Belo Horizonte, a cidade modelar: representações da nova capital das Minas Gerais

Belo Horizonte, the model city: representations of the new capital of Minas Gerais

Autores

Palavras-chave:

História, Modernidade, Capital, Belo Horizonte, Ouro Preto

Resumo

Ao se fundar a moderna cidade de Belo Horizonte em 1897, a sua dinâmica revelaria significados que extrapolariam a prancheta dos engenheiros. Com o tempo, aspectos políticos e sociais que forjariam aquela sociedade seriam trazidos nos periódicos da época da nova capital. Quais os sentimentos primários ao se pensar na nova cidade? Havia ideais políticos nela embutidos? Quais as reações e tensões refletidas da antiga capital, Ouro Preto? Quem foram os primeiros belo-horizontinos? Este trabalho buscou em periódicos mineiros, informações que demonstrassem a ideia da construção na nova capital e os desdobramentos decorridos da nova sociedade. A fundação da cidade refletiria supostamente o moderno, o civilizado, o urbano, em contraposição à antiga e atrasada Ouro Preto monarquista. Pelos periódicos e autores consultados, percebeu-se que na mudança de endereço da capital não havia intuito de se negligenciar o orgulho do povo mineiro, depositado nas ideias libertárias dos personagens independentistas da Ouro Preto oitocentista. Se, em princípio, no reino ideológico o objetivo foi sepultar a antiga Ouro Preto embaixo da arrojada Belo Horizonte, na prática, o sujeito que se formava na nova capital, orgulhou-se da grandiosa moderna cidade sem desmerecer o passado, a tradição e a história da antiga.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Othon Teixeira Alves, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutor em Estudos do Lazer. Professor do Departamento de Educação Física e do Desporto, Coordenador do Ludens – Grupo de Estudo e Pesquisa do Lazer. Universidade Estadual de Montes Claros-MG, Brasil.

E-mail: rogerioothon@gmail.com / ORCID: https://orcid.org/0000-0002-4023-726X.

Referências

BARROS, José D´Assunção. História, Espaço e Tempo: interações necessárias. Varia História, Belo Horizonte, vol. 22, nº 36: p.460-475, 2006.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano 1: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

COSTA, Angela Marques da; SCHWARCZ, Lilia Moritz. 1890-1914: no tempo das certezas. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 3º ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

GIDDENS, Antony. As consequências da modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

JULIÃO, Letícia. Belo Horizonte: itinerários da cidade moderna (1891-1920). Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 1992.

LARA, Fernando. Geometria naviana: transformações do espaço Belo-horizontino. Revista Belo Horizonte, v.2, p.95-104, 1998.

OLIVEN, Ruben George. Cultura e modernidade no Brasil. São Paulo em Perspectiva, v.15, n. 2, 2001.

PASSOS, Daniela. A formação do espaço urbano da cidade de Belo Horizonte: um estudo de caso à luz de comparações com as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Mediações, Londrina, v. 21, n. 2, p. 332-358, 2016.

PIMENTEL, Thais Velloso Cougo. A Torre Kubitschek: trajetória de um projeto em 30 anos de Brasil. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1989.

RODRIGUES, Marilita Aparecida Arantes. Constituição e enraizamento do esporte na cidade: Uma prática moderna de lazer na cultura urbana de Belo Horizonte (1894- 1920). Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2006.

RODRIGUES, Danielle Uchôa Alonso. Cidade real e cidade imaginária: a criação de Belo Horizontes (1895-1910). Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2016.

SAID, Roberto Alexandre do Carmo. Quase biografia: poesia e pensamento em Drummond. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras – Universidade Federal de Minas Gerias. Belo Horizonte, 2007.

SENRA, Marcia. A cidade moderna: história, memória e literatura – Paris, Belo-Horizonte. Revista Univap, São José dos Campos, v.17, n. 29, p. 62-79, 2011.

SEVCENKO, Nicolau. Orfeu extático na metrópole: São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SILVEIRA, Ana Carolina Costa; SILVA, Regina Helena Alves da. Os espaços de lazer na cidade: a política urbana de Belo Horizonte. Licere, Belo Horizonte, v.13, n.3, p.1-42, 2010.

SIMÃO, Fábio Luiz Rigueira. Tradição e modernidade na construção da nova capital mineira: o Padre Francisco Martins Dias e os “Traços Históricos e Descriptivos de Bello Horizonte”. Revista Eletrônica Cadernos de História, v.6, ano 3, n.2, p.117-136, 2008. Disponível em: http://www.ichs.ufop.br/cadernosdehistoria. Acesso em: 10 ago. 2013.

VAGO, Tarcísio Mauro. Início e fim do século XX: maneiras de fazer educação física na escola. Cad. CEDES, Campinas, v. 19, n. 48, ago. 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010132621999000100003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 28 mar. 2012.

VEIGA, Cynthia Greive. Cidadania e educação na trama da cidade: a construção de Belo Horizonte em fins do século XIX. Tese (Doutorado em História) Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1994.

VERIANO, Carlos Evangelista. Belo Horizonte: cidade e política – 1897-1920. Dissertação (Mestrado em História) Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2001.

VILHENA, Kellen Nogueira. Entre “sãns expansões do espírito” e “sarrilhos dos diabos”: lazer, divertimento e vadiagem nas representações da imprensa em Belo Horizonte (1895 – 1922). Dissertação (Mestrado em Lazer) – Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2008.

Downloads

Publicado

2020-07-01

Como Citar

Othon Teixeira Alves, R. (2020). Belo Horizonte, a cidade modelar: representações da nova capital das Minas Gerais: Belo Horizonte, the model city: representations of the new capital of Minas Gerais. Revista Caminhos Da Historia, 25(2), 163-177. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/2841