Os traçados históricos das Ruas de Lazer presentes na “abertura” da Avenida Paulista

The historical marks of the Leisure Streets present at the “opening” of Avenida Paulista

Autores

Palavras-chave:

Avenida Paulista, Ruas de Lazer, Paulista Aberta, São Paulo, Brasil

Resumo

O presente artigo busca apresentar de que forma os traçados históricos das Ruas de Lazer existentes em São Paulo desde 1976, compuseram a mobilização acerca da abertura da Avenida Paulista para os pedestres a partir de 2015. Para tanto, utilizou-se da revisão bibliográfica e análise de dados secundários (sites de notícias e blogs da cidade de São Paulo) com vistas a compreender como ocorreu tal processo. De forma preliminar, verificou-se que a implantação do Programa Ruas Abertas na Paulista foi cercada por embates e disputas, sendo o seu uso para o lazer um dos principais argumentos dos grupos favoráveis à abertura. Além disso, este estudo possibilitou a identificação de similaridades e contrariedades entre as Ruas de Lazer que se difundiram em São Paulo a partir de 1976, e o uso da Avenida Paulista após sua “abertura” em 2015. Por último, o exercício da cidadania, por meio da apropriação das ruas pelos próprios cidadãos, parece ocupar centralidade – ainda que indiretamente – no processo de ressignificação da Avenida Paulista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jordania de Oliveira Eugenio, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutoranda no Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). E-mail: jordaniaeugenio@ufmg.br. ORCID: http://orcid.org/0000-0001-5799-9730.

Referências

BASTOS, A. F. S.; MELLO, S. C. B. Paulista aberta: significados da avenida símbolo da cidade de São Paulo. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, v. 9, n. 3, p. 521-539, 2017a. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8649610. Acesso em 23 de outubro de 2020.

BASTOS, A.F.S., e MELLO, S.C.B. Criando Espaços de Lazer: As Lutas Políticas pela Ressignificação da Avenida Paulista. PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review 6(1) Janeiro/Abril. 2017b. Disponível em: https://www.researchgate.net /publication/316868037_Criando_Espacos_de_Lazer_As_Lutas_Politicas_pela_Ressignificacao_da_Avenida_Paulista. Acesso em: 23 de outubro de 2020.

CORDEIRO, A. T., MELLO, S. C. B., e BASTOS, A. F. S. Aqui é a nossa praia! Apropriação e uso da avenida paulista no contexto de políticas de desenvolvimento urbano. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 11, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2175-3369.011.e20180104. Acesso em 23 de outubro de 2020.

COSTA, A.Q, e SAMPAIO, C.M. Programa Ruas de Lazer da Prefeitura de São Paulo: Modernização na Gestão Pública do Esporte e Lazer. PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review. 4(2), Maio/Agosto, 2015. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/podium/article/view/9301. Acesso em: 20 de outubro de 2020.

FURTADO, M.B, e CASTRO, L.G.R. Espaços de permanência na Avenida Paulista: um recorte de 2016 a 2018. XV Jornada de Iniciação Científica e IX Mostra de Iniciação Tecnológica – INSS 2526-4699 (2019). Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2019. Disponível em: http://eventoscopq.mackenzie.br/index .php/jornada/xvjornada/paper /view/1375. Acesso em: 23 de outubro de 2020.

GONÇALVEZ. L. F. O estudo do lugar sob o enfoque da geografia humanística: um lugar chamado avenida paulista. 2010. 266 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana), FFLCH/USP, São Paulo, 2010.

LABMOB. Avaliação de impacto da Paulista Aberta na vitalidade urbana: relatório técnico. São Paulo, 2018. Disponível em: http://www.labmob.prourb.fau.ufrj.br/wp-content/uploads/2019/06/Relatorio_Avalia%C3%A7%C3%A3o-Impacto-Paulista-Aberta-Vitalidade-Urbana_100_3005.pdf. Acesso em 25 de outubro de 2020.

LEME, A. Avenida Paulista aos domingos vira calçadão democrático. 2017. In: Veja São Paulo. Disponível em: https://vejasp.abril.com.br/cidades/capa-avenida-paulista-passeio/. Acesso em 25 de outubro de 2020.

LOBATO, D. Periferia da cidade tem mais ruas destinadas ao lazer do que o centro. In: 32xSP. 2017. Disponível em:https://32xsp.org.br/2017/05/10/periferia-da-cidade-tem-mais-ruas-destinadas-ao-lazer-que-o-centro/. Acesso em 25 de outubro de 2020.

MACHADO, D.S.C. Av. Paulista: da elite ao povo: as transformações e caracterizações da apropriação do espaço. 211 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2014. Disponível em: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/487. Acesso em: 23 de outubro de 2020.

MEKARI, D. Ruas de Lazer: liberdade e autonomia para as crianças. Portal Aprendiz UOL. 2014. Disponível em: https://portal.aprendiz.uol.com.br/2014/04/10/ruas-de-lazer-liberdade-e-autonomia-para-as-criancas/. Acesso em: 25 de outubro de 2020.

MELLO, BASTOS e LACERDA. Lutas urbanas no cais Mauá e na Avenida Paulista: metodologia qualitativa para compreensão de transformações no espaço público das cidades. Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais, Recife, Volume 9, 2020 (106-124). ISSN 2238-8052.

MINHA SAMPA. Paulista Aberta: por uma São Paulo mais Humana. São Paulo, 2015. Disponível em: https://www.paulistaaberta.minhasampa.org.br/. Acesso: 25/10/2020.

MUNHOZ V.C.C. Rua de lazer. In: Gomes C.L., editor. (Org). Dicionário crítico do lazer. Belo Horizonte: Autêntica; 2004. p. 203---6.

NOSSA SÃO PAULO. Avenida Paulista para as pessoas: uma demanda da sociedade civil. 2015. Disponível em: http://www.nossasaopaulo.org.br/noticias/ avenida-paulista-para-pessoas-uma-demanda-da-sociedade-civil. Acesso em 23 de outubro de 2020.

OLIVEIRA, M. A. N. Avenida Paulista: a produção contemporânea de uma paisagem de poder. 1998. 296 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – UNICAMP, São Paulo, 1998.

PASSARELLI, G. Domingo na Paulista: como o projeto Ruas Abertas mudou a cara da avenida. 2018. In: 360 meridianos. Disponível em: <https://www.360meridianos.com/dica/domingo-na-paulista>. Acesso: 25 de outubro de 2020.

PENINA, M. Programa “Ruas de Lazer” é reformulado para incentivar ocupação do espaço público. 2020. In: Catraca Livre. Disponível em: https://catracalivre.com.br/ catraquinha/programa-ruas-de-lazer-e-reformulado-para-incentivar-ocupacao-do-espaco-publico/. Acesso em: 25 de outubro de 2020.

PEREIRA, S.L.; RETT, L., e BEZERRA, P. M. Música e dinâmicas dos espaços (semi) públicos em São Paulo: uma análise do evento Paulista Aberta. Trabalho apresentado no XXIX Encontro Anual da Compós, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande – MS. 2020. Disponível em: http://www.compos.org.br/biblioteca/trabalhos_arquivo_ WQUQEY3MJT3YXO4ANM P7_30_8590_02_03_2020_13_13_05.pdf. Acesso em 23 de outubro de 2020.

PIMENTEL, B.L.E., e CARRANZA, E.G. Uma discussão sobre transformações recentes da Avenida Paulista. Revista 5% Arquitetura + Arte, ano 15,01(19)1-16, jan./jun., 2020. Disponível em: http://revista5.arquitetonica.com/ojs/index.php/ revista5/article/view/133. Acesso em: 23 de outubro de 2020.

RETT, L., e BEZERRA, P.M. Paulista Aberta e Arte Pública: Sobre Derivas e Territorialidades no Espaço Urbano. Trabalho apresentado no 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Belém-PA. 2019. Disponível em: https://portalintercom.org.br/anais/ nacional2019/resumos/R14-0742-1.pdf. Acesso em 20 de outubro de 2020.

Um reconhecimento aos ilustres Mestres da Educação Física. Revista Educação Física. V.10, dezembro, 2003. Disponível em: https://www.confef.org.br /confef/comunicacao/revistaedf/3499. Acesso em: 20 de outubro de 2020

ROSA, M.C.; FERREIRA, J. T. A. Ruas de recreio na cidade de Belo Horizonte (fim da década de 1950 até 1980). Rev. Bras. Ciênc. Esporte, Porto Alegre , v. 41, n. 4, p. 451-457, Oct. 2019 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script= sci_arttext&pid=S0101-32892019000400451&lng=en&nrm=iso>. Acesso: 25/10/2020.

SÃO PAULO SÃO. “Ruas de Lazer”: nos anos 70, brincadeira era na rua e aos domingos. 2018. Disponível em: https://saopaulosao.com.br/nossos-encontros/742-ruas-de-lazer-nos-anos-70,-brincadeira-era-na-rua-e-aos-domingos.html#. Acesso: 25 de outubro de 2020.

SABINO, L. e PAIM, C. Abrir ruas para as pessoas estimula o comércio e ativa as fachadas. In: Caos Planejado. 2020. Disponível em: https://caosplanejado.com/abrir-ruas-para-as-pessoas-estimula-o-comercio-e-ativa-as-fachadas/. Acesso em 28 de outubro de 2020.

SÁ, T.H.; GARCIA, L.M.T., e ANDRADE, D.R. Reflexões sobre os benefícios da integração dos programas Ruas de Lazer e Ciclofaixas de Lazer em São Paulo. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde; 22(1)5-12, 2017. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/7767. Acesso em 20 de outubro de 2020.

SANTOS JÚNIO, S.A. Ruas de Eventos: Práticas de lazer em três momentos históricos da cidade de São Paulo. 177f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2016. Disponível em: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2913. Acesso em 23 de outubro de 2020.

SÃO PAULO. Decreto n°. 55.684 de 12 de novembro de 2014. Confere nova regulamentação à Lei n°. 12.264 de 11 de dezembro de 1996, dispõe sobre a implantação de áreas de lazer em vias públicas no perímetro urbano da capital e dá outras providências. 2014. Diário Oficial do Município de São Paulo, 13 de novembro, 2014. Disponível em: http://legislacao.prefeitura.sp.gov.br/leis/decreto-55684-de-12-de-novembro-de-2014. Acesso em 26 de novembro de 2020.

STOPPA, E. A., et al. Gestão de Esporte e Lazer: análise dos espaços e equipamentos de esporte recreativo e de lazer em Ermelino Matarazzo, Zona Leste de São Paulo. São Paulo: Plêiade; 2011.

Downloads

Publicado

2021-01-05

Como Citar

de Oliveira Eugenio, J. . (2021). Os traçados históricos das Ruas de Lazer presentes na “abertura” da Avenida Paulista: The historical marks of the Leisure Streets present at the “opening” of Avenida Paulista. Revista Caminhos Da Historia, 26(1), 112-127. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/3696

Edição

Seção

Dossiê