CONFLITOS AMBIENTAIS NO NORTE DE MINAS GERAIS: O 7º ENCONTRO DA ARTICULAÇÃO DOS VAZANTEIROS EM MOVIMENTO

ENVIRONMENTAL CONFLICTS IN NORTH MINAS GERAIS: THE SEVENT MEETING OF ARTICULATION VAZANTEIROS IN MOVEMENT

Palavras-chave: Conflitos ambientais; Norte de Minas Gerais; Vazanteiros; Projeto Jaiba; Parques Estaduais.

Resumo

Este trabalho visa contribuir para a visibilização da Articulação dos Vazanteiros em Movimento, entendendo o seu processo de organização como instrumento de luta diante da sobreposição dos Parques Estaduais: Verde Grande (1998), Lagoa do Cajueiro (1998) e Mata Seca (2001), construídos como compensação aos impactos ambientais do Projeto de Fruticultura irrigada do Jaíba. Várias reivindicações foram apresentadas no 7º Encontro da Articulação dos Vazanteiros em Movimento, que ocorreu nos dias 28 e 29 de julho de 2017, reunindo comunidades que se reconhecem como tradicionais, entre elas, as comunidades de Pau Preto, Pau de Légua e Quilombo da Lapinha, localizadas nos municípios de Matias Cardoso e Manga, no Norte de Minas Gerais. A década de 50 marca o processo de modernização da agricultura no Brasil, nesta região, esteve pautada na agricultura/fruticultura irrigada, monoculturas de eucalipto, pecuária extensiva e monoculturas de algodão. Contexto de desenvolvimento que se propôs o Projeto Jaíba, entre os rios São Francisco e Verde Grande, abrangendo uma estrutura de 86.794,59 hectares, sendo 65.879,98 destinadas diretamente à irrigação. Este trabalho resulta das experiências junto ao Núcleo Interdisciplinar de Investigação Socioambiental da Universidade Estadual de Montes Claros, desdobrando-se no desenvolvimento da pesquisa de tese da autora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACSELRAD, Henri. Conflitos Ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.
ACSELRAD, Henri. Ambientalização das lutas sociais – o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos Avançados 24 (68), 2010.
ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Terras tradicionalmente ocupadas: processos de territorialização e movimentos sociais. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais 6.1.2011.
ANAYA, Felisa. De “Encurralados pelos Parques” a “Vazanteiros em Movimento”: As reivindicações territoriais das comunidades vazanteiras de Pau Preto, Pau de Légua e Quilombo da Lapinha no campo ambiental. Tese de doutorado, UFMG, 2012.
ANAYA, Felisa Cançado. “Vazanteiros em movimento”: o processo de ambientalização de suas lutas territoriais no contexto das políticas de modernização ecológica. In: Ciência & Saúde Coletiva [online], 2014, v.19, n. 10, pp.4041-4050.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A comunidade tradicional. In: COSTA, João Batista de Almeida. LUZ, Cláudia (Orgs). Cerrado, Gerais, Sertão: comunidades tradicionais dos sertões roseanos. Montes Claros, 2000.
Brasil. Decreto Nº 6.040, de 7 de Fevereiro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm. Acesso em 10 de Agosto de 2018.
COSTA, João Batista de Almeida. A (DES) Invisibilidade dos Povos e Comunidades Tradicionais: A produção da Identidade, do Pertencimento e do Modo de Vida como Estratégia para efetivação de direito coletivo. In: GAWORA; SOUZA IDE; BARBOSA. Povos e Comunidades Tradicionais no Brasil. Montes Claros: Editora Unimontes, 2011.
COSTA, João Batista. A invenção dos sujeitos de direitos e processos sociais: povos e comunidades tradicionais no Brasil e no Norte de Minas Gerais. Belo Horizonte: Initia Via, 2015.
DAYRELL, C. A. Os geraizeiros descem a serra ou a agricultura de quem não aparece nos relatórios dos agrobusiness. In: DAYRELL, C. A.; OLIVEIRA, Cláudia. L. Cerrado e desenvolvimento: Tradição e atualidade. Montes Claros: UNIMONTES, 2000. p.191-274.
DIEGUES, A.C. O mito moderno da natureza intocada. São Paulo: Hucitec, 2001.
FEITOSA, Antônio Maurílio A; BARBOSA, Rômulo Soares. A dinâmica de Luta pela Terra no Norte de Minas Gerais. In: FEITOSA, A. M. et al. Debaixo da Lona: Tendências e Desafios Regionais da Luta pela posse da Terra e da Reforma Agrária no Brasil. Goiânia: Editora da UCG, 2006.
FRANÇA, Iara S. de; BARBOSA, Rômulo S.; SOARES, Beatriz Ribeiro. O Sertão Norte-Mineiro e suas transformações recentes. Montes Claros: Editora Iseib, 2006. v.2. n. 1.
GONÇALVES, Carlos Walter Porto. AS MINAS E OS GERAIS: Breve Ensaio sobre Desenvolvimento e Sustentabilidade a partir da Geografia do Norte de Minas. In: DAYRELL, Carlos; LUZ, Cláudia. Orgs. Cerrado e Desenvolvimento: Tradição e Atualidade. Montes Claros, 2000.
LITTLE, Paul. Territórios Sociais e Povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. In: Simpósio “Natureza e Sociedade: desafios epistemológicos e metodológicos para a antropologia”. XXIII Reunião brasileira de antropologia, Gramado-RS, 19 de junho de 2002.
OLIVEIRA, Cláudia Luz. Vazanteiros do Rio São Francisco: um estudo sobre populações tradicionais e territorialidade no Norte de Minas Gerais. Belo Horizonte: Dissertação de Mestrado. UFMG, 2005.
POSWAR, Carolina. “Unidades de Conservação e Soberania Alimentar: uma análise da Comunidade Vazanteira Ilha de Pau de Légua, no entorno do Parque Estadual da Mata Seca, Norte de Minas Gerais. Dissertação de Mestrado. Unimontes, 2011.
RIBEIRO, Ricardo Ferreira. História Ecológica do Sertão Mineiro e a Formação do Patrimônio Cultural Sertanejo. In: DAYRELL, Carlos; LUZ, Cláudia. Orgs. Cerrado e Desenvolvimento: Tradição e Atualidade. Montes Claros, 2000.
SANTOS, Kleber. Heterogeneidade nas estratégias de sustento: A experiência da Intervenção Planejada na Etapa 1 do Projeto Jaíba, Minas Gerais. Tese de doutorado. UFRGS, 2013.
Publicado
2020-02-14
Como Citar
Soares da SilvaQ. M., & Regina KuboR. (2020). CONFLITOS AMBIENTAIS NO NORTE DE MINAS GERAIS: O 7º ENCONTRO DA ARTICULAÇÃO DOS VAZANTEIROS EM MOVIMENTO : ENVIRONMENTAL CONFLICTS IN NORTH MINAS GERAIS: THE SEVENT MEETING OF ARTICULATION VAZANTEIROS IN MOVEMENT. Revista Argumentos, 17(1), 47-68. Recuperado de //www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/940
Seção
Dossiê