Revisitando Canais e Lagoas, de Octavio Brandão

Autores

  • Filipe Pinheiro Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Palavras-chave:

Octavio Brandão, Canais e Lagoas, Pensamento Social Brasileiro

Resumo

Passados quarenta anos da morte de Octavio Brandão e cem anos da publicação de Canais e Lagoas, sua primeira obra, e o livro ainda é pouco comentado pelos estudiosos do pensamento social brasileiro. Neste artigo pretendo me somar ao recente esforço de reapreciação da obra de Brandão, através de um resgate crítico de Canais e Lagoas.  Trato das condições que levaram à produção da obra, como as três palestras proferidas em Maceió enquanto o autor escrevia Canais e Lagoas, e também mapeio ecos do texto em sua interpretação marxista do Brasil. A partir desta análise, destaco o papel de Canais e Lagoas para a formação da visão de mundo de Octavio Brandão, e seu papel pioneiro para o posicionamento nacionalista e anti-imperialista do autor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filipe Pinheiro, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013), mestre em economia pela Universidade Federal Fluminense (2016) e doutor em economia pela Universidade Federal Fluminense (2020). Atualmente é professor substituto do Departamento de Ciências Econômicas (DeCE) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Brasil. É pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas Sobre Marx e o Marxismo - NIEP-Marx/UFF e do Coletivo Marxistas da Rural (MAR).

Referências

AMARAL, Roberto Mansilla. Uma Memória Silenciada: Ideias, lutas e desilusões na vida do revolucionário Octavio Brandão (1917-1980). Niterói, 2003. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em História) – Universidade Federal Fluminense.

BIANCHI, Alvaro. Octavio Brandão e o Confisco da Memória: nota à margem da história do comunismo brasileiro. Crítica Marxista, no 34, pp. 133-149. São Paulo: Editora UNESP, 2012.

BRANDÃO, Octavio. A Mineralogia dos Canais e Lagoas. Jornal do Comércio, janeiro 1918.

______. Agrarismo e industrialismo: ensaio marxista leninista sobre a revolta de São Paulo e a guerra de classes no Brasil – 1924. 2a edição. São Paulo: Anita Garibaldi, [1926] 2006.

______. Canais e Lagoas. Maceió: EDUFAL, [1919] 2001.

______. Combates e Batalhas. Memórias. 1º volume. São Paulo: Alfa-Ômega, 1978.

______. O Proletariado Perante a Revolução Democrática Pequeno-burguesa. In: ZAIDAN, M. PCB (1922-1929): na busca das origens de um marxismo nacional. São Paulo: Global, [1928] 1985, pp. 121-132.

______. Rússia Proletária. Rio de Janeiro: Voz Cosmopolita, 1923.

______. Uma Etapa da História de Lutas. In: Brandão, O. Agrarismo e industrialismo: ensaio marxista leninista sobre a revolta de São Paulo e a guerra de classes no Brasil – 1924. 2a edição. São Paulo: Anita Garibaldi, [1957] 2006, pp. 189-196.

COSTA, Emília Viotti. “A nova face do movimento operário na Primeira República.” In: A dialética invertida e outros ensaios. São Paulo: Editora Unesp, 2014, pp. 135-156.

COUTINHO, Carlos Nelson. “Graciliano Ramos.” In: Cultura e sociedade no Brasil: ensaios sobre ideias e formas. 3ª edição. São Paulo: Expressão Popular, 2011, pp. 141-194.

D’AGOSTINI, Maria Stella. Perspectivas de um pensador marginal: Octávio Brandão. Argumentos, V. 16, n. 2, jul/dez, p. 18-39, 2019.

DEL ROIO, Marcos. “Octávio Brandão nas origens do marxismo no Brasil.” Crítica Marxista, v. 1, no 18, pp. 115-132. São Paulo: Ed. Revan,, 2004.

DOMINGUES, Petrônio. Minervino de Oliveira: um negro comunista disputa a presidência do Brasil. Lua Nova – Revista de cultura e política, no 101, p. 13-51. São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ln/n101/1807-0175-ln-101-00013.pdf> Acesso em 14/01/2021.

DULLES, John Foster. Anarquistas e Comunistas no Brasil. 2a edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1977.

LACERDA, Felipe Castilho de. A “Transição de Octávio Brandão ao Marxismo: os livros Canais e Lagoas e Rússia Proletária.” In: XXVIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, Anais Eletrônicos. Florianópolis, 2015. Disponível em: <http://www.snh2015.anpuh.org/resources/anais/39/1427837065_ARQUIVO_snh-2015_felipe-lacerda.pdf> Acesso em 14/01/2021.

______. Octavio Brandão e as matrizes intelectuais do marxismo no Brasil. Cotia: Ateliê Editorial. 2019.

MORAES, João Quartim. “A influência do leninismo de Stalin no comunismo brasileiro.” In: MORAES, João Quartim & REIS, Daniel Aarão. (Org.) História do marxismo no Brasil – Vol. 1 – O Impacto das Revoluções. Campinas: Ed. Unicamp, 2007, pp. 47-88.

______. “Octávio Brandão.” In: PERICÁS, L. B. & SECCO, L (org.). Intérpretes do Brasil: clássicos, rebeldes e renegados. São Paulo: Boitempo, 2014, pp. 13-28.

RAMOS, Graciliano. São Bernardo. Rio de Janeiro: Record, [1934] 2013.

SILVA, Ângelo José. “Agrarismo e industrialismo: uma primeira tentativa marxista de interpretação do Brasil.”, Revista de Sociologia e Política, n. 8, pp. 43-55. Curitiba: 1997.

ZAIDAN, Michel. PCB (1922-1929): na busca das origens de um marxismo nacional. São Paulo: Global, 1985.

Downloads

Publicado

2021-08-13

Como Citar

Pinheiro, F. . (2021). Revisitando Canais e Lagoas, de Octavio Brandão. Revista Argumentos, 18(2), 198–220. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/4484

Edição

Seção

Artigos