Sinergias entre as instabilidades pluviométricas e a produção de lavouras de sequeiro no semiárido cearense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202022

Palavras-chave:

Desertificação. Secas. Produção de alimentos. Agricultura familiar. Vulnerabilidades na agricultura familiar.

Resumo

Feijão, mandioca e milho são lavouras de sequeiro cultivadas no semiárido em todos os 184 municípios do Ceará. Pentecoste e Sobral são municípios cearenses situados nas áreas semiáridas susceptíveis à desertificação, sendo a instabilidade temporal e espacial das chuvas uma característica do semiárido. A pesquisa compara as precipitações de chuvas no Ceará e nesses municípios entre os anos de 1974 e 2018. Avalia se as pluviometrias do estado e dos municípios podem ser classificadas em padrão definido na pesquisa. Elaboram-se testes estatísticos para avaliar se as pluviometrias interagem com as produtividades e valor da produção por hectare das lavouras no período estudado no Ceará, em Pentecoste e Sobral. As produtividades e valores da produção por hectare de feijão, mandioca e milho são agregadas usando método de análise fatorial. Os dados são da FUNCEME e IBGE. Os resultados mostram que as pluviometrias do estado e dos municípios podem ser classificadas de acordo com o padrão testado. Observa-se também que em Pentecoste e Sobral houve maior incidência de anos com estiagem do que no Ceará. A conclusão geral da pesquisa é que há sinergias entre as instabilidades das pluviometrias com as produtividades das lavouras de sequeiro no Ceará, Pentecoste e Sobral entre 1974 e 2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jamile Ingrid de Almeida Salviano, Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, Ceará, Brasil

É Graduada em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente é Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Economia Rural (PPGER) da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Antônia Luana Fernandes Praxedes, Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, Ceará, Brasil

É Graduada em Engenharia Ambiental e Sanitária, pelo Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará (IFCE, Quixadá). Atualmente é Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Economia Rural (PPGER) da Universidade Federal do Ceará (UFC).

 

José de Jesus Sousa Lemos, Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, Ceará, Brasil

É Graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA); Mestre em Economia Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Doutor em Economia Rural pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); Pós-Doutor em Economia dos Recursos Naturais, pela Universidade da Califórnia (EUA). Atualmente é Professor Titular do Departamento de Economia Agrícola da Universidade Federal do Ceará (DEA/UFC).

Referências

ANDRADE, Lara Almeida; DANTAS, Marcelino Soyinks. Áreas protegidas e sociobiodiversidade no Semiárido brasileiro. Anuário Antropológico, [S./l], n. I, p. 69-96, 2020.

ANGELOTTI, Francislene; SÁ, Iêdo Bezerra; MELO, Roseli Freire. Mudanças climáticas e desertificação no Semiárido Brasileiro. Embrapa Semiárido; Campinas: Embrapa Informática Agropecuária, 2009. Cap. 3, p.41-49.

BISQUERRA, Rafael; SARRIERA, Jorge; MATÍNEZ, Francesc. Introdução à estatística: enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Porto Alegre. Bookman Editora, 2009.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Recursos Hídricos. Atlas das Áreas Susceptíveis à Desertificação no Brasil. Brasília, 2007.

BRASIL, Ministério da Integração Nacional. Nova delimitação do semiárido brasileiro.Brasília,2017. Disponível em: <http://www.mi.gov.br>. Acesso em: 18/02/2020.

BRASIL, Ministério da Integração Nacional. Resolução nº 115, de 23 de novembro de 2017.Diário Oficial da União. Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste – SUDENE. Brasília, 2017. Disponível em: <http://sudene.gov.br/images/arquivos/semiarido/arquivos/resolucao115-23112017delimitacaodosemiarido-DOU.pdf>. Acesso em: 18/02/2020.

BROOKS, Nick. Vulnerability, risk and adaptation: a conceptual framework. Tyndall Working Paper. Tyndall centre for Climate Change Research. 2003. Disponível em: . Acesso em: 23/03/2020.

COSTA FILHO, João. Efeitos da instabilidade pluviométrica sobre a previsão da produção de lavouras de sequeiro em ASD no semiárido do estado do Ceará: casos de Irauçuba e Tauá. 2019. 100 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Economia Rural), MAER/Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, 2019.

FÁVERO, Luiz Paulo; BELFIORE, Patrícia; SILVA, Fabiana Lopes; CHAN, Betty Lilian. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda., 2009, p. 641.

FERREIRA, Mirele Paula da Silva. Alterações de atributos de solos submetidos ao pousio em núcleo de desertificação. 2015. 58 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia, Solos e Nutrição de Plantas), Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, 2015.

FISCHER, Gunther; SHAH, Mahendra; VAN VELTHUIZEN, Harrij. Climate change and agricultural vulnerability. Johannesburg: International Institute for Applied Systems Analysis to World Summit on Sustainable Development, Special Report, 2002.

FUNCEME, Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos. Portal Hidrológico do Ceará. 2020. Disponível em: <http://www.hidro.ce.gov.br/hidro-ce-zend/app/pagina/show/186>. Acesso em: 20/04/2020.

GOMES, Frederico Pimentel. Curso de estatística experimental. 12. ed. São Paulo: Nobel, 1985, p. 467.

GUILLAUMONT, Patrick; SIMONET, Catherine. To What Extent are African Countries Vulnerable to Climate Change? Lessons from a New Indicator of Physical Vulnerability to Climate Change. FERDI Working Paper, n.08, 2011.

HAHN, Rudger. The ethical rational of business for the poor: integrating the concepts bottom of the pyramid, sustainable development and corporate citizenship. Journal of Business Ethics, [S./l.], v. 84, n. 3, p. 313-324, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Cidades. 2017. Disponível em: <https://www.cidades.ibge.gov.br>. Acesso em: 01/03/2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Produção Agrícola Municipal. 2019. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/acervo#/S/PA/A/Q>. Acesso em: 01/02/2020.

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ – IPECE. Municípios Susceptíveis à Desertificação no Estado do Ceará. 2018. Disponível em: <http://www2.ipece.ce.gov.br/atlas/capitulo1/12/pdf/Municipios_Desertificacao.pdf>. Acesso em: 03/02/2020.

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ – IPECE. Perfil Municipal. 2017. Disponível em: <https://www.ipece.ce.gov.br/perfil-municipal-2017/>. Acesso em 03/02/2020.

LEMOS, José de Jesus Sousa; BEZERRA, Filomena Nádia Rodrigues. Instabilidade pluviométrica e expectativas na produção de grãos no semiárido do estado do Ceará, Brasil. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 5, n. 9, p. 15632-15652, 2019.

LIRA, Jaqueline Saraiva; LEMOS, José de Jesus Sousa; LIMA, Patrícia. Capacidade de recuperação da agricultura familiar do Nordeste Brasileiro: uma análise para o período de 1990-2012. Revista Econômica do Nordeste, [S./l.], v. 47, n. 4, p. 107-121, 2016.

MARENGO, José Antônio et al. Variabilidade e mudanças climáticas no semiárido brasileiro. In: INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÁRIDO. Recursos hídricos em regiões áridas e semiáridas. v. 1.Campina Grande: IJUSA, 2011. Cap. 13. p. 383-422.

MIRZABAEV, Alisher et al. Desertification. In: INTERGOVERNMENTAL PAINEL ON CLIMATE CHANGE. IPCC. Intergovernmental Panel on Climate Change: Climate Change and Land. [S. l.: s. n.], 2019. cap. 3, p. 249-306.

PEREIRA, Guilherme Reis. Correlação entre as Secas e as Perdas na Agricultura de Sequeiro no Semiárido Nordestino. 2018. Disponível em:<https://editorarealize.com.br/revistas/conadis/trabalhos/TRABALHO_EV116_MD1_SA2 3_ID185_19112018114546.pdf>. Acesso em: 17/01/2020.

ROSENZWEIG, Cynthia; HILLEL, Daniel. Climate change, agriculture and sustainability. In: Lal, R., N. Up Hoff, B.A. Stewart and D.O. Hansen (eds.) Climate change and global food security. London: Taylor & Francis, 2005. p. 243-268.

THORNTON, Philip et al. Climate change and poverty in Africa: Mapping hotspots of vulnerability. African Journal of Agricultural and Resource Economics, [S./l.], v. 2, n. 1, p. 24- 44, 2008.

WOOLDRIDGE, Jeffrey. Introductory econometrics: A modern approach. Ohio: South Western Educational Publishing, 2011, p. 881.

Downloads

Publicado

2020-11-13

Como Citar

SALVIANO, J. I. DE A.; PRAXEDES, A. L. F.; LEMOS, J. DE J. S. Sinergias entre as instabilidades pluviométricas e a produção de lavouras de sequeiro no semiárido cearense. Revista Cerrados, v. 18, n. 02, p. 371-394, 13 nov. 2020.