Religiões Afro, desigualdade e discriminação étnico-racial

Autores

Palavras-chave:

Religiões afro-brasileiras, desigualdade, discriminação étnico-racial

Resumo

A diversidade das formas de expressões da cultura africana recriada em solo brasileiro na longa duração, é um tema que desde o século XIX intelectuais nacionais e estrangeiros se interessaram pelo estudo com intuito invariavelmente de explicar a problemática identitária e o desenvolvimento sociocultural do país. Os estudos do campo das oferecem elementos para uma reflexão crítica sobre discursos e imagens construídas sobre essa cultura, também descrita como afro-diaspórica, atentando para temática da desigualdade e discriminação étnico racial do negro na sociedade brasileira. Portanto, matriz africana ou afro-brasileiras, objetivando refletir a questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rubens Alves da Silva, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil. E-mail: rubssilva@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1516-0683

Referências

AMARAL, Rita 1996. “A festa de candomblé e sua relevância para o estuo do candomblé e do estilo de vida do povo-de-santo”. In: Lima, Tânia (org.) – Sincretismo religioso – o ritual afro. Recife: Massangana (Anais do IV Congresso afro-brasileiro, vol.4)

ALMEIDA, Sílvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro Editora Jandaina, 2020.

BASTIDE Roger. Estudos afro-brasileiros. São Paulo: Perspectiva, 1973.

BASTIDE, Roger O Candomblé da Bahia – rito nagô. São Paulo: Cia. Editora Nacional, [1958] 1978.

BASTIDE, Roger. As Religiões Africanas no Brasil – rito nagô. São Paulo: Livraria. Pioneira/EDUSP, [1960] 1971.

BIRMAN, Patrícia. Feitiço carrego e olho grande, os males do Brasil são: estudo de um centro umbandista numa favela do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional. Rio de Janeiro, 1980.

BROW, Diana. “Umbanda e classes sociais”. In: Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 1977, 18(2), p.63-74.

CAPONE, Stefania e MORAIS, Mariana Ramos de. Afro-patrimônio no plural: a mistura no candomblé como valor excepcional. In: Vivência: Revista de Antropologia. v. 1, n 55 (jan/jun de 2020). Natal: UFRN/DAN/PPGAS, 2020, p.18-35. Link https://periodicos.ufrn.br/vivencia/issue/view/1055/567

CARNEIRO, Édison. Candomblés da Bahia. Rio de Janeiro/São Paulo: Editorial Andes, [1954]1978.

CARNEIRO, Édison. Religiões negras/negros bantos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981.

CONCONE, Maria H. Vilas Boas. Umbanda: uma religião brasileira. São Paulo: FFLCH/USP (Coleção Religião e Sociedade Brasileira 4), 1987.

COSTA, Joaze Bernardino; TORRES, Nelson Maldonado; GROSFOGUEL, Ramón (orgs). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2019 (Coleção Cultura Negra e Identidades)

CUNHA, Manuela Carneiro da. Negros estrangeiros: os escravos libertos e sua volta à África. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DANTAS Beatriz Góis. Vovó Nagô e Papai Branco: usos e abusos da África no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DANTAS, Beatriz Góis. “Nanã de Aracaju: trajetória de uma mãe plural”. In: SILVA, Vagner Gonçalves (org.). Caminhos da alma: memória afro-brasileira. São Paulo: Summus, 2002.

DANTAS, Beatriz Góis. “Repensando a pureza nagô”. Religião e Sociedade, São Paulo, Cortez/Tempo e Presença, n.8, 1982.

FERRETTI, Sérgio F. “Nina Rodrigues e a religião dos Orixás”. Gazeta Médica da Bahia;76(Suplemento 2):54-59. 2006.

FERRETTI, Sérgio. Repensando o Sincretismo: estudo sobre a Casa das Minas. São Paulo: EdUSP, 1995.

FREIRY, Gilberto. Casa-Grande e Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Círculo do Livro (Livraria José Olympio Editora S.A.), 1933.

FRY, Peter. “Feijoada e soul food”. In: Ensaios de opinião, n. 4, São Paulo, 1986.

FRY, Peter. “Manchster, século XIX e São Paulo, século XX – dois movimentos religiosos. (mímio), 1977.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

GOLDMAN, Márcio. “A construção ritual a pessoa: a possessão no Candomblé. In: Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, ISER/CER, 1985, 12/1. Link http://www.gmbahia.ufba.br/index.php/gmbahia/article/view/307/298

MONTEIRO, Duglas T. “Roger Bastide: religião e ideologia”. In: Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, Religião e Sociedade, n. 3, 1978, 11-24.

MORAIS, Mariana Ramos de. De religião a cultura, de cultura a religião: travessias afro-religiosas no espaço público. Belo Horizonte: PUC- Minas, 2018.

ORTIZ, Renato. A morte branca do feiticeiro negro. São Paulo: Brasiliense, 1991.

RAMOS, Arthur. Introdução à Psicologia Social. São Paulo: Casa do Psicólogo: Florianópolis, SC: Universidade Federal de Santa Catarina: Brasília, DF: Conselho Federal de Psicologia, 2003 (Coleção clássicos da psicologia brasileira).

RAMOS, Arthur. O negro brasileiro. Recife: Fundação Joaquim Nabuco: Editora Massagana, 1988.

RODRIGUES, Nina. O animismo fetichista dos negros bahianos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1935.

RODRIGUES, Nina. Os africanos no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1977.

SAHLINS, Marshal. Ilhas de História. Rio de Janeiro, 1990.

SCHWARCZ, Lilia M. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SILVA, Rubens Alves da. “A propósito dos 500 anos: saudações a Oxalá e ao Senhor do Bonfim no sertão de Minas Gerais”. In: Revista Cadernos de Campo, n. 11, 2003, p. 69-85.

SILVA, Rubens Alves da. Negros católicos ou catolicismo negro?: um estudo sobre a construção da identidade negra no congado mineiro. Belo Horizonte: Nandyala, 2010 (Coleção Repensando África, V.6).

SILVA, Vagner G. “As esquinas sagradas: o candomblé e o uso religioso da cidade”. In: Magnani, José G. C. Na metrópole: textos de Antropologia Urbana. São Paulo: EdUSP,

SILVA, Vagner G. “O terreiro e a cidade nas etnografias afro-brasileiras”. In. Revista de Antropologia. Dpto de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 1993.

SILVA, Vagner G. da. O antropólogo e sua magia: trabalho de campo e texto etnográfica nas pesquisas antropológicas sobre as religiões afro-brasileiras. São Paulo: EdUSP, 2000.

SILVA, Vagner G. O candomblé na cidade: tradição e renovação. Dissertação de Mestrado, FFLCH/USP – Programa de Pós-Graduação em antropologia Social, 1992.

SILVA, Vagner G. Orixás da metrópole. Petrópolis: Vozes, 2000.

SOUZA, Ricardo Luiz de. Identidade nacional e modernidade brasileira: o diálogo entre Sílvio Romero, Euclides da Cunha, Câmara Cascudo e Gilberto Freyre. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

STOCKING Jr., George W. A formação da antropologia americana, 1883-1911: antologia/Franz Boas. Rio de Janeiro: Contraponto: Editora UFRJ, 2004.

YÚDICE, George Yúdice. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2013.

Downloads

Publicado

2021-02-17

Como Citar

Alves da Silva, R. . (2021). Religiões Afro, desigualdade e discriminação étnico-racial. Revista Argumentos, 18(1). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3833

Edição

Seção

Dossiê