As esposas de Adão e o imaginário diabólico e feminino na cristandade Medieval

  • Rodolpho Alexandre Santos Melo Bastos Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Palavras-chave: Idade Média, Lilith, Eva, imaginário feminino.

Resumo

Este artigo pretende demonstrar a construção do imaginário social feminino Cristão, por
meio dos discursos clericais ancorados nas figuras de Lilith e Eva, na Idade Média. A primeira seria,
hipoteticamente, antecessora a Eva como esposa de Adão. Todavia, não atendendo as vontades e
capricho de seu companheiro o abandona. É Nesse contexto que se tem a criação de Eva que, por
desobediência as ordens de Deus, maculou a relação entre o Homem e o Criador, além de ter sido
considerada a responsável pela expulsão do casal do paraíso. Através das esposas de Adão, caem sobre
as mulheres todos os estereótipos de depreciação e associações ao demônio. Nesse sentido, por tratar
de uma temática sobre a construção do imaginário social feminino Cristão no decorrer do medievo,
optou-se por um recorte temporal (mas também espacial) alargado e por uma abordagem teórica e
metodológica subsidiada pelos estudos das representações sociais e, principalmente, do imaginário
social.

Biografia do Autor

Rodolpho Alexandre Santos Melo Bastos, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutorando em História pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Santa
Catarina (UFSC), integrante do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Medievais (Meridianum-UFSC) e Bolsista
CAPES.

Publicado
2020-01-13
Seção
Artigos Temáticos