Participar: verbo em voz altiva – Adolescentes e jovens sujeitos de mudança das suas realidades no Brasil profundo

Autores

Palavras-chave:

Covid-19, participação, infâncias, juventudes

Resumo

As juventudes camponesas do Nordeste brasileiro têm múltiplas identidades e anseios. Não é suficiente referenciá-las a partir de seu pertencimento territorial ou somente por questões de gênero ou étnico-raciais. Desconstruções destes imaginários, que também compartimentam as lutas sociais e reforçam estereótipos, são movimentos cotidianos realizados a partir de mecanismos os mais diversos. Desde a experiência aqui apresentada, a partir do cenário de pandemia da Covid-19, o fio condutor para esta reflexão é a dimensão da participação de adolescentes e jovens - meninos, meninas, negros e negras, camponeses – estudantes, e que hoje vivem nas sedes de seus municípios, em processos que podem influenciar a mudança de vida de suas comunidades, municípios e territórios, apresentando, através de suas vozes, as preocupações que vêm lhes afetando de modo direto e, também, numa dimensão mais ampla. É a partir da afirmação das múltiplas identidades, da expressão de suas capacidades de análise e de propostas para enfrentamento das dificuldades vivenciadas e da interlocução intergeracional que estes e estas adolescentes e jovens suplantam a condição de vulnerabilidade na qual estão historicamente inseridas e inseridos e mostram suas potencialidades, contribuindo para a desconstrução de estigmas limitantes ao seu desenvolvimento e apresentando consciência e reinvindicações de seus direitos e de seus ambientes de pertencimento - em uma clara demonstração de empatia, solidariedade e consciência cidadã.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Pinto, Terre des Hommes Suisse

Assistente Social, Mestra em Gestão Social e Desenvolvimento Territorial pela Universidade Federal da Bahia – UFBA e Coordenadora Nacional de Terre des Hommes Suisse, Suiça. E-mail:  l.pinto@terredeshommessuisse.ch. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1979-9361. 

Referências

BRASIL. Lei Federal 8.069. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília. DF. 1989.

BRASIL. Ministério da Educação/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo da Educação Básica/2019. Brasília/DF/2020. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Convenção Internacional dos Direitos das Crianças – CDC. 1989.

RIBEIRO, Djamila. O que é Lugar de Fala. Belo Horizonte: Letramento, 2017. 112 p. Feminismos Plurais.

SANTOS, Luciana F Pinto. Masculinidade Tóxica e cultura do cuidado. Salvador, novembro, 2020. (a autora). Artigo fruto da participação na Roda Juventudes Já, promovida pelo Fundo das Nações Unidas para as Populações – UNFPA.

SILVA, Alexandre Magno Tavares da. Protagonismo Juvenil, Pedagogia Social e o Pensamento Pedagógico Freireano: alguns desafios e perspectivas para a formação de educadores e educadoras sociais em projetos socioeducativos. Interritórios | Revista de Educação da Universidade Federal de Pernambuco, Caruaru, BRASIL | V.1 | N.1 [2015].

TERRE DES HOMMES SUISSE. Vozes Para a Mudança – Informe Covid-19. Salvador, junho, 2020.

TERRE DES HOMMES SUISSE, Voces Por el Cambio – Informe Covid 19 América Latina. Bogotá, maio, 2020.

TERRE DES HOMMES SUISSE, Relatório do projeto - Direitos em Tempos de Covid-19: A voz de crianças e jovens. Salvador, novembro de 2020. Em parceria com a Embaixada da Suíça no Brasil.

www.vocesparaelcambio.org (Portal Vozes para a Mudança).

Downloads

Publicado

2021-02-17

Como Citar

Pinto, L. (2021). Participar: verbo em voz altiva – Adolescentes e jovens sujeitos de mudança das suas realidades no Brasil profundo. Revista Argumentos, 18(1). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3831

Edição

Seção

Dossiê