A. Cartografia de um pensamento de cerrado. In: PELÁ, M.; CASTILHO, D. (Orgs.). Cerrados: perspectivas e olhares. Goiânia: Editora Vieira, 2010. p. 15-33.

COSTA, L. D. Relações sociais na cidade de Araguaína: um enfoque sobre o mercado municipal (1971-2005). 2005. 32 f. Monografia (Graduação em História). Universidade Federal do Tocantins, Araguaína/TO, 2005.

CONSERVAÇÃO INTERNACIONAL. Relatório anual de atividades. 2005. Disponível em: https://www.conservation.org/docs/default-source/brasil/ci-relatorio-anual-de-atividades-2005-baixa-150.pdf?sfvrsn=d657d7e8_2. Acesso em: 10 dez. 2019.

DROST, S.; KUEPPER, A. B.; PIOTROWSKI, P. M; ADVISERS, C. Tocantins: um hotspot para o desmatamento do cerrado. 2019. Disponível em: https://chainreactionresearch.com/wp-content/uploads/2019/04/CRR_Tocantins-Report-Portuguese.pdf. Acesso em: 06 out. 2019.

EMBRAPA CERRADOS. Manejo e aproveitamento de frutas nativas do cerrado. Brasília: Embrapa Cerrados, 2004.

EQUIPO PLANTEL. O que são classes sociais? São Paulo: Boitatá, 2016.

GANEM, R. S.; DRUMMOND, J. A.; FRANCO, J. L. A. Ocupação humana e impactos ambientais no bioma cerrado: dos bandeirantes à política de biocombustíveis. In: IV Encontro Nacional da Anppas, 2008, Brasília. p. 1-20. Disponível em: http://www.anppas.org.br/encontro4/cd/ARQUIVOS/GT5-484-211-20080518092403.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D.; T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

HASHIZUME, M. Município do Tocantins lidera ranking de soja e de pobreza. Disponível em: https://reporterbrasil.org.br/2009/07/municipio-do-tocantins-lidera-ranking-de-soja-e-de-pobreza/. Acesso em: 21 dez. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Índice de Desenvolvimento Humano. 2010. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/to/pesquisa/37/30255?tipo=ranking&localidade1=170384. Acesso em: 22 dez. 2019.

KLINK, C. A.; MACHADO, R. B. A conservação do cerrado brasileiro. Revista Megadiversidade, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 147-155, 2005.

LIMA, D. A. Terra, trabalho e acumulação: o avanço da soja na região Matopiba. 2019. 291 f (Doutorado em Geografia) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, SP, 2019.

MAZOYER, M.; ROUDART, L. História das agriculturas no mundo do neolítico à crise contemporânea. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

MENDES, M. F. Políticas públicas em assentamentos rurais: potencialidades e limitações do PAA e do PNAE em Mato Grosso. 2017. 234 f. Tese (Doutorado) Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Socioambientais (IESA/UFG), Programa de Pós-Graduação em Geografia, Goiânia, 2017.

MENDES, M. F.; NEVES, S. M. A. S.; MACHADO, T. S. The Food Acquisition Program as an inducer of food sovereignty. Mercator, Fortaleza, v. 18, e18024, p. 1-15, 2019.

MONTEIRO, D. C. B.; PIRES, C. R. F. Avaliação da estabilidade físico-química de geleias de murici armazenadas sob diferentes condições de temperatura e luminosidade. Revista Desafios, Palmas, v. 03, n. especial, p. 87-98, 2016.

OLIVEIRA, A. G.; COSTA, M. C. D.; ROCHA, S. M. B. M. Benefícios funcionais do açaí na prevenção das doenças cardiovasculares. Journal of Amazon Health Science, v. 1, n.1, p.1-10, 2015.

PUHL, V. J. De uma agricultura sustentada à sustentável. Caderno Mato Grosso Sustentável e Democrático. Cuiabá: Formad, 2006. p. 71-83.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do poder. SP: Ática, 1993.

REIS, A. F.; SCHMIELE, M. Características e potencialidades dos frutos do cerrado na indústria de alimentos. Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v. 22, p. 1-12, 2019.

RIBEIRO, C. L.; PEREIRA, R. J.; PIRES, C. R. F.; LACERDA, G. E.; NASCIMENTO, G. N. L. Composição centesimal e aspectos físico-químicos dos frutos da bacaba (Oenocarpus distichus Mart.). Revista Cereus, Gurupi, v. 9, n. 3, p. 153-170, 2017.

RODRIGUES, E. T. Frutas do cerrado: a influência do cerrado na diversificação da gastronomia. 2004. 88 f. Monografia (Pós-graduação em Gastronomia e Segurança Alimentar), Universidade de Brasília, Brasília/DF, 2004.

SILVA, R. A. Desigualdades socioespaciais na cidade média de Araguaína-TO. 2016. 181 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Estadual do Ceará, Centro de Ciências e Tecnologia, Fortaleza, 2016.

SOUZA, L. B. Implicações climática de um modelo neodesenvolvimentista: impactos, riscos e injustiças no estado do Tocantins, Brasil. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba, v. 19, n. 12, p. 129-145, 2016.

TUAN, YI-FU. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 1983.

ZUNINGA, A.; COQUEIRO, K. T. O.; SIQUEIRA, M. A. S. Capacidade antioxidante de frutos nativos do cerrado (Hancornia speciosa, Campomanesi axanthocarpa, Eugenia dysenterica) uma breve revisão. Revista Desafios, Palmas, v. 5, n. 1, p. 128-134, 2018.

Publicado

2020-04-08

Como Citar

OLIVEIRA DE MOURA, O.; PEREIRA DOS SANTOS, A. C.; REIS DE ARAÚJO, S.; FERREIRA MENDES, M. . O MERCADO MUNICIPAL DE ARAGUAÍNA/TO COMO PROPULSOR DE ALIMENTOS DO CERRADO . Revista Cerrados, v. 18, n. 01, p. 44-65, 8 abr. 2020.