O Brasil e o passado dos Jogos Olímpicos Modernos: um vazio historiográfico

Brazil and the past of the Modern Olympic Games: a historiographic void

Autores

Palavras-chave:

Jogos Olímpicos Modernos; historiografia; pesquisa acadêmica; história dos esportes; esportes.

Resumo

 Trabalhos de natureza historiográfica são importantes para se poder perceber os caminhos que a produção em pesquisa histórica sobre determinada temática tem trilhado. Nosso objetivo com este artigo é o de realizar um debate historiográfico sobre a pesquisa em história do esporte e, em particular, sobre o passado dos Jogos Olímpicos Modernos. O levantamento dos trabalhos foi realizado em bases internacionais e nacionais de pesquisa de livros, artigos, dissertações e teses. Os resultados nos mostram que, apesar de um crescimento nos estudos sobre o passado dos esportes, tanto no Brasil quanto no exterior, e sobre o passado dos Jogos Olímpicos Modernos na produção internacional, o Brasil ainda se ressente da falta de pesquisas sobre o passado da temática olímpica moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Manuel Casquinha Malaia Santos, Universidade Federal de Santa Maria

Professor do Departamento de História, do Programa de Pós-Graduação em História e do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História da Universidade Federal de Santa Maria. E-mail: jmalaia@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7154-3860.

Sérgio Settani Giglio, Universidade Estadual de Campinas

Professor do Departamento de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Estadual de Campinas. E-mail: sergio@fef.unicamp.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3190-0859.

Referências

BARNEY, Robert. The United States in the Modern Olympic Movement: A Historiography. In: RIESSE, Steven (ed.). A Companion to American Sport History. West Sussex, Reino Unido: John Wiley & Sons, 2014, p. 379-402.

BESNIER, Niko; GUINNESS, Daniel; HANN, Mark; KOVAČ, Uroš. Rethinking Masculinity in the Neoliberal Order: Cameroonian Footballers, Fijian Rugby Players, and Senegalese Wrestlers. Comparative Studies in Society and History. V. 60, n. 4, p. 839-872, 2018.

CHAPLIN, P. Darts in England, 1900–1939: A Social History. Manchester/Reino Unido: Manchester University Press, 2009.

COLLINS, Tony; VAMPLEW, Wray. Mud, Sweat and Beers: A Cultural History of Sport and Alcohol. Oxford/Reino Unido: Berg, 2002.

CORNELSEN, Elcio L. Os Jogos Olímpicos de Berlim e a cobertura da imprensa brasileira. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 29, 2017, Brasília. Caderno de Resumos do XXIX Simpósio Nacional de História da ANPUH. Brasília: Universidade de Brasília, 2017, p. 1.072-1.073.

DYRESON, Mark. The republic of consumption at the Olympic Games: globalization, Americanization and Californization. Journal of Global History. V. 8, n. 2, p. 256-278, 2013.

GIGLIO, Sergio Settani. COI x FIFA: A História Política do Futebol nos Jogos Olímpicos. São Paulo, 2013. 518 f. Tese (Doutorado em Educação Física e Esporte) – Universidade de São Paulo.

______. A busca pela definição de amadorismo (1894-1910). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 29, 2017, Brasília. Caderno de Resumos do XXIX Simpósio Nacional de História da ANPUH. Brasília: Universidade de Brasília, 2017, p. 1.082-1.083.

GUTTMANN, Allen. The Olympics: A History of the Modern Games. University of Illinois Press: Chicago (EUA), 1992.

HARGREAVES, John; FERRANDO, Manuel Garcia. Public Opinion, National Integration and National Identity in Spain: The Case of the Barcelona Olympic Games. Nations and Nationalism. V. 3, n. 1, p. 65-87, 2004.

HENRY, Ian. The Olympics: Why We Should Value Them. In: LENSKYJ, H. J.; WAGG, S. (eds.) The Palgrave Handbook of Olympic Studies. Hampshire/Reino Unido: Macmillan Publishers, 2012, p. 551-569.

HOULIHAN, Barrie. Sport, National Identity and Public Policy. Nations and Nationalism, V. 3, n. 1, p. 113-137, 2004.

LEMOS, Danilo L. R. A História Social do Movimento Olímpico Brasileiro no início do século XX. São Paulo, 2008, 81 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de São Paulo.

LENSKYJ, Helen J. Gender Politics and the Olympic Industry. Hampshire/Reino Unido: Macmillan Publishers, 2013.

______. The Case against the Olympic Games: The Buck Stops with the IOC. In: LENSKYJ, H. J.; WAGG, S. (eds.) The Palgrave Handbook of Olympic Studies. Hampshire/Reino Unido: Macmillan Publishers, 2012, p. 570-579.

LENSKYJ, Helen J.; WAGG, Stephan. (eds.) The Palgrave Handbook of Olympic Studies. Hampshire/Reino Unido: Macmillan Publishers, 2012.

LICO, Flávio A. A. O Boicote aos Jogos Olímpicos de Moscou 1980: uma análise da reação do movimento olímpico brasileiro e internacional. São Paulo, 2007, 149 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de São Paulo.

MADURO, Luiz A. R. A História do Judô no Rio Grande do Sul: das primeiras manifestações aos Jogos Olímpicos de Atlanta. Porto Alegre, 1999. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

MAGALHAES, Lívia G. O dono do jogo: João Havelange e a memória do esporte mundial. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 29, 2017, Brasília. Caderno de Resumos do XXIX Simpósio Nacional de História da ANPUH. Brasília: Universidade de Brasília, 2017, p. 541-542.

MARTA, Felipe E. F. O Caminho dos Pés e das Mãos: Taekwondo. Arte Marcial, Esporte e a Colônia Coreana em São Paulo (1970-2000). São Paulo, 2004, 132 f. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

MARTINI, Sergio R. B. Memórias dos Atletas Olímpicos dos Clubes Sul-rio-grandenses. Porto Alegre, 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

MCDOWELL, Matthew L. Sports History: Outside of the Mainstream? A Response to Ward’s ‘Last Man Picked’. The International Journal of the History of Sport. V. 30, n. 1, p. 14-22, 2013.

MELO, Victor A. O Trato do Esporte nos Simpósios da Associação Nacional de História. Recorde, V. 9, n. 1, p. 1- 17, 2016.

MELO, Victor A.; FORTES, Rafael. História do esporte: panorama e perspectivas. Fronteiras, V. 12, n. 22, p. 11-35, 2010.

MIRAGAYA, Ana M. F. O Processo de Inclusão das Mulheres nos Jogos Olímpicos. Rio de Janeiro, 2006. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Gama Filho.

MONTANHA, Fausto A. R. Pi. Mídia, Esporte e Idolatria: o Jornal do Brasil e a representação dos atletas brasileiros nos Jogos Olímpicos. Rio de Janeiro, 2014. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

______. Os Jogos Olímpicos na capital da República: narrativas da imprensa e campo esportivo no Rio de Janeiro (1890-1935). Rio de Janeiro, 2018. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade do Estado do Rio De Janeiro.

MORRIS, Andrew. “To Make the Four Hundred Million Move”: The Late Qing Dynasty Origins of Modern Chinese Sport and Physical Culture. Comparative Studies in Society and History. V. 42, n. 4, p. 876-906, 2000.

NASCIMENTO, Paulo H. Mulheres no pódio: as histórias de vida das primeiras medalhistas olímpicas brasileiras. São Paulo, 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de São Paulo.

NETO, Marcia F. A participação do Brasil no Movimento Olímpico Internacional no período de 1826 a 1925. Rio de Janeiro, 1999. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Gama Filho.

NUNES, Alexandre V. A Influência da Imigração Japonesa no Desenvolvimento do Judô Brasileiro: uma genealogia dos atletas brasileiros medalhistas em Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais. São Paulo, 2011. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade de São Paulo.

RIDER, Toby C.; WAMSLEY, Kevin B. Myth, Heritage and the Olympic Enterprise. In: LENSKYJ, H. J.; WAGG, S. (eds.) The Palgrave Handbook of Olympic Studies. Hampshire/Reino Unido: Macmillan Publishers, 2012, p. 289-303.

ROSINA, Dhenis. Entre narrativas, fragmentos e estilhas: construções de atletas brasileiros sobre os jogos olímpicos do México de 1968. São Paulo, 2018. Tese (Doutorado em Educação Física e Esporte) - Universidade de São Paulo.

RUBIO, Katia. A experiência da pesquisa “Memórias olímpicas por atletas olímpicos brasileiros”. Acervo, V. 27, n. 2, p. 93-105, 2014.

SANTOS, Doiara S. Narrativas Identitárias do Nacional nos Jogos Olímpicos de Inverno Vancouver 2010. Vitória, 2011. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal do Espírito Santo.

SCHIAVON, Laurita M. Ginástica artística feminina e história oral: a formação desportiva de ginastas brasileiras participantes de Jogos Olímpicos (1980-2004). Campinas, 2009. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Estadual de Campinas.

SOUZA, Gabriela C. História do judô feminino no Brasil: da quebra da proibição (1979) à oficialização em olímpiadas (1992). Rio de Janeiro, 2007. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Gama Filho.

TEIXEIRA, Karoline V. A Orgia dos Sentidos: A construção do corpo nas imagens de Olympia de Leni Riefenstahl. Fortaleza, 2008. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Ceará.

TERRET, Thierry Is There a French Sport History? Reflections on French Sport Historiography. The International Journal of the History of Sport, V. 28, n. 14, p. 2061-2084, 2011.

VACZI, Mariann; BAIRNER, Alan; WHIGHAM, Stuart. Where extremes meet: Sport, nationalism, and secessionism in Catalonia and Scotland. Nations and Nationalism, p. 1-17, 2019.

VAREJÃO, Flavia B. Esporte e Relações Internacionais: Análise de não-adesão do Brasil aos boicotes aos Jogos Olímpicos de Moscou (1980) e Los Angeles (1984). Niterói, 2006. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) - Universidade Federal Fluminense.

WARD, Paul. Britishness since 1870. Londres: Routledge, 2004.

______. Last Man Picked. Do Mainstream Historians Need to Play with Sports Historians? The International Journal of the History of Sport, V. 30, n. 1, p. 6-13, 2013.

WIGGINS, David; MASON, Daniel. The socio-historical process in sport studies. In: ANDREWS, David; MASON, Daniel; SILK, Michael (Orgs.). Qualitative methods in sports studies. Nova York: Berg, 2005, p. 39-64.

YOON, Jongsoo Lee Hyunsun. Narratives of the nation in the Olympic opening ceremonies: comparative analysis of Beijing 2008 and London 2012. Nations and Nationalism. p. 1-18, 2017.

YOUNG, Christopher; HILBRENNER, Anke; TOMLINSON, Alan. Source European Sport Historiography: Challenges and Opportunities. Journal of Sport History, V. 38, n. 2, p. 181-187, 2011.

Downloads

Publicado

2020-07-20

Como Citar

Casquinha Malaia Santos, J. M. ., & Settani Giglio, S. . (2020). O Brasil e o passado dos Jogos Olímpicos Modernos: um vazio historiográfico: Brazil and the past of the Modern Olympic Games: a historiographic void. Revista Argumentos, 17(2). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3051

Edição

Seção

Dossiê