A importância das unidades geológicas para o abastecimento hídrico do pantanal de Cáceres, Mato Grosso, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202203%20

Palavras-chave:

Pantanal de Cáceres. Geologia. Bacia do Alto Paraguai. Densidade de drenagem.

Resumo

O conhecimento da ocorrência geológica de uma bacia hidrográfica é importante, pois contribui para o sistema fluvial. O presente estudo objetivou caracterizar a ocorrência geológica na bacia do Alto Paraguai, sua influência na disponibilidade de água e manutenção do Pantanal de Cáceres, Mato Grosso, Brasil. Os procedimentos de caracterização das unidades geológicas por meio dos relatórios técnicos CPRM (geodiversidade) e a densidade de drenagem da Bacia do Alto Paraguai foram realizados a partir da inserção e recorte da rede de drenagem. Para o levantamento de dados e o mapeamento dos aspectos geológicos, usaram-se as informações disponibilizadas nos relatórios técnicos CPRM e RADAMBRASIL. Os dados/arquivos foram processados e manipulados em ambiente do software ArcGIS, versão 10.3. A obtenção/elaboração do mapa de densidade foi realizada pela inserção e recorte da rede de drenagem, utilizando o ArcGis. Os resultados obtidos mostraram que, na área de recarga/captação, destacam-se as ocorrências litológicas a Formação Utiariti, a Formação Araras e a Suíte Intrusiva Santa Helena. As demais ocorrências litológicas propiciam o escoamento superficial. A densidade de drenagem variou de baixa a muito alta. O estudo sobre a influência geológica na disponibilidade de água é fundamental ao planejamento e à gestão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thales Ernildo de Lima, Universidade do Estado de Mato Grosso– UNEMAT, Cáceres (MT), Brasil

É Graduado e Mestre em Geografia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Atualmente é Professor do ensino básico na rede estadual de Mato Grosso.

 Endereço: Av. Tancredo Neves, 1095 - Cavalhada II 78217-900 - Cáceres - Mato Grosso.

Cristiane da Silva Lima, Universidade do Estado de Mato Grosso– UNEMAT, Cáceres (MT), Brasil

É Graduada e Mestra em Geografia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Atualmente é Doutoranda em Ciências Ambientais pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e Professora do ensino básico na rede estadual de Mato Grosso.

 Endereço: Av. Tancredo Neves, 1095 - Cavalhada II 78217-900 - Cáceres - Mato Grosso.

Celia Alves de Souza, Universidade do Estado de Mato Grosso– UNEMAT, Cáceres (MT), Brasil

É Graduado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Mestra e Doutora em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é Professora do programa de Pós Graduação em Geografia e Ciências Ambientais pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e é Bolsista de Desenvolvimento Cientifico Regional do CNPq - Nível A.

Endereço: Av. Tancredo Neves, 1095 - Cavalhada II 78217-900 - Cáceres - Mato Grosso.

Referências

ASSINE, M. L. Sedimentação na bacia do pantanal mato-grossense, Centro-Oeste do Brasil. 2003, 115 f. Tese (Livre-docência). UNESP, Franca, SP. 2003.

BRASIL, MMA – PCBAP – Análise integrada e prognóstico da bacia do Alto Paraguai, Pantanal. v. I e III – P.N.M.A – Brasília, 1997. Disponível em: <https://www.bdpa.cnptia.embrapa.br/consulta/>. Acesso em: 20 maio 2021.

CORRADINI, F. A.; ASSINE, M. L. Compartimentação geomorfológica e processos deposicionais no megaleque fluvial do rio São Lourenço, pantanal mato-grossense. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, v. 42, p. 20-33, 2012. Disponível em: <http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/rbg/article/view/7997>. Acesso em: 20 maio 2021.

CPRM. Geodiversidade do estado do Mato Grosso (Juliana Maceira Moraes Org.). Goiânia: CPRM, 2010.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. In: Reunião técnica de levantamento de solos, 10, 1979, Rio de Janeiro. Súmula... Rio de Janeiro, 1979. 83p. Disponível em: <https://edepot.wur.nl/480004>. Acesso em: 16 jan. 2021.

FACINCANI, E. M. et al. Sismicidade da bacia do pantanal mato-grossense. XIII Simpósio Nacional de Estudos Tectônicos (XIII SNET). Campinas, SP, 2011. Disponível em: <https://repositorio.usp.br/item/002285065>. Acesso em: 16 jan. 2021.

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. Oficina de textos, 2018.

GALVANIN, E. A. S. et al. Avaliação dos Índices de Vegetação NDVI, SR e TVI na discriminação de fitofisionomias dos ambientes do Pantanal de Cáceres, MT. Ciência Florestal, v. 24, n. 3, p. 707-715, 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2021.

KARMANN, I. Ciclo da água subterrânea e sua ação geológica, In: TEIXEIRA et al. (Org.) Decifrando a Terra. 5. ed. São Paulo: Oficina de Textos / Edusp, pub., 2001. pp.114-138.

MORENO, G.; HIGA, T. C. S. (Org.) Geografia do Mato Grosso: território, sociedade, ambiente. Cuiabá, Entrelinhas, 2005.

NEVES, S. M. A. S. et al. Geotecnologias aplicadas na identificação e classificação das unidades ambientais do Pantanal de Cáceres, MT, Brasil. Revista Geografia, [S./l.], v. 34, p. 795-805, 2009. Disponível em: <https://www.periodicos.rc.biblioteca. unesp.br/index.php/ageteo/article/view/4869>. Acesso em: 18 mar. 2021.

OLAYA, V. Sistemas de Información Geográfica. Libro SIG, 2011.

OLIVEIRA, E. C. Rochas carbonáticas continentais (Quaternário) do pantanal mato-grossense e adjacências. 2013. 133f. Tese (Doutorado em Geotectônica) – Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. doi: 10.11606/T.44.2013.tde-14112013-111133. Acesso em: 18 mar. 2021.

SILVA, J. S. V.; ABDON, M. M. Delimitação do Pantanal Brasileiro e suas sub-regiões. Pesquisa Agropecuária Brasileira. v.33, Número Especial, Brasília. 1998. p. 1703-1711. Disponível em: <https://seer.sct.embrapa.br/index.php/pab/article/ view/5050>. Acesso em: 23 abr. 2021.

SOUZA, C. A. Bacia hidrográfica do rio Paraguai, MT: dinâmica das águas, uso e ocupação e degradação ambiental. São Carlos: Ed Cubo, 2012.

SOUZA, C. A. Dinâmica do corredor fluvial do rio Paraguai entre a cidade de Cáceres e a Estação Ecológica da ilha de Taiamã, MT. 2004. 173 f. Tese (Doutorado em Geografia). Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza, Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Rio de Janeiro, 2004.

SOUZA, C. A.; LANI, J. L.; SOUSA, J. B. Origem e evolução do pantanal mato-grossense. VI Simpósio nacional de geomorfologia/regional conference on geomorpholoy. Geomorfologia tropical e subtropical: processos, métodos e técnicas/Tropical and subtropical geomorpholog: processes method sand techniques. Goiânia, v. 6, p. 6-10, 2006. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/ revistas/revistageografia/article/download/228920/23331>. Acesso em: 23 abr. 2021.

SOUZA, C. A.; SOUSA, J. B. Dinâmica das águas do rio Paraguai, no alto curso da bacia hidrográfica do Paraguai, no trecho cidade de Cáceres e a estação ecológica da ilha de Taiamã. Mato Grosso/Brasil. In: XII Encuentro de Geógrafos de América Latina. Anais... Caminando en una América Latina en transformación. Montevidéu, 2009. Disponível em: <http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal12 /Geografiasocioeconomica/Geografiacultural/37.pdf>. Acesso em: 23 abr. 2021.

SOUZA, C. A.; SOUZA, J. B. Pantanal mato-grossense: origem, evolução e as características atuais. Revista Eletrônica da Associação dos Geógrafos Brasileiros Seção Três Lagoas, v. 11, p. 34-54, 2010. Disponível em: <https://periodicos.ufms.br/ index.php/RevAGB/article/view/654>. Acesso em: 18 mar. 2021.

SOUZA, C. A. et al. Informações preliminares sobre transporte de sedimentos no rio Paraguai entre a cidade de Cáceres e a estação ecológica da ilha de Taiamã, Pantanal Superior, Mato Grosso, Brasil. Recursos Hídricos, Lisboa, Portugal, v. 36, n. 2, p. 47-55, 2015. Disponível em: <http://www.aprh.pt/rh/pdf/rh36_n2-4.pdf>. Acesso em: 23 out. 2018.

TEIXEIRA, W. et al. (Org.). Decifrando a Terra. São Paulo: Oficinas de Texto.

Downloads

Publicado

2022-01-01

Como Citar

LIMA, T. E. de; LIMA, C. da S.; SOUZA, C. A. de. A importância das unidades geológicas para o abastecimento hídrico do pantanal de Cáceres, Mato Grosso, Brasil. Revista Cerrados, [S. l.], v. 20, n. 01, p. 44–71, 2022. DOI: 10.46551/rc24482692202203 . Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/4335. Acesso em: 18 jan. 2022.