SENSORIAMENTO REMOTO NA DETECÇÃO E ANÁLISE DE FOCOS DE CALOR NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MUNIM

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202006

Palavras-chave:

Geotecnologias. Uso do solo. Monitoramento.

Resumo

Os incêndios são a causa da devastação de milhares de hectares de ecossistemas do planeta, gerando impactos à saúde pública, prejuízos econômicos e ambientais. O presente estudo tem como objetivo realizar uma análise temporal dos focos de calor detectados em diferentes usos e cobertura da terra mapeados entre 2008 e 2018 na Bacia Hidrográfica do Rio Munim (BHRM), leste Maranhense. Os dados utilizados no trabalho foram obtidos junto à plataforma digital do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), sendo provenientes dos satélites TERRA, AQUA, GOES, NOAA, MSG-02 e ERS-2. Constatou-se um total de 74.752 ocorrências de focos de incêndios na área da bacia entre os anos de 2008 a 2018, tendo como destaque o mês de novembro o mais crítico registrando 30,33% do total de focos, seguido pelo mês de outubro com 23,03%, período em que praticamente não existe precipitação na região. Verificou-se que o ano de 2015 foi o que apresentou o maior índice de focos com 14.025 ocorrências e que o ano de 2011 foi o menos expressivo, com 2.116 ocorrências.

Palavras-chave: Geotecnologias. Uso do solo. Monitoramento.

 

REMOTE SENSING IN THE DETECTION AND ANALYSIS OF HEAT FOCUSES IN THE HYDROGRAPHIC BASIN OF RIO MUNIM

ABSTRACT

 Fires are the cause of the devastation of thousands of hectares of ecosystems on the planet, generating impacts on public health, economic and environmental losses. The present study aims to perform a temporal analysis of the heat sources detected in different uses and land cover mapped between 2008 and 2018 in the hydrographic basin of the Munim River, eastern Maranhense. The data used in the study were obtained from the digital platform of the National Institute for Space Research (INPE). The number of outbreaks recorded came from the TERRA, AQUA, GOES, NOAA, MSG-02 and ERS-2 satellites. A total of 74,752 outbreaks in the basin area were found between the years 2008 to 2018, with November as the most critical month, with 30.33% of total outbreaks, followed by October with 23.03%, a period in which there is practically no rainfall in the region. It was found that the year 2015 was the one with the highest rate of outbreaks with 14,025 occurrences and that the year 2011it was the least expressive, with 2,116 occurrences. Keywords: Geotechnologies. Use of the soil. Monitoring.

 

SENSOR REMOTO EN LA DETECCIÓN Y ANÁLISIS DE ENFOQUES DE CALOR EN LA CUENCA HIDROGRÁFICA DE RÍO MUNIM

RESUMEN

 Los incendios son la causa de la devastación de miles de hectáreas de ecosistemas en el planeta, generando impactos en la salud pública, pérdidas económicas y ambientales. El presente estudio tiene como objetivo realizar un análisis temporal de las fuentes de calor detectadas en diferentes usos y la cobertura del suelo mapeada entre 2008 y 2018 en la cuenca hidrográfica del río Munim, este de Maranhense. Los datos utilizados en el estudio se obtuvieron de la plataforma digital del Instituto Nacional de Investigación Espacial (INPE). El número de brotes registrados provino de los satélites TERRA, AQUA, GOES, NOAA, MSG-02 y ERS-2. Se encontraron un total de 74,752 brotes en el área de la cuenca entre los años 2008 hasta 2018, con noviembre como el mes más crítico, con 30.33% de los brotes totales, seguido de octubre con 23.03%, un período en el que prácticamente no hay precipitaciones en la región. Se encontró que el año 2015 fue el que tuvo la mayor tasa de brotes con 14.025 ocurrencias y que el año 2011fue el menos expresivo, con 2,116 ocurrencias. 

Palabras-clave: Geotecnologías. Uso del suelo. Monitoreo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rennato Oliveira da Silva, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Chapadinha, Maranhão, Brasil

Possuiu Graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Rhuan Oliveira da Silva, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Chapadinha, Maranhão, Brasil

Cursa Graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Thais de Carvalho Araújo, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Chapadinha, Maranhão, Brasil

Cursa Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Carlos Augusto Alves Cardoso Silva, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Chapadinha, Maranhão, Brasil

Possui Graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Atualmente é Mestrando em Engenharia de Sistemas Agrícolas pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ/USP).

Ana Karla da Silva Oliveira, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Chapadinha, Maranhão, Brasil

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Atualmente é Mestranda em Engenharia de Sistemas Agrícolas pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ/USP).

Kamilla Andrade Oliveira, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Chapadinha, Maranhão, Brasil

Possui Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Acre (UFAC), Mestrado em Ciências Florestais pela Universidade de Brasília (UnB) e Doutorado em Meteorologia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Atualmente é Professora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Referências

ABREU, F. A.; SOUZA, J. S. A. Dinâmica Espaço-temporal de Focos de Calor em Duas Terras Indígenas do Estado de Mato Grosso: uma Abordagem Geoespacial sobre a Dinâmica do Uso do Fogo por Xavantes e Bororos. Floresta Ambiente. v.23, n.1, p. 1-10, 2016.

ALVES R. N. B, HOMMA, A. K. O. O fogo na agricultura da Amazonia. Embrapa, Brasília, DF 2020. Disponível em: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/1119758/1/LivroRocasemfogop3742.pdf Acesso em: 28 de junho de 2020.

ARAUJO, J. B.; OLIVEIRA, L.C.; VASCONCELOS, S. S.; CORREIA, M. F. Danos Provocados Pelo Fogo Sobre A Vegetação Natural Em Uma Floresta Primária No Estado Do Acre, Amazônia Brasileira. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 2, p. 297-308, 2013.

BARBOSA, R. I. Distribuição Espacial E Temporal De Focos De Calor Em Roraima Detectados Pelo Noaa-Avhrr (1999-2009). In: Seminário de Atualização em Sensoriamento Remoto e Sistemas de Informações Geográficas Aplicados à Engenharia Florestal, 2010, Curitiba. Anais... Curitiba, PR: 2010, p. 363.

BATISTA, A. C. Detecção de Incêndios Florestais Por Satélites. Revista Floresta, v.34, n.2, p.237-241, 2004.

CABRAL, A. P. S.; Souza W. V. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): análise da demanda e sua distribuição espacial em uma cidade do Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Epidemiologia, [S./l.], v. 11, n. 4, p. 530-540, 2008.

DIMYATI, M.; MIZUNO, K.; KITAMURA, T. An analysis of land use/cover change using the combination of MSS Landsat and land use map: a case study in Yogyakarta, Indonesia. Inter. J. Rem. Sen., [S./l.], v. 17, p. 931–944, 1996.

GOMES, C. Geotecnologias da informação e remodelação do espaço urbano regional: Os sistemas de informação geográfica. Interface, [S./l.], v.3, n.3, p. 7-28, 2006.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico. 2010. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/. Acesso em: 20 jul. 2019.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de Informações do Município de Novo Progresso-PA. 2016. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=150503&idtema=16&search=||s%EDntese-das-informa%E7%F5es>. Acesso em: 25/ago/2019.

IMESC - Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos. Análise da Incidência de Focos de Queimadas nas Terras Indígenas do Estado do Maranhão. In: Relatório Técnico. IMESC. São Luís, 2015.

IMESC - Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos. Relatório: Queimadas maranhenses – 1º trimestre 2017. In: Relatório Técnico. IMESC. São Luís, 2017.

INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Monitoramento de Queimadas do INPE conta com maior número de satélites. 2007. Disponível em: <http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=1142>. Acesso em: 25/ago/2019.

IPCC [Masson-Delmotte, Valérie et al. (eds.)]. Global warming of 1.5°C — Summary for Policymakers. An IPCC Special Report on the impacts of global warming of 1.5°C above pre-industrial levels and related global greenhouse gas emission pathways, in the context of strengthening the global response to the threat of climate change, sustainable development, and efforts to eradicate poverty. Working Group I Technical Support Unit, 2018

JUSTINO, F. B. Relação entre “Focos de Calor” e Condições Meteorológicas no Brasil. In: XII Congresso Brasileiro de Meteorologia. Foz de Iguaçu-PR, 2002.

LAZZARINI, G. M. J.; FERREIRA, L. C. C.; FELICÍSSIMO, M. F. G.; OLIVEIRA, L. N.; ALVES, M. V. G. Análise da detecção e ocorrência de queimadas em áreas urbanizadas e entorno. Revista Ciência e Natura, Santa Maria v.38, n.3, 2016.

LEONEL, M. O uso do fogo: o manejo indígena e a piromania da monocultura. Estudos Avançados, [S./l.], v. 14, n. 40, p. 231-250, 2000.

LOPES, A. C.L.; FREITAS, A. V. M.; COSTA, D. O.; BELTRÃO, N. E. S.; TAVARES, P. A.; Análise da distribuição de focos de calor no município de Novo Progresso, Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Pombal, v. 12, n. 2, p. 298-303, 2017.

MARANHÃO. Bacias hidrográficas e climatologia do Maranhão. São Luís, MA: Núcleo Geoambiental, 2016. Disponível em: https://www.nugeo.uema.br/upnugeo/publicacoes/Bacias%20Hidrogr%C3%A1ficas%20e%20Climatologia%20-%20MA. Acesso em: 03 de jul. de 2019.

MARTIN, D. A.; MOODY, J. A. Comparison of soil infiltration rates in burned and unburned mountainous watersheds. Hydrological Processes, [S./l.], v. 15, p. 2893-2903, 2001.

MENESES, P. R.; SANO, E. E. Classificação pixel a pixel de imagens. In: MENESES, P. R.; ALMEIDA, T. (Org). Introdução ao processamento de imagens de sensoriamento remoto. Brasília, DF: Editora da Universidade de Brasília, 2012, p. 198. Disponível em: http://www.cnpq.br/documents/10157/56b578c4-0fd5-4b9f-b82a-e9693e4f69d8. Acesso em: 23 de jul. de 2019.

MIRANDA J. B. Aplicações Do Monitoramento Por Satélite No Controle De Queimadas. In: IV Encontro Nacional sobre Educação Ambiental na Agricultura, 2002, Campinas-SP. Anais... Campinas–SP: EMBRAPA/CNPM, 2002. p. 26.

NEARY, D. G.; KLOPATEK, C. C.; DEBANO, L. F.; FFOLLIOTT, P. F. Fire effects on belowground sustainability: a review and synthesis. Forest ecology and management, v. 122, n. 1-2, p. 51-71, 1999.

NEPSTAD, D. C.; STICKLER, C. M.; FILHO, B. S.; MERRY, F.; Interações entre o uso da terra, florestas e clima na Amazônia: perspectivas para um ponto de inflexão da floresta no curto prazo. Transações Filosóficas da Royal Society B: Ciências Biológicas, v. 363, n. 1498, p. 1737-1746, 2008.

NOVAIS, J. W. Z.; SANTANNA, F. B.; ARRUDA, P. H. Z.; PEREIRA, O. A.; & DUTRA, R. Relação entre profundidade óptica de aerossóis e radiação fotossinteticamente ativa e global no cerrado Mato-Grossense. Revista Estudo e Debate, Lajeado, v. 24, n. 1, p. 153-167, 2017.

OLIVEIRA, U. C.; OLIVEIRA, P. S. Mapas de Kernel como Subsídio à Gestão Ambiental: Análise dos Focos de Calor na Bacia Hidrográfica do Rio Acaraú, Ceará, nos Anos 2010 a 2015. Espaço Aberto, v. 7, n.1, p. 87-99, 2017.

PEREIRA, J. A. V.; SILVA, J. B. Detecção de focos de calor no estado da Paraíba: um estudo sobre as queimadas. Revista Geografia Acadêmica, Boa Vista, v.10, n.1, p. 5-16, 2016.

SANTOS, S. R. Q.; DA SILVA, R. B. C.; BARRETO, P. N.; NUNES, H. G. G.; RODRIGUES, R. D. S.; CAMPOS, T. L. D. O. B. Regime térmico e hídrico do solo para área de floresta tropical em anos de El Niño e La Niña, Caxiuanã-PA: estudo de caso. Revista Brasileira de Meteorologia, [S./l.], v. 26, n. 3, p. 367-374, 2011.

SILVA, A. A. C.; VIDAL, J. M. C.; SILVA, R. A.; LACORTE, G. A. Incêndios florestais no Parque Nacional da Serra da Canastra e a implementação de manejo integrado do fogo. ForScience, v.6, n.2, 2018.

SILVA, M. C.; ROMEU, L. V. L.; FIGUEIREDO, S. M. M.; Análise temporal de focos de calor no Acre: padrões e distribuição. Anais... 7º Simpósio de Geotecnologias no Pantanal, Jardim, MS, 20 a 24 de outubro 2018. Embrapa Informática. Agropecuária/INPE, p. 154-161.

SILVA, T. B., FRANCA ROCHA, W. J. S., ANGELO, M. F. Quantificação e análise espacial dos focos de calor no Parque Nacional da Chapada Diamantina–BA. Anais XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto-SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, v. 13, 2013.

SILVA, V. M. Classificação de imagens por sensoriamento remoto: Análise comparativa das metodologias Pixel a Pixel e Segmentação por Região. 2014. 41f. Monografia (Especialização em Geoprocessamento), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

SOARES, R. V.; BATISTA, A. C. TETTO, A. F. Incêndios Florestais, Produção Independente. 255p. 2017.

SOUSA, J. S. Áreas de preservação permanente urbanas: mapeamento, diagnósticos, índices de qualidade ambiental e influência no escoamento superficial. Estudo de caso: Bacia do Córrego das Lajes, Uberaba/MG. 2008. 187 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Engenharia Civil), Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2008.

THOMAZ, E. L.; ANTONELI, V.; DOERR, S. H. Effects of fire on the physicochemical properties of soil in a slash-and-burn agriculture. Catena, v. 122, p. 209-215, 2014.

VETTORAZZI, C. A.; FERRAZ, S. F. B. Uso De Sistema De Informações Geográficas Aplicados À Prevenção E Combate A Incêndios Em Fragmentos Florestais. Série Técnica IPEF, v. 12, n. 32, p. 11-115, 1998.

Publicado

2020-06-30

Como Citar

SILVA, R. O. DA; SILVA, R. O. DA; ARAÚJO, T. . DE C.; SILVA, C. A. A. C. .; OLIVEIRA, A. K. DA S.; OLIVEIRA, K. A. . SENSORIAMENTO REMOTO NA DETECÇÃO E ANÁLISE DE FOCOS DE CALOR NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MUNIM. Revista Cerrados, v. 18, n. 01, p. 373-388, 30 jun. 2020.