Cidade histórica turística, globalização e identidades: conflitos e rearranjos na Cidade de Goiás (GO) observados na alimentação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc2448269220181602126152

Palavras-chave:

Identidade. Território. Alimentação e Turismo. Região Turística do Ouro. Cristais.

Resumo

Este artigo discute a problemática da construção de identidades no território inserido nas redes globais. Considera-se enquanto recorte espacial a cidade de Goiás, dentro da Região Turística do Ouro em Goiás. O objetivo central é verificar de que forma traços da alimentação podem compor a identidade dos territórios e dos sujeitos. Busca-se ainda compreender os conflitos entre o tradicional e o moderno em um território tombado como patrimônio, que ao longo dos últimos anos passaram a ser atravessadas por símbolos e referências culturais forçadas pela intensificação da globalização. A metodologia desta pesquisa contou com revisão bibliográfica sobre a temática, dois trabalhos de campo, entrevistas semiestruturadas com moradores e turistas na Cidade de Goiás, espacialização de dados em mapas e registros fotográficos dos territórios analisados. Os resultados apontam que as construções identitárias são sempre plurais e construídas historicamente. Muitas vezes, as identidades sofrem reducionismos ou generalização em nome de uma possível representatividade de um território, um povo ou uma nação. Notou-se ainda que mesmo quando pouco percebidas no plano político e cultural, as identidades são utilizadas estrategicamente para controlar os territórios e construir estereótipos acerca das pessoas, dos lugares e das coisas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio César Alencar de Sena, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil.

Graduado em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) com um ano de intercâmbio na Katholische Universität de Eichstätt-Ingolstadt (KUEI), na Alemanha. É Mestre e atualmente cursa Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia do Instituto de Estudos Socioambientais (IESA/UFG).

Referências

ALMEIDA, M. G. de. Geografia Cultural: Contemporaneidade e uma flashback na sua ascensão no Brasil. In: MENDOÇA, F. A. et. al. (Org.) Espaço e Tempo: complexidade e desafios do pensar e do fazer geográfico. Curitiba: Associação de Defesa do Meio Ambiente e Desenvolvimento de Antoina (ADEMADAN), 2009. p. 243-260.

AMIN, S. Mundialização, crise e transição. In: Revista Novos Rumos, n. 30, p. 7 -12, 1999. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/novosrumos/article/view/1914. Acesso em Fev de 2017.

APPADURAI, A. Disjunção e Diferença da Economia Cultural e Global. In: FEATHERSTONE, M. (Org.). Cultural Global: nacionalismo, globalização e modernidade. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 311-327.

BAUMAN, Z. Modernidade Liquida. Tradução Fondo de Cultura Económica. Buenos Aires, 2006. p. 99-138

CANCLINI, N. G. No sabemos cómo llamar los otros. In: CANCLINI, N. G. La globalización imaginada. México: Paidós, 2001.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Tradução de Roneide Venâncio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CLAVAL, P. A Geografia Cultural. Florianópolis: UFSC, 1999, 453p

CLAVAL, P. La geografía en recomposición: objetos que cambian, giros múltiples. ¿Disolución o profundización? In: LINDÓN, A; HIERNAUX, D. (Orgs.) Los Giros de la Geografia Humana: Desafíos y horizontes. México: Anthropos, 2010. p, 63-82.

CRUZ, V. C. Itinerários teóricos sobre a relação entre território e identidade. In: BEZERRA, A. C.A. et. Al. (Orgs). Itinerários Geográficos. Niterói. EdUFF, 2007. p,13-35.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 4ª ed., Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Ed. Loyola, 1996.

GARCIA, R. W. D. Representações Sociais da Comida no Meio Urbano: algumas considerações para o estudo dos aspectos simbólicos da alimentação. In: Revista Cadernos de Debate. Vol. II. São Paulo, 1994.

GOMES, P. C. da C. Sobre Territórios, Escalas e Responsabilidade. In: HEIDRICH, A. L. et.al. (Orgs). A Emergência Multiterritorialidade: A ressignificação da relação do humano com o espaço. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005. p, 37-45.

HOBSBAWM, E; RANGER, T. (orgs.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

HALL, S. A identidade Cultural na Pós-Modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva Guacira Lopes Lobo. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

HAESBAERT, R. Des-territorialização e identidade: a rede “gaúcha” no Nordeste. RJ: EDUFF, 1997.

HAESBAERT, R. Dilemas de Conceitos: Espaço-território e Contenção Territorial. In: SAQUET, M. A; SPOSITO, E. S. (Orgs.). Territórios e Territorialidades: Teorias, Processos e Conflitos. São Paulo: Expressão Popular, 2009. p. 95-120.

HAESBAERT, R. Globalização e fragmentação no mundo contemporâneo. Niterói: EdUff, 1998.

NORA, P. Entre memórias e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n. 10, p. 7-28, 1993.

ORTIZ, R. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

PALACÍN, L. O século do ouro em Goiás. Goiânia: UCG, 1994.

PAES, M.T.D. As cidades coloniais brasileiras: Ideologias espaciais, valores histórico, urbanístico e cultural. GEOgraphia (UFF) , v. 15, p. 41-68-68, 2015.

POLLICE, F. O papel da identidade territorial no desenvolvimento local. Espaço e Cultura, UERJ, RJ, n. 27, p. 7-23, jan-jun, 2010.

SANTOS, M. Território e dinheiro. In: Revista GEOgraphia. Niterói: programa de PósGraduação em Geografia - PPGEO - UFF/AGB, v.1, n1. p. 7 a 13, 1999.

SANTOS, M. Por uma outra globalização - do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SAQUET, M. A. A Abordagem Territorial: considerações sobre a dialética do pensamento e do território. In: HEIDRICH, A. L. et al (Orgs). A emergência da Multiterritorialidade: a ressignificação da relação do humano com o espaço. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005 p. 47-60.

SILVA, A. S. Identidades sociais: continuidade e mudança. In: Dinâmicas multiculturais, novas faces, outros olhares. Vol. 1. Lisboa: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 1996, p. 31-36.

SEBRAE Goiás (2015). Elementos da iconografia de Goiás. Disponível em: < https://goo.gl/rbG3gD>. Acesso em: 01 fev. 2016.

Downloads

Publicado

2018-12-21

Como Citar

SENA, C. C. A. de. Cidade histórica turística, globalização e identidades: conflitos e rearranjos na Cidade de Goiás (GO) observados na alimentação. Revista Cerrados, [S. l.], v. 16, n. 02, p. 126–152, 2018. DOI: 10.22238/rc2448269220181602126152. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1216. Acesso em: 4 jul. 2022.