Movimentos reativos e lideranças católicas no século XIX no Brasil

Reactive movements and Catholic leadership in the 19th century in Brazil

Autores

  • Célia Nonata da Silva Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Palavras-chave:

Igreja, Terra, conflitos, messianismo, rural

Resumo

Este artigo analisa os movimentos messiânicos no periodo Oitocentista sob um aspecto conceitual dos movimentos sociais. A partir das referencias teóricas de Tilly analisamos as ações coletivas no campo como formas reativas, a partir das lideranças religiosas e seu discurso enaltecedor da tradição. Este é o repertório da ação coletiva identificado nos comportamentos e discursos, a permanencia de um imaginario contra-reformista e barroco como elemento cimentador dos movimentos rurais neste período. Assim, o questionamento para tal baseia-se na reflexão e importância que assumem as lideranças católicas nos
meios rurais e seus discursos aglutinadores calcados na tradição e em elementos contrareformistas, que mantiveram e consolidaram um habitus da experiência, mas principalmente caracterizaram o repertorio dos conflitos rurais, identificados
a partir da lei de Terras de 1850 ate a primeira metade do seculo XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Célia Nonata da Silva, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em História e Culturas Políticas pela UFMG, Pós-doutoramento em História com o tema
Autoridades Mestiças na capitania das Minas.

Referências

AZZI, Riolando. O movimento de Reforma Católica durante o século XIX. In:

Revista Eclesiástica Brasileira. Petrópolis: Vozes, 1974, n. 34, p. 646-661.

BARROS, Luitgarde Oliveira. Do Ceará, três santos do nordeste. In.: Revista

Canudos. Bahia: UNEB, 1996, v. 01, n. 01, p. 37-55.

BONIM, Anamaria Aimoré et alii (org). Movimentos Sociais no Campo. Prefácio de Otavio Ianni. Curitiba: Scientia et Labor-Editora da UFP/ Edições Criar, 1987.

BORGES, Accioly Borges et alii. Os Donos da Terra e a Luta pela Reforma

Agrária. Rio de Janeiro: CODECRI-IBASE, 1984.

CANETTI, Elias. Massa e Poder. Tradução de Sergio Tellaroli. São Paulo: Cia. Das Letras, 2005.

CARVALHO, José Murilo de. Os Bestializados. São Paulo: Cia das Letras, 1999.

CORDEIRO, Domingos Sávio. Um beato líder: narrativas memoráveis do Caldeirão.

Fortaleza: Imprensa Universitária, 2004.

DAVATZ, Thomas. Memórias de um Colono no Brasil - 1850. Prefácio de

Sérgio Buarque de Holanda. 2 edição. São Paulo: Martins Fontes, 1951.

DESROCHERS, G. & HOONAERT, E. Padre Ibiapina e a Igreja dos Pobres. São Paulo: Paulinas, 1991.FACÓ, Rui. Cangaceiros e fanáticos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

FERNANDES, Rubem César. Os Cavaleiros do Bom Jesus: uma introdução às

religiões populares. São Paulo: Brasiliense, 1982.

GOHN, Maria da Glória. Novas teorias dos Movimentos Sociais. São Paulo: Loyola, 2008.

______. Teorias dos Movimentos Sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos.

São Paulo: Loyola, 2007.

HERMANN, Jacqueline. “Sebastianismo e sedição: os rebeldes do Rodeador na

Cidade do Paraíso Terrestre, Pernambuco: 1817-1820”. In.: Tempo. Vol. 02. 11,

pp.: 131-142.

HOONAERT, Eduardo. Formação do Catolicismo Brasileiro, 1550-1800. Petrópolis-R.J., Vozes, 1974.

LUSTOSA O. P. Oscar de Figueiredo (org.). A Igreja Católica no Brasil e o

Regime Republicano. São Paulo: Edições Loyola/CEPEHIB, 1990.

MAINWARING, Scott. Igreja Católica e Política no Brasil, 1916-1985. São Paulo: Brasiliense, 1989.

MARTINS, José de Souza, O Cativeiro da Terra. São Paulo: Editora: Ciências

Humanas, 1979.

MATTOS, Ilmar Rohloff. O tempo Saquarema: a formação do Estado Imperial.

Rio de Janeiro: Acces, 1994.

MOTTA, Márcia Maria Menendes. Nas fronteiras do poder: conflitos de terra

e direito agrário no Brasil de meados do século XIX. Rio de Janeiro: Arquivo

Público do Estado do Rio de Janeiro/Vício de Leitura, 1998.

NARBER, G. Entre a Cruz e a espada: violência e misticismo no Brasil rural.

Tradutores: Paulo Roberto Leite Salgado e Eduardo Soares de Freitas. São Paulo:

Terceiro Nome, 2003.

PINSKY, Jaime (org.) Capital e Trabalho no Campo. Introdução de Paul Singer.

São Paulo: Hucitec, 1977.QUEIROZ, Maria Isaura Pereira. O Messianismo no Brasil e no Mundo. São Paulo: Alfa-Omega, 1976.

ROMANO, Roberto. Brasil: Igreja contra Estado. São Paulo: Kairós, 1979.

SERBIN, Kenneth P. Padres, Celibato e conflito social. São Paulo: Cia das

Letras, 2008.

SILVA, Francisco Carlos Teixeira. “Conservadorismo e Hegemonia Agrária no

Brasil”. In.: CARNEIRO, Maria José et alii (org). Campo Aberto: o rural no

Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: ContraCapa, 1998. pp. 13-40.

TILLY, Charles. Social Movements, 1768-2004. London: Paradigm Publishers, 2004.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular

tradicional. Tradução: Rosaura Eichemberg. São Paulo: Cia. Das Letras, 1998.

Downloads

Publicado

2013-01-02

Como Citar

Nonata da Silva, C. (2013). Movimentos reativos e lideranças católicas no século XIX no Brasil: Reactive movements and Catholic leadership in the 19th century in Brazil. Revista Caminhos Da Historia, 18(1), 169–182. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/3285

Edição

Seção

Dossiê