Mapeamento geomorfológico aplicado ao estudo de uso e cobertura da terra no Planalto Central

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202226

Palavras-chave:

fatores ambientais, relevo, geossistemas, agroecossistemas

Resumo

O objetivo da pesquisa foi relacionar unidades geomorfológicas ao uso e cobertura da terra em duas bacias hidrográficas no Planalto Central. Com áreas, que somadas, chegam a 34.641,95 km² as bacias do Rio das Almas (GO) e do Rio Maranhão (DF/GO) foram definidas como área de estudo. Para a extração das variáveis morfométricas foram utilizados dados do SRTM e, a partir da composição colorida, com as variáveis de altimetria, declividade e curvatura mínima, respectivamente nos canais RGB, foram mapeadas oito unidades geomorfológicas por meio de vetorização em tela. As unidades definidas foram as seguintes: 1) Chapada e Remanescentes (3,05%); 2) Frentes de Recuo Erosivo (12,51%); 3) Rampas de Colúvio I (4,53%); 4) Planalto Retocado (31,57%); 5) Depressão Interplanáltica (18,69%); 6) Rampas de Colúvio II (11,99%); 7) Serras (14,35%); 8) Depressão Dissecada (3,28%). As unidades obtidas foram integradas aos dados de uso e cobertura da terra em relação às frequências da altimetria e declividade. Essa relação evidenciou que as áreas mais propícias para o desenvolvimento da agricultura ocorrem nas porções mais planas e contínuas, relacionadas com as unidades Chapadas e Remanescentes, Rampas de Colúvio I e II, Planalto Retocado, Depressão Interplanáltica, e a Depressão Dissecada. Já as pastagens, florestas e vegetação nativa ocorrem em todas as unidades geomorfológicas, mas geralmente relacionadas com os relevos mais declivosos e movimentados. Os resultados ainda indicaram que o mapeamento geomorfológico é uma ferramenta importante para compreensão da dinâmica da paisagem uma vez que possibilita identificar os limites naturais da paisagem para o uso e ocupação agrícola e o seu potencial de expansão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Cardoso Mendes, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT, Brasília (DF), Brasil

É Graduada em Engenharia Florestal pela Universidade de Brasília (UnB) e Mestre em Geociências Aplicadas pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente Engenheira Florestal na Coordenação de Desapropriação e Reassentamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

 Endereço: Quadra 03, Lote A, SAUN, Brasília - DF, CEP 70040-902.

Éder de Souza Martins, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, Brasília (DF), Brasil

É Graduado, Mestre e Doutor em Geologia pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente Pesquisador da Embrapa Cerrados Professor e orientador de Pós-Graduação em Geografia e Ciências Ambientais na Universidade de Brasília (UnB).

Endereço: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados, Cpac. BR 020, km 18, Rod. Brasília / Fortaleza, Pedologia, Cx.P 08223.

Elton Souza Oliveira, Observatório das Dinâmicas Socioambientais – ODISSEIA, Brasília (DF), Brasil

É Graduado em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), Mestre e Doutor em Geociências Aplicadas pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente Pesquisador do Observatório das Dinâmicas Socioambientais (ODISSEIA).

Endereço: Instituto de Geociências, Universidade de Brasília Campus Universitário Darcy Ribeiro ICC - Ala Central. CEP 70.910-900 - Brasília DF.

Referências

BARBOSA, O. Guia das Excussões. In: Simpósio Brasileiro de Geologia. São Paulo, 1995. p. 3-5.

BEEK, K. J. Land evaluation for agricultural development: some explorations of land-use systems analysis with particular reference to Latin America. Wageningen: International Institute for Land Reclamation and Improvement, n. 23, p. 333, 1978.

BISPO, P. C.; VALERIANO, M. M.; KUPLICH, T. M. Variáveis geomorfométricas locais e sua relação com a vegetação da região do interflúvio Madeira – Purus (AM-RO). Acta Amazônica, [S./l.], v.39, p. 81-90, 2009.

BISPO, P. C.; VALERIANO, M. M.; KUPLICH, T. M. Relação da vegetação de caatinga com condição geomorfométrica local. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, [S./l.], v.14, p. 523-530, 2010.

CAMPOS, J. E. G.; DADERNNE, M.A.; FREITAS SILVA, F.H.; MARTINS FERREIRA, M.A.C. Geologia do Grupo Paranoá na porção externa da Faixa Brasília. Brazil Journal Geology, [S./l.], v.43, n.3, p. 461-476, 2013.

CAMPOS NETO, M. Contribuition à l’estude des Brasilides. Litoestratigraphie et structure des Groupes Canastra, Paranoá e Bambuí dans l’ouest-nord-ouest de l’Etat de Minas Gerais, Brésil. 1979. 155f. Tese (Doutorado) - Universidade de Paris, 1979.

CARVALHO, T. M.; FERREIRA, M. E.; BAYER, M. Análise integrada do uso da terra e geomorfologia do Bioma Cerrado: um estudo de caso para o Goiás. Revista Brasileira de Geografia Física, [S./l.], v.1, n.1, p. 62-72, 2008.

CASTRO, K. B.; MARTINS, E. S.; GOMES, M. P.; REATTO, A.; LOPES, C. A.; PASSO, D. P.; LIMA, L. A. S.; CARDOSO, W. S.; CARVALHO JÚNIOR, O. A.; GOMES, R. A. T. Caracterização Geomorfológica do Município Luís Eduardo Magalhães, Oeste Baiano, escala 1:100.000. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 288. Brasília. Embrapa Cerrados, 2010. 32p,

CAVALCANTE, A. A.; CUNHA, S. B. Morfodinâmica fluvial em áreas semiáridas: discutindo o Vale do Rio Jaguaribe- CE- Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, [S./l.], v.13, n.1, p.39-49, 2012.

COSTA, H.C.; MARCUZZO, F.F.N.; FERREIRA, O.M.; ANDRADE, L.R. Espacialização e sazonalidade da precipitação pluviométrica do Estado de Goiás e Distrito Federal. Revista Brasileira de Geografia Física, [S./l.], v.1, p. 87-100, 2012.

COUTO JÚNIOR, A. F.; SOUZA, V. V.; CARVALHO JÚNIOR, O. A.; MARTINS, E. S.; SANTANA, O. A.; FREITAS, L. F.; GOMES, R. A. T. Integração de parâmetros morfométricos e imagem aster para a delimitação das fitofisionomias da Serra da Canastra, Parque Nacional da Serra da Canastra, MG. Revista Brasileira de Geomorfogia, [S./l.], v.11, p. 57-68, 2010.

DARDENNE, M. A. The Brasilia Fold Belt. Tectonic Evolution of South America, [S./l.], v.1, p. 231-263, 2000.

DARDENNE, M. A. Os grupos Paranoá e Bambuí na Faixa dobrada Brasília. In: Anais Simpósio sobre o Cráton do São Francisco e suas faixas marginais, Salvador, Brasil. 1981, p. 140-157.

FARIA, A. Estratigrafia e sistemas Deposicionais do Grupo Paranoá nas áreas de Cristalina, Distrito Federal e São João da Aliança - Alto Paraíso de Goiás. 1995. 199f. Tese (Doutorado) – Instituto de Geociências, Universidade de Brasília, 1995.

FERREIRA FILHO, C. F.; KAMO, S. L.; FUCK, R A.; KROGH, T E.; NALDRETT, A.J. Zircon and rutile U/Pb geochronology of the Niquelândia layered mafic-ultramafic intrusion, Brazil: constraints for the timing of magmatism and high-grade metamorphism. Precambrian Reserch, [S./l.], v.68, n.3, p. 241-255, 1994.

GASTÃO, F. G. C.; MAIA, L.P. O uso de dados da missão SRTM e sedimentológicos nos estudos de geomorfologia e padrões de drenagem na região dos Lençóis Maranhenses. Revista Brasileira de Cartografia, [S./l.], n.62, p. 1-14, 2010.

GUIMARÃES, E. M. Estudos de proveniência e diagênese com ênfase na caracterização dos filossilicatos dos Grupos Paranoá e Bambuí, na região de Bezerra – Cabeceiras (GO). 1997. 270f. Tese (Doutorado) - Universidade de Brasília, 1997.

GIRÃO, O.; CORRÊA, A. C. B. A contribuição da geomorfologia para o planejamento da ocupação de novas áreas. Revista de Geografia, v.21, n2, [S./l.], p. 36-58, 2004.

HERMUCHE, P. M.; GUIMARÃES, R.F.; CARVALHO, A.P.; MARTINS, E.S.; CARVALHO JÚNIOR, O.A.; DRUCK, S.; SANTOS, N.B.F.; REATTO, A. Morfometria como suporte para elaboração de mapas pedológicos: I. Bacias Hidrográficas Assimétricas. Documentos, 68, Brasília. Embrapa Cerrados. 23p, 2004.

IBANEZ, D. M.; MIRANDA, F. P.; RICCOMINI, C. Geomorphometric pattern recognition of SRTM data aplied to the tectonic interpretation of the Amazonian landscape. Journal of Photogrammetry and Remote Sensing, [S./l.], v.87, p. 192-204, 2014.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico em Geociências n. 5: Manual Técnico de Geomorfologia. 2014, 2º Edição, 182p.

IBGE – Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística. Atlas nacional do Brasil, domínios morfoestruturais e morfoclimáticos – compartimentos do relevo. 2010.

LIMA, L. A. S.; MARTINS, E. S.; REATTO, A.; CASTRO, K. B.; SOUZA, V. V.; CARVALHO JÚNIOR, O. A. Compartimentação geomorfológica e suas relações com solos na bacia do Alto Rio Preto, GO. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 255, Brasília. Embrapa Cerrados, 24p, 2009.

MARTINS, E. S.; REATTO, A.; CARVALHO JÚNIOR, O. A.; GUIMARÃES, R. F. Ecologia de Paisagem: Conceitos e Aplicações Potenciais no Brasil. Documentos, 121, Brasília. Embrapa Cerrados, 33p, 2004.

MENESES, P. R. Modelos de Cores Aplicados às Imagens. In: Meneses, P.R.; Almeida, T. (Org.). Introdução ao Processamento de Imagens de Sensoriamento Remoto. Brasília, p. 121-128, 2012.

MERINO, E. R.; ASSINE, M. L.; PUPIM, F. N. Estilos Fluviais e Evidências de Mudanças Ambientais na Planície do Rio Miranda, Pantanal. Revista Brasileira de Geomorfologia, [S./l.], v.14, n.2, p.127-134, 2013.

OZDOGAN, M. The spatial distribution of crop types from MODIS data: Temporal unmixing using independent component analysis. Remote Sensing of Environment, [S./l.], v.114, p. 1190-1204, 2010.

PASSO, D. M.; MARTINS, E. S.; GOMES, M. P.; REATTO, A.; CASTRO, K. B.; LIMA, L. A. S.; GOMES, R. A. T. 2010. Caracterização geomorfológica do município de Barreiras, Oeste Baiano, escala 1:100.000. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 294. Brasília. Embrapa Cerrados, p. 31.

PIMENTEL, M. M.: RODRIGUES, J. B.; DALLAGIUSTINA, M. E. S.; JUNGES, S.; MATTEINI, M.; ARMSTRONG, R. The tectonic evolution of the Neoproterozoic Brasília Belt, Central Brazil, base on SRHIMP and LA_ICPMS U-Pb sedimentary provenance data: A review. Journal of South American Earth Sciences, [S./l.], v.31, n.4, p. 345-357, 2011.

PIMENTEL, M. M.; FUCK, R. A.; JOST, H.; FERREIRA FILHO, C. F.; ARAÚJO, S. M. The Basement of Brasilia Fold Belt and the Goiás Magmatic Arc. Tectonic Evolution of South America, [S./l.], v.31, p. 195-229, 2000.

PINHEIRO, L. C. S. J.; CASTRO, A. S.; MARTINS, E.S. Levantamentos das classes de solo existentes nas ecorregiões inseridas no limite do Cerrado Contínuo. In: IX Simpósio Nacional Cerrado/II Simpósio Internacional Savanas Tropicais, Brasília, 2008.

POLIZEL, S. P.; ROSSETTI, D. F. Caracterização morfológica do delta do Rio Doce (ES) com base em análise multissensor. Revista Brasileira de Geomorfologia, [S./l.], v.15, n.2, p. 311-326, 2014.

RAMALHO FILHO, A.; BEEK, K. J. Sistema de avaliação da aptidão agrícola das terras. 3. ed. Rio de Janeiro, Embrapa Solos, 1995. 65p.

REATTO, A.; MARTINS, E. S.; FARIAS, M. F. R.; SILVA, A. V.; SPERA, S. T. Levantamento de reconhecimento de alta intensidade dos solos da APA de Cafuringa - DF, escala 1:100.000. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 47, Brasília, Embrapa Cerrados, 44p, 2002.

ROVEDDER, A. P. M.; ALMEIDA, C. M.; ARAÚJO, M. M.; TONETTO, T. S.; SCOTTI, M. S. V. Relação solo-vegetação em remanescente da floresta estacional decidual na Região Central do Rio Grande do Sul. Revista Ciência Rural, [S./l.], v.44, n.12, p. 2178-2185, 2014.

SCHOBBENHAUS, C. O Proterozóico Médio no Brasil com ênfase à região Centro-Oeste: uma revisão. 1993. 166f. Tese (Doutorado) – Universidade Albert-Ludwig, Alemanha, 1993.

SEGPLAN. Goiás em dados 2011. Relatório Técnico. Goiás: SEGPLAN, 2011. 106 p.

SENA-SOUZA, J. P.; MARTINS, E. S.; COUTO JÚNIOR, A. F.; REATTO, A.; VASCONCELOS, V.; GOMES, M. P.; CARVALHO JÚNIOR, O. A.; REIS, A. M. Mapeamento Geomorfológico da Bacia Hidrográfica do Rio são Bartolomeu, escala 1:100.000. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 314, Brasília. Embrapa Cerrados, 2013. 38 p.

SILVA, C. L.; MORALES, N.; CRÓSTA, A. P.; COSTA, S. S.; JIMÉNEZ-RUEDA, J.R. Analysis of tectonic-controlled fluvial morphology and sedimentar processes of western Amazon Basin: na approach using satellite images and digital elevation model. Anais da Academia Brasileira de Ciências, [S./l.], v.79, n.4, p. 693-711, 2007.

SOBRINHO, T. A.; OLIVEIRA, P. T. S.; RODRIGUES, D. B. B.; AYRES, F. M. Delimitação automática de bacias hidrográficas utilizando dados SRTM. Revista de Engenharia Agrícola de Jaboticabal, [S./l.], v.30, n.1, p. 46-57, 2010.

TRETIN, R.; ROBAINA, L. E. S.; SCCOTI, A. A. V. Mapeamento geomorfológico do município de Manoel Viana – Oeste do Rio Grande do Sul – Brasil. Revista de Geociências, [S./l.], v.32, n.2, p. 333-345, 2013.

UHLEIN, A.; FONSECA, M. A.; SEER, H. J.; DARDENNE, M. A. Tectônica da Faixa de Dobramentos Brasília – Setores Setentrional e Meridional. Geonomos, [S./l.], v.20, n.2, p. 1-14, 2012.

VALE, C. C. Teoria geral dos sistemas: histórico e correlações com a geografia e com o estudo da paisagem. Revista Entre–Lugar, [S./l.], v.6, p. 85-108, 2012.

Downloads

Publicado

2022-09-27

Como Citar

MENDES, B. C.; MARTINS, Éder de S.; OLIVEIRA, E. S. Mapeamento geomorfológico aplicado ao estudo de uso e cobertura da terra no Planalto Central. Revista Cerrados, [S. l.], v. 20, n. 02, p. 242–260, 2022. DOI: 10.46551/rc24482692202226. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/4965. Acesso em: 6 dez. 2022.