Aprendendo a ser professor(a) através da Revista Pedagógica (1890-1896)

Learning to be a teacher through Revista Pedagógica (1890-1896)

Autores

  • Sarah Jane Duraes Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Palavras-chave:

Revista Pedagógica, formação docente, Escola Normal, Pedagogia

Resumo

Este artigo é parte do resultado de uma pesquisa financiada pela FAPEMIG e CNPq, sobre textos e manuais de Pedagogia, desenvolvidas no período de 2008-2010. Ele analisa aspectos do processo de produção, de circulação e do conteúdo de alguns fascículos da Revista Pedagógica, publicada pelo Pedagogium, Museu Escolar do Rio de Janeiro, durante o período de 1890 e
1896. A análise aqui apresentada revela, sobretudo, a influência de teorias pedagógicas européias na (re)definição das atribuições do professor para atuar na escola primária brasileira e, principalmente, a polêmica com relação à educação
das mulheres e suas possibilidades de atuação no magistério.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Jane Duraes, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e professora da Universidade
Estadual de Montes Claros.

Referências

APPLE, Michael; CHRISTIAN-SMITH, Linda. The politics of the textbook. In: APPLE, Michael; CHRISTIAN-SMITH, Linda (Eds.). The politics of the textbook. London: Routledge, 1991. p.1-21.

______. Trabalho docente e textos: economia política das relações de classe e

de gênero em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

ARROYO, Miguel, Mestre, educador, trabalhador - organização do trabalho e profissionalização. Tese de Professor Titular. Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, 1985.

AZEVEDO, Fernando de. A cultura brasileira. 6. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996.

CARVALHO, M. M. C. Manuais escolares: reforma educacional e usos pedagógicos do impresso: algumas questões historiográficas. In: SEGUNDO SEMINARIO INTERNACIONAL: TEXTOS ESCOLARES EN IBEROAMÉRICA, Avatares del pasado y tendencias actuales, Quilmes, Universidad Nacional de Quilmes, 1997.

CATANI, Denice Bárbara. Estudos da história da profissão docente. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO Luciano; VEIGA, Cynthia Greive (Orgs). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 585-599.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: Entre Práticas e Representações. Rio de Janeiro: Bertrand, 1990.

______. O mundo como representação. Estudos Avançados, vol.5, no.11, SãoPaulo Jan./Apr. 1991. pp.172-191. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40141991000100010&script=sci_arttext>, acesso em 25 mar. 2013

COSTA, Jurandir Freire. Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

DELGADO CRIADO, B. Los libros de texto como fuente para la Historia de la

Educación. Historia de la Educación, 2, 1983, p. 353-358.

DEMARTINI, Zeila, ANTUNES, Fátima. Magistério primário: profissão feminina, carreira masculina. Caderno de Pesquisa. Nº 86. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, ago., 1993. p.5-14.

DURÃES, Sarah Jane Alves. Escolarização das diferenças: qualificação do trabalho docente e gênero em Minas Gerais (1860-1905). Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação: História, Política e Sociedade da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2002.

ENGUITA, Mariano. A ambigüidade da docência: entre o profissionalismo e a proletarização. Teoria e Educação, Porto Alegre, Pannonica, n. 4, 1991. p.41-61.

FARIA FILHO, Luciano, (2000). Instrução elementar no século XIX. In: LOPES,Eliane Marta

Teixeira; FARIA FILHO, Luciano; VEIGA, Cynthia Greive. (Orgs). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, p. 135-150.

______ et Alii. A história da feminização no Brasil: balanço e perspectivas de pesquisa. In: PEIXOTO, Ana Maria Casasanta; PASSOS, Mauro (Orgs.). A escola e seus autores – educação e profissão docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p.53-88.

GÉRARD, Francois-Marie; ROEGIERS, Xavier. Conceber e avaliar manuais

escolares. Porto: Porto Editora, 1998.

GONDRA, José Gonçalves, O veículo de circulação da pedagogia oficial da República: a Revista pedagógica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 78. n.188/189/190, jan-dez, 1997. p.374-395.

______. Entre os frutos e o arvoredo. A docência no projeto educacional republicano (1890-1896). In: 1º SEMINÁRIO DOCÊNCIA, MEMÓRIA E GÊNERO. São Paulo: Feusp/Plêiade, 1997. p.27-40.

GUEREÑA, Jean-Louis; OSSENBACH, Gabriela; DEL POZO, María del Mar. Manuales escolares en España, Portugal y América Latina; líneas actuales de investigación. In: Manuales escolares en España, Portugal y América Latina. Madrid: Uned, 2005. p.17-41.

HAMILTON, David. Towards of theory of schooling. Philadelphia: The Falmer Press, 1989.

KUHLMANN JUNIOR, Moyses. Educando a infância brasileira. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano; VEIGA, Cynthia Greive. (Orgs). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p.469-495.

MARIN ECED, Teresa. Manuales escolares y poder político (1934/1939). Bordón,

Madrid, v. 53, n. 3,2001. pp.395-408.

PUELLES BENÍTEZ, Manuel de. Los manuales escolares: un nuevo campo de conocimiento. Historia de la Educación. Salamanca, Ediciones Universidad, n.19, 2000. pp.52-75

RABAZAS ROMERO, Teresa. Los manuales de pedagogía y la formación del profesorado en las escuelas Normales de España (1839-1901). Madrid: Universidad Nacional de Educación a Distancia, 2001.

______. Modelos de mujer sugeridos a las maestras en el franquismo. Bordón,

Madrid, v. 53, n.3, 2001. p. 423-442.

SAN ROMÁN, Sonsoles. Las primeras maestras – los orígenes del proceso de

feminización en España. Barcelona: Editorial Ariel, 1998.

SOUZA, Rosa Fátima de. Templos de civilização: a implantação da escola primária

graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: UNESP, 1998.

VEGA GIL, L. Las corrientes pedagógicas europeas a la luz del movimiento normalista español del s. XIX. Historia de la Educación, 4, 1985. p.119-138.

VILLELA, Heloisa. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano; VEIGA, Cynthia Greive (Orgs). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p.95-150.

WARDE, Mírian Jorge. Por uma história disciplinar: psicologia, criança e pedagogia. In: FREITAS, Marcos Cezar (Org.). História social da infância no Brasil. 2.ed. São Paulo: Cortez, 1999. p.289-310.

Downloads

Publicado

2013-01-02

Como Citar

Jane Duraes, S. . (2013). Aprendendo a ser professor(a) através da Revista Pedagógica (1890-1896): Learning to be a teacher through Revista Pedagógica (1890-1896). Revista Caminhos Da Historia, 18(1), 123–142. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/3279

Edição

Seção

Dossiê