A armadilha da renda média:

Uma breve revisão literária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/20230107

Resumo

Sem pretender esgotar o tema, este artigo apresenta uma breve revisão literária sobre a armadilha da renda média. O tema armadilha da renda média apesar de recente apresenta diversos debates literários, todavia não há um consenso sobre como definir esse conceito. De acordo a literatura, a armadilha de renda média tem sido um termo utilizado na literatura recente com o objetivo de classificar economicamente os países que após conseguirem atingir uma economia intermediaria apresentam dificuldades para transpor essa linha. Neste sentido, o objetivo deste trabalho é investigar o que a literatura tem considerado como “armadilha da renda média” e quais as soluções teóricas propostas para proporcionar que os países que se encontram nessa situação, possa transpor esse limiar. O estudo foi realizado pelo método de revisão de literatura qualitativa, descritiva e de caráter exploratório. O que se pode evidenciar é que existem linhas de pensamentos teóricos que guiam argumentos para sobre a condição e auxiliar os países no manejo do seu crescimento. As duas principais linhas de pensamento hipotéticas abordadas nesse artigo foram a da ausência de mudança estrutural e os fatores para desaceleração do crescimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AIYAR, M. R. S. et al. Growth slowdowns and the middle-income trap. International Monetary Fund, 2013.

AIYAR, S. et al. Growth slowdowns and the middle-income trap. Japan and the World Economy, v. 48, p. 22-37, 2018. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0922142518300823>, acesso em 20/05/2023.

BACHA, E. L. Democracia e economia. Revista Brasileira, fase x, ano II, no. 114, jan/fev/mar, p.37-43, 2023.

BUENO, A. Indicadores de desempenho para núcleos de inovação tecnológica a partir de experiências nacionais e internacionais. In: Respositório Institucional UFScar. 2016. Tese (Programa de pós-graduação em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de São Carlos, [S. l.], 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/8665/TeseAB.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 15 maio 2023.

DOMÍNGUEZ, R.; CARIA, S. Equadorna armadilha da renda média. Problemas del desarrollo, v. 47, n. 187, p. 89-112, 2016.

EICHENGREEN, B.; PARK, D.; SHIN, K.. When fast-growing economies slow down: International evidence and implications for China. Asian Economic Papers, v. 11, n. 1, p. 42-87, 2012.

FELIPE, J.; KUMAR, U.; GALOPE, R. Middle-income transitions: trap or myth?. Journal of the Asia Pacific Economy, v. 22, n. 3, p. 429-453, 2017.

GOBETTI, S. W.; ORAIR, R. O. Política fiscal em perspectiva: o ciclo de 16 anos (1999- 2014). Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 19 n. 3, set./dez. 2015.

HAUSMANN, R.; RODRIK, D.; VELASCO, A. Growth Diagnostics. In: SERRA, N; STIGLITZ, J. (Orgs.), The Washington Consensus Reconsidered: Towards a New Global Governance, 324–354. New York: Oxford University Press, 2011.

IM, F. G.; ROSENBLATT, D. Middle-income traps: a conceptual and empirical survey. Journal of International Commerce, Economics and Policy, v. 6, n. 03, p. 1550013, 2015.

JANKOWSKA, A.; NAGENGAST, A.; PEREA, J. R. The product space and the middle-income trap: comparing Asian and Latin American experiences. 2012. Disponível em: <https://www.oecd-ilibrary.org/development/the-product-space-and-the-middle-income-trap_5k9909j2587g-en>, Acesso em: 15 maio de 2023

KHARAS, H.; KOHLI, H.. What is the middle income trap, why do countries fall into it, and how can it be avoided?. Global Journal of Emerging Market Economies, v. 3, n. 3, p. 281-289, 2011.

LEDERMAN, D.; MALONEY, W. Does what you export matter?: In search of empirical guidance for industrial policies. World Bank Publications, 2012.

LIN, J. Y.; TREICHEL, V. Learning from China's rise to escape the middle-income trap: a new structural economics approach to Latin America. World Bank policy research working paper, n. 6165, 2012.

MELGUIZO, A. et al. No sympathy for the devil! Policy priorities to overcome the middle-income trap in Latin America. 2017. Disponível em: < https://www.oecd-ilibrary.org/content/paper/26b78724-en>, Acesso em: 17 de maio 2023.

MUELLER, Antony Peter. O Brasil na armadilha da renda média. 2013. Disponível em: <https://ri.ufs.br/handle/123456789/1324>. Acessado em 12 maio 2023.

NÜBLER, I. A theory of capabilities for productive transformation: learning to catch up. In: Transforming economies. Making industrial policy work for growth, jobs and development. SALAZAR-XIRINACHS, J.; NÜBLER, Irmgard; KOZUL-WRIGHT, Richard (Orgs.)Transforming economies. Making industrial policy work for growth, jobs and development. Geneva: ILO, 2014.

OLIVEIRA, Y. S. Armadilha de renda média: um entrave ao crescimento econômico brasileiro. Anais dos Seminários de Iniciação Científica, n. 23, 2019.

PAUS, E. Latin America and the middle income trap. ECLAC, Financing for Development Series, n. 250, 2014.

RIBEIRO, D. D. A Armadilha da Renda Média: um estudo comparativo para as estruturas produtivas dos países da América Latina e da Coreia do Sul. Locus UFV, 2016.

RIGG, J.; BUAPUN P.; ANN, L.M. “Personalizing the mind-income trap: ab ubter-gerational migrant view from rural Thailand”, World Developmente, p. 184-198, 2014.

SONAGLIO, C. M.; MISSIO, F. J.; PEREIRA, H. C. I. A armadilha da renda média: trajetória brasileira e apreciações críticas. Revista Debate Econômico, v. 4, n. 2, p. 6-34, 2016.

WADE, R. H. O papel do Estado em escapar da armadilha da renda média: em defesa da política industrial inteligente. SÉCULO XXI, p. 195, 2018.

ZAGATO, L. M. J. C. et al. A armadilha da renda média e os obstáculos à transformação estrutural: a curva S da complexidade econômica. FGV Repositório Digital, 2019. Disponível em: <https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/27777>, Acesso em: 14 de maio de 2023.

Downloads

Publicado

25-09-2023

Como Citar

Fontes de Sousa, H. E. (2023). A armadilha da renda média:: Uma breve revisão literária. Revista Economia E Políticas Públicas, 11(1), 164–178. https://doi.org/10.46551/20230107