GOVERNANÇA DOS COMUNS E CONFLITOS NA GESTÃO DA BACIA DO RIO ITANHÉM NO EXTREMO SUL DA BAHIA

GOVERNANCE OF THE COMMONS AND CONFLICTS IN THE MANAGEMENT OF THE ITANHÉM RIVER BASIN IN THE EXTREME SOUTH OF BAHIA

Autores

Palavras-chave:

Conflito socioambiental, Governança dos Comuns, Comitê de Bacias, Rio Itanhém, Extremo sul da Bahia.

Resumo

O artigo analisa o Comitê das Bacias Hidrográficas dos rios Peruípe, Itanhém e Jucuruçu (CBHPIJ), localizado no extremo sul da Bahia, Brasil. O foco da investigação é compreender as razões pelas quais o referido Comitê, após sete anos da sua criação, em dezembro de 2012, não desenvolve as ações de gestão ambiental que garanta a preservação destes rios, em particular do rio Itanhém foco da pesquisa. O estudo segue o modelo de Análise de Desenvolvimento Institucional para Sistemas Sócioecológicos (IAD-SES Framework) construído por Ostrom (1990, 2009), que resulta em oito princípios de design representando um tipo ideal de análise das relações entre sociedade, economia e meio ambiente. Tal modelo permite comparar a realidade ao tipo ideal e, dessa forma, compreender as dificuldades enfrentadas pelo Comitê. Foram entrevistados 14 membros da gestão e 10 usuários de água. Os achados da pesquisa revelam que o Comitê carece do reconhecimento dos usuários; que todos precisam conhecer seus limites e condições biofísicas necessitam fazer valer com equidade as regras, e respeitar a heterogeneidade da comunidade envolvida conforme suas diversas narrativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACSERALD, Henri. As práticas espaciais e o campo dos conflitos ambientais. In: Conflitos Ambientais no Brasil/Organizador Henri Acserald – Rio de Janeiro: Relume Dumará: Fundação Heinrich Böll, 2004.
AZEVEDO, Aldemir; MARTINS, Herbert Toledo; DRUMMOND, José Augusto. A dinâmica institucional de uso comunitário dos produtos nativos do cerrado no município de Japonvar (Minas Gerais). Sociedade e Estado, v. 24, n.1, jan/abr. 2009.
BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora Unesp, 2004.
HARDIN, Garrett. “The tragedy of the Commons”. Science, v. 162, n. 3859, 1968,1243-1248.
MANCUR, Olson. The Logic of Collective Action: Public Goods and the Theory of Groups. Cambridge, MA: Harvard University Press,1965.
MEINZEN-DICK, Ruth. “Beyond panaceas in water institutions”. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United State of America, Vol. 104, No. 39 (Sep. 25, 2007), 15200-15205
OSTROM, Elinor. El Gobierno de los Bienes Comunes: la evolución de las Instituciones de Accion Colectiva. México: Fondo de Cultura Económica, 1990, p. 25-105.
OSTROM, Elinor. “Coping with tragedies of the commons”. Annual Review of Political Science, v. 2, n. 1, 1999, 493-535.
OSTROM, Elinor. “A General Framework for Analyzing Sustainability of Social-Ecological Systems”. Science, v. 325, n. 5939, 2009, 419-22.
PEREIRA, Elaine Aparecida Teixeira. O conceito de campo de Pierre Bourdieu: possibilidade de análise para pesquisas em história da educação brasileira. Revista Linhas. Florianópolis, v. 16, n. 32, p. 337 – 356, set./dez. 2015.
SANTOS, Márcio Soares; MARTINS, Herbert Toledo. Uma história ambiental da formação socioeconômica do extremo sul da Bahia (1948-1972). Maceió: VIII Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades (Coninter), Outubro/Novembro, 2019.

Downloads

Publicado

2020-02-14

Como Citar

Rios de Souza, F. ., & Toledo Martins, H. . (2020). GOVERNANÇA DOS COMUNS E CONFLITOS NA GESTÃO DA BACIA DO RIO ITANHÉM NO EXTREMO SUL DA BAHIA: GOVERNANCE OF THE COMMONS AND CONFLICTS IN THE MANAGEMENT OF THE ITANHÉM RIVER BASIN IN THE EXTREME SOUTH OF BAHIA. Revista Argumentos, 17(1), 28-46. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/939

Edição

Seção

Dossiê