Índice de Desenvolvimento Humano Eficiente e Sustentável (IDHES): Uma Proposta Alternativa

Autores

  • Thiago Costa Soares Universidade Estadual de Montes Claros
  • Cassiano Ricardo Dalberto Universidade Estadual de Santa Catarina
  • Liana Bohn Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Análise envoltória de dados, meta-fronteira, eficiência ambiental

Resumo

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é o indicador mais comumente utilizado para se mensurar o nível de desenvolvimento de um país. Contudo, vem sendo alvo de várias considerações na literatura, ensejando propostas alternativas, que incorporem outras dimensões em seu cálculo. O presente trabalho se enquadra nessa linha, objetivando incluir uma medida de eficiência aos componentes do IDH. Tal eficiência diz respeito à utilização de recursos no âmbito da educação e da saúde, e também da emissão de dióxido de carbono (CO2), de modo que países que possuam melhor capacidade de aplicação de fatores produtivos obtenham não somente indicadores de eficiência mais elevados, mas também maiores valores do novo índice de desenvolvimento, o IDHES – Índice de Desenvolvimento Humano Eficiente e Sustentável. Os resultados apontam que poucos países são completamente eficientes, e que os países de maior renda tendem a conseguir alocar melhor os recursos disponíveis, caracterizando um ciclo de reforço positivo ao desenvolvimento no longo prazo – força que ainda precisa ser desencadeada nos países de baixa renda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Costa Soares, Universidade Estadual de Montes Claros

Professor Adjunto do Departamento de Economia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Campus Governador Valadares (UFJF-GV), Brasil. Doutor em Economia, Universidade Federal de Viçosa (UFV/DER), Brasil.

Cassiano Ricardo Dalberto, Universidade Estadual de Santa Catarina

Professor do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade do Estado de Santa Catarina (ESAG-UDESC). Doutor em Economia, Universidade Federal de Minas Gerais (Cedeplar-UFMG), Brasil.

Liana Bohn, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Adjunta do Departamento de Economia e Relações Internacionais, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil. Doutora em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

BANKER, Rajiv D.; CHARNES, Abraham; COOPER, William Wager. Some models for estimating technical and scale inefficiencies in data envelopment analysis. Management science, v. 30, n. 9, p. 1078-1092, 1984.

CHIU, Ching-Ren et al. Decomposition of the environmental inefficiency of the meta-frontier with undesirable output. Energy Economics, v. 34, n. 5, p. 1392-1399, 2012.

CHUNG, Yangho H.; FÄRE, Rolf; GROSSKOPF, Shawna. Productivity and undesirable outputs: a directional distance function approach. journal of Environmental Management, v. 51, n. 3, p. 229-240, 1997.

COSTANTINI, Valeria; MONNI, Salvatore. Sustainable human development for European countries. Journal of Human Development, v. 6, n. 3, p. 329-351, 2005.

DALBERTO, Cassiano Ricardo et al. Índice de Desenvolvimento Humano Eficiente: uma mensuração alternativa do bem-estar das nações. 2015.

FÄRE, Rolf et al. Characteristics of a polluting technology: theory and practice. journal of Econometrics, v. 126, n. 2, p. 469-492, 2005.

HICKS, Norman; STREETEN, Paul. Indicators of development: the search for a basic needs yardstick. World development, v. 7, n. 6, p. 567-580, 1979.

HICKS, Douglas A. The inequality-adjusted human development index: a constructive proposal. World development, v. 25, n. 8, p. 1283-1298, 1997.

IYER, K.; RAMBALDI, A.; TANG, K. K. Globalisation and the Technology Gap: Regional and Time Evidence, Leading Economic and Managerial Issues Involving Globalisation. Nova Science New York, 2006. 213–227.

KEYES, Corey LM. Subjective well-being in mental health and human development research worldwide: An introduction. Social indicators research, v. 77, n. 1, p. 1-10, 2006.

MACCARI, Norma. Sustainable human development: Human Development Index and the environment. International Journal of Sustainable Human Development, v. 2, n. 1, p. 29-34, 2014.

NORTH, D. C. Institutions, institutional change and economic performance. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

O’DONNELL, Christopher J.; RAO, DS Prasada; BATTESE, George E. Metafrontier frameworks for the study of firm-level efficiencies and technology ratios. Empirical economics, v. 34, n. 2, p. 231-255, 2008.

OH, Dong-hyun; LEE, Jeong-dong. A metafrontier approach for measuring Malmquist productivity index. Empirical economics, v. 38, n. 1, p. 47-64, 2010.

OLIVEIRA, P. S. ebold et al. Os índices de bem estar e felicidade como alternativas para a mensuração do desenvolvimento dos países. DEBATESVII, p. 61, 2016.

STANTON, Elizabeth A. The human development index: A history. PERI Working Papers, p. 85, 2007.

TÜRE, Cengiz. A methodology to analyse the relations of ecological footprint corresponding with human development index: eco-sustainable human development index. International Journal of Sustainable Development & World Ecology, v. 20, n. 1, p. 9-19, 2013.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME - UNDP – Human Development Report 2015. New York: PBM Graphics, 2015.

UNRUH, Gregory C. Understanding carbon lock-in. Energy policy, v. 28, n. 12, p. 817-830, 2000.

URA, Karma et al. The GNH Index. In: 4th International Gross National Happiness Conference, Thimphu. 2008.

WORLD BANK. World Bank Group, 2015. Disponivel em: <http://www.worldbank.org/>. Acesso em: Janeiro 2015.

ZHANG, Ning; CHOI, Yongrok. Total-factor carbon emission performance of fossil fuel power plants in China: A metafrontier non-radial Malmquist index analysis. Energy Economics, v. 40, p. 549-559, 2013.

Downloads

Publicado

2021-08-13

Como Citar

Costa Soares, T. ., Dalberto, C. R. ., & Bohn, L. . (2021). Índice de Desenvolvimento Humano Eficiente e Sustentável (IDHES): Uma Proposta Alternativa. Revista Argumentos, 18(2). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/4487

Edição

Seção

Artigos