Memória olímpica como legado? A Fundação Casa de Rui Barbosa e seu projeto institucional de preservação da memória das Olimpíadas Rio 2016

Olympic memory as a legacy? Fundação Casa de Rui Barbosa and its institutional project to preserve the memory of the Rio 2016 Olympics

Autores

Palavras-chave:

Jogos Olímpicos Rio 2016; Memória; Esportes; História Oral; Cidade.

Resumo

O presente artigo examina o caso de uma iniciativa institucional voltada à preservação da memória dos Jogos Olímpicos de Verão Rio 2016. Procura-se mostrar de que maneira, em paralelo às ações governamentais e à performance dos atletas durante o torneio realizado no Rio de Janeiro, houve um notável investimento de parte da instituição no sentido de salvaguardar o registro dos acontecimentos desse até então inédito megaevento esportivo no Brasil, ocorrido pela primeira vez da sua história em uma cidade da América do Sul. Em que pese uma série de críticas e questionamentos feitos à organização das Olimpíadas por parte da opinião pública, e mesmo de parcelas da Academia, salientam-se aqui os esforços de uma rede de pesquisadores com vistas a construir e a fixar uma memória coletiva em torno do evento. Para destacar esse aspecto, incluído na chave nativa de um “legado”, mobilizaremos o exemplo paradigmático da Fundação Casa de Rui Barbosa, que, em conjunto com o FGV CPDOC, desenvolveu um amplo programa de acompanhamento e cobertura dos Jogos durante o ano de sua realização. Com efeito, abordaremos de início o conceito de memória e, em particular, do que denominamos “memória esportiva”. Na sequência, amparados em fontes primárias, trataremos da concepção de processos e ações dedicadas ao registro do megaevento esportivo na cidade, por parte da FCRB. Em seguida, exploraremos um de seus eixos mais importantes, a História Oral, implementado em parceria com o FGV CPDOC, na seleção de relatos dos atores envolvidos com o torneio no contexto de sua realização. Por fim, daremos a conhecer a exposição “Rio de Janeiro – cidade esportiva, cidade olímpica”, ocorrida nas dependências da Fundação, com base em seu rico acervo documental de jornais e revistas ilustradas, de modo a salientar os vínculos entre a história republicana da instituição, as competições esportivas no país e a construção de um lugar de memória olímpica para a cidade em questão. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardo Buarque de Hollanda, FGV / CPDOC

Doutor em História Social da Cultura (PUC-Rio). Professor-adjunto da FGV CPDOC e bolsista de produtividade em pesquisa (PQ) do CNPq. Professor do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (FGV CPDOC). E-mail: bernardobuarque@gmail.com. Registro ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7781-4684.

Vivian Luiz Fonseca, Universidade Estadual do Rio de Janeiro e FGV/CPDOC

Doutora em História, Política e Bens Culturais (FGV). Pesquisadora e Coordenadora do Programa de História Oral do FGV CPDOC e Professora Adjunta do Departamento de História da UERJ, Professora dos Programas de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (FGV CPDOC) e do Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Ensino de História (Prof. História/UERJ). Pesquisadora associada ao INCT Proprietas. E-mail: vivianluizfonseca@gmail.com. Registro ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0943-9752.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica. Porto Alegre: LP&M, 2018.

BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

CALABRE, Lia. “Prefácio”. In: CALABRE, Lia; CABRAL, Eula Dantas; SIQUEIRA, Maurício; FONSECA, Vivian (Orgs.). Memória das Olimpíadas no Brasil: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, vol. 1, 2017.

CARNEIRO, Juliana. O lugar da cultura nos Jogos Olímpicos Rio 2016: uma análise comparativa entre o Dossiê de Candidatura e as Olimpíadas Culturais. Rio de Janeiro: Tese de doutorado em História Comparada, UFRJ, 2020.

DAMO, Arlei; OLIVEN, Rubem. “O Brasil no horizonte dos megaeventos esportivos de 2014 e 2016: sua cara, seus ócios e negócios”. In: Revista Horizontes Antropológicos. Porto Alegre: vol. 19, n. 40, p. 19-63, 2013.

ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. Quest for excitement: sport and leisure in the civilizing process. Dublin: University College Dublin Press, 2008.

FONSECA, Vivian; SIQUEIRA, Carla. “Memória dos Jogos Rio 2016: desafios metodológicos na construção de um acervo de História Oral”. In: CALABRE, Lia; CABRAL, Eula Dantas; SIQUEIRA, Maurício (Orgs.). Memória das Olimpíadas no Brasil: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, vol. 2, 2017.

HUYSSENS, Andreas. “Mídia e discursos da memória”. In: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo: Volume XXVII, n. 1, janeiro/junho, p. 97-106, 2004.

LE GOFF, Jacques. “Memória”. In: Memória-história. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1986.

LOWENTHAL, David. The past is a foreign country. Cambridge: University Press, 1985.

MAGALHÃES, Alexandre. “O ‘legado’ dos megaeventos esportivos: a reatualização da remoção de favelas no Rio de Janeiro”. In: Revista Horizontes Antropológicos. Porto Alegre: vol. 19, n. 40, p. 89-118, 2013.

MELO, Victor Andrade de. Cidade sportiva: primórdios do esporte no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

SEVCENKO, Nicolau. A corrida para o século XXI: no loop da montanha russa. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SPAGGIARI, Enrico; MACHADO, Giancarlo; GIGLIO, Sérgio (Orgs.). Entre jogos e copas: reflexões de uma década esportiva. São Paulo: Intermeios, 2016.

TRAVERSO, Enzo. O passado, modos de usar. Lisboa: Unipop, 2012.

VELHO, Gilberto. “Memória, identidade e projeto”. In: Projeto e metamorfose. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

WEINRICH, Harald. Lete: arte e crítica do esquecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

YATES, Francis. A arte da memória. Campinas: Editora UNICAMP, 2007.

Downloads

Publicado

2020-07-20

Como Citar

Buarque de Hollanda, B. ., & Luiz Fonseca, V. . (2020). Memória olímpica como legado? A Fundação Casa de Rui Barbosa e seu projeto institucional de preservação da memória das Olimpíadas Rio 2016: Olympic memory as a legacy? Fundação Casa de Rui Barbosa and its institutional project to preserve the memory of the Rio 2016 Olympics. Revista Argumentos, 17(2). Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/argumentos/article/view/3048

Edição

Seção

Dossiê