Desenvolvimento rural e extrativismo: a cadeia produtiva do musgo na comunidade rural André do Mato Dentro, Santa Bárbara/MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc24482692201816010322

Palavras-chave:

Desenvolvimento rural. Extrativismo. Musgo. Sustentabilidade.

Resumo

O trabalho tem por objetivo refletir sobre desenvolvimento rural a partir de uma perspectiva social, econômica e sustentável em comunidades rurais, tendo por base o extrativismo. No âmbito deste debate foram identificadas potencialidades na comunidade rural André do Mato Dentro, localizada no município de Santa Bárbara, franja metropolitana de Belo Horizonte/MG, a partir da compreensão da cadeia produtiva do musgo verde (Sirrhopodon SP, nome popular “fofão”). A comunidade é constantemente ameaçada pelo avanço das atividades minerárias de grande porte. Estas atividades intimidam o equilíbrio socioeconômico, ambiental e cultural estabelecido pela população fixada na região do Quadrilátero Ferrífero, que abriga biodiversidade endêmica, mananciais d’água de classe especial e diferentes aglomerados humanos. O percurso metodológico escolhido teve apoio na pesquisa qualitativa, para vivenciar o lugar conversando com os moradores de um modo caminhante/conversante conforme Marandola Jr (2014). A análise da atividade extrativista pretende esboçar possíveis formas de organização econômica em André do Mato do Dentro que assegurem o equilíbrio entre a comercialização do musgo e o desenvolvimento rural sustentável, sem perder de vista os valores culturais da comunidade. Para tanto, buscou-se compreender a dinâmica do extrativismo por meio da preservação das áreas de coleta do musgo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virginia de Lima palhares, Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Possui Graduação em Geografia, Mestrado em Geografia e Doutorado em Geografia, todos cursados pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é Professora adjunta do Departamento de Geografia do Instituto de Geociências da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Pedro de Carvalho Costa, Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Possui Graduação em Geografia, Mestrado em Sociedade, Ambiente e Território, ambos cursados pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).  Atualmente é Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

BRASIL. Lei nº 9.985, de 13 de jul. 2000. Regulamenta o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 19 jul. 2000.

CHAMBRERS, Robert e GUIJT, Irene. DRP: depois de cinco anos como estamos agora?... In: Revista Bosques, árvores e comunidades rurais. Quito-EQ, n. 26, mar. 1995, p.4-15.

ELIAS, Norbert & SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders. Sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Zahar ed., 2000.

FOLTZ, Bruce V. Habitar a terra – Heidegger, ética ambiental e a metafísica de natureza. Lisboa: Instituto Piaget, 2000 (Pensamento e Filosofia).

GIRALDO, Omar Felipe. Hacia una ontología de la Agri-Cultura en perspectiva del pensamiento Ambiental. In: Polis-Revista Latinoamericana, Santiago, Chile, 34 | 2013, p.1-19 (Ruralidad y Campesinado).

______. Agroecología y complejidad. Acoplamiento de la técnica a la organización ecosistémica. In: POLIS. Revista Latinoamericana, n.41, 2015.

______. Agroextractivismo y acaparamiento de tierras en América Latina: una lectura desde la ecología política. In: Revista Mexicana de Sociologia, 77, n.4 (oct. dez.), 2015, p.637-662.

HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias Qualitativas na Sociologia, 10 ed. Petrópolis:Vozes, 2005.

MARANDOLA JR, Eduardo José. Habitar em risco: mobilidade e vulnerabilidade na experiência metropolitana. 2008. 265p. Tese (doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, 2008.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 6ª ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro:ABRASCO, 1999.

MÜLLER, Geraldo. Complexo agroindustrial e modernização agrária. São Paulo: HUCITEC; EDUC (Estudos Rurais, 10), 1989. 149p.

NAVARRO, Zander. Desenvolvimento rural no Brasil: os limites do passado os caminhos do futuro. Estudos Avançados, 15(43): 83-100, Instituto de Estudos Avançados, USP: 2001.

RAMIRES. J. C; PESSÔA, V. L. N. Geografia e pesquisa quantitativa: nas trilhas da investigação. Org: Júlio César de Lima Ramires; Vera Lúcia Salazar Pessôa. – Uberlândia: Assis, 2009.

ROJAS, Claudia Marcela Orduz. Os conflitos ambientais da serra do Gandarela na perspectiva das comunidades locais. 2014. 186p. Dissertação (mestrado). Instituto de Geociências. Belo Horizonte:UFMG, 2014.

RUEDA Rafael Pinzón. Evolução Histórica do Extrativismo. Disponível em: http://www.ibama.gov.br/resex/textos/h11.htm. Acessado em 14/01/2008.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI. In: Para pensar o desenvolvimento sustentável. Marcel Bursztyn (org), São Paulo:Brasiliense, 1993. p.29-56

STEIN, Edith - Santa Teresa Benedicta de la Cruz. Escritos filosóficos. Etapa fenomenológica: 1915-1920. Trad. Constantino Ruiz Garrido e José Luis Caballero Bono. Bajo la direcion de Julien Urkisa y Franciso Javier Sancho. Burgos:Monte Carmelo. 2005. V.2, 949p (Obras Completas, II).

TUAN, Yi-fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

VERDEJO, M. E. Diagnóstico Rural Participativo: Um guia prático. Secretaria da Agricultura Familiar – MDA. “Documento original elaborado pelo Centro Cultural Poveda”. Gráfica da Ascar – Emater – Rs. Brasília: 2006.

XAVIER, Simón Fernández; DOLORES, Dominguez Garcia. Desenvolvimento rural sustentável: uma perspectiva agroecológica. Revista Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, v.2, n.2 abr/jul. Porto Alegre: 2001.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

PALHARES, . Virginia de L.; COSTA, P. de C. . Desenvolvimento rural e extrativismo: a cadeia produtiva do musgo na comunidade rural André do Mato Dentro, Santa Bárbara/MG. Revista Cerrados, [S. l.], v. 16, n. 01, p. 03–22, 2018. DOI: 10.22238/rc24482692201816010322. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1264. Acesso em: 22 maio. 2024.