DESEMPREGO TECNOLÓGICO NA INDÚSTRIA: UMA ANÁLISE SOBRE O SETOR TÊXTIL NO BRASIL

Autores

  • Guilherme Barbosa de Oliveira Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

DOI:

https://doi.org/10.46551/epp2021912

Resumo

O progresso técnico é estudado desde os primeiros economistas. As discussões sobre o tema afirmam que essa variável é de suma importância para o crescimento econômico, entretanto o trabalho humano empregado na produção é reduzido. Partindo dessa constatação, o objetivo desta pesquisa é analisar as implicações do progresso técnico no desemprego do setor têxtil brasileiro. É uma pesquisa bibliográfica, descritiva e analítica. Conclui-se que o setor têxtil brasileiro possui desemprego tecnológico, onde progresso técnico gerou aumentos na produção, todavia, desempregou trabalhadores com menos qualificação profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Barbosa de Oliveira, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Mestrando em Economia Aplicada no Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP.  O presente trabalho foi realizado com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG).

Referências

ALVES, P. L. Reestruturação produtiva e os trabalhadores: um olhar atual sobre o setor têxtil em Sergipe. 123f, 2010. [Dissertação de mestrado] Pós-graduação em Desenvolvimento Regionais e Gestão de Empreendimentos Locais, Universidade Federal de Sergipe, Sergipe.

BACKES, D. S. et al. Internacionalização como desafio ao impacto da globalização: contribuições da enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v.48, n.5, p.772-777, out. 2014.

BARBOSA FILHO, F. H. A crise econômica de 2014/2017. Revista Estud. Av., São Paulo, v. 31, n. 89, p. 51-60, 2017.

BAYNE, E. History of the cotton manufacture in Great Britain. London, H. Fisher, R. Fisher, and P. Jackson. University of California Libraries, 1835.

BRUNO, F. S. A quarta revolução industrial do setor têxtil e de confecção: avisão de futuro para 2030. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2016.

CAVALCANTE, Z. V.; SILVA, M. L. S. da. A importância da Revolução Industrial no mundo da Tecnologia. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA, 7. 2011. Maringá. Anais eletrônico. Maringá. 2011. Disponível em: <https://www.unicesumar.edu.br/epcc 2011/wpcontent/uploads/sites/86/2016/07/zedequias_vieira_cavalcante2.pdf>. Acesso em: 9 abr. 2019.

CONCEIÇÃO, C. S.; FARIA, L. A. Padrões históricos da mudança tecnológica e ondas longas do desenvolvimento capitalista. In: DATHEIN, R., Org. Desenvolvimentismo: o conceito, as bases teóricas e as políticas [online]. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

COSTA, S.; BERMAN, D.; HABIB, R. L. 150 anos da indústria têxtil brasileira. Rio de Janeiro: SenaiCetiqt/Texto&Arte, 2000.

DALMASO, S. A. R.; COUTINHO, M. C. Rev. Arq. Bras. Psicol. [online]. Vol.62, n.3, p.93-105, 2010.

DATHEIN, R. Inovação e Revoluções Industriais: uma apresentação das mudanças tecnológicas determinantes nos séculos XVIII e XIX. Publicações DECON Textos Didáticos, fevereiro de 2003. DECON/UFRGS, Porto Alegre, 2003.

DATHEIN, R. Teoria neoschumpeteriana e desenvolvimento econômico. In: Desenvolvimentismo: o conceito, as bases teóricas e as políticas [online]. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003. Estudos e pesquisas IEPE series, p.193-222, 2003.

FREEMAN, C.; SOETE, L. A economia da inovação industrial. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

FUJITA, R. M. L.; JORENTE, M. J.: A indústria têxtil no Brasil: uma perspectiva histórica e cultural. Revista Moda Palavra e-Periódico, vol.8, n.15, 2015.

GORENDER, J.: Globalização, tecnologia e relações de trabalho. Rev. Estudos Avançados, 11(39), p. 311-361, 1997.

KON, A.; COAN, D. C.: Transformações da indústria têxtil brasileira: a transição para a modernização. Revista de Economia Mackenzie, São Paulo, n.3, p.11-34, 2005.

KONDO, J. I. et al. Qualidade do fio “open-end” obtido com matérias-primas produzidas por variedades paulistas de algodoeiro e suas misturas com poliéster. Bragantia, Campinas-SP, 1984.

COSTA, D. M.; OLIVEIRA, G. B. Desemprego tecnológico na indústria Economia e Políticas Públicas, v. 9, n. 1/2021.

LAURITINO, T. K. S.; LAURITINO, T. N. S.; BOEMO, A. P. S. I. Indústria 4.0 no setor têxtil e de confecção. VIII Congresso Brasileiro de Engenharia de Produção. Ponta Grossa - PR, dezembro de 2018.

MAIA, et al. A cadeia produtiva da indústria têxtil e sua capacidade de induzir o desenvolvimento regional: o caso das indústrias do Norte de Minas. Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais – FAPEMIG, UNIMONTES. Montes Claros, 2006.

MARINGONI, G. A superação dos obstáculos para a industrialização. IPEA Desafios ao desenvolvimento, Ano.9, Ed.74, 2012. Disponível em: <http://desafios.ipea.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2827:catid=28&Itemid=23>. Acesso em: 16 set. 2019.

MARX, K. (1867). O capital: Crítica da econômica política. 2. ed. São Paulo. Boitempo, 2014.

MATTOSO, J.: Tecnologia e emprego: uma relação conflituosa. Rev. São Paulo Perspec., São Paulo - SP, v.14, n.3, p.115-123, jul. 2000. MEDEIROS, S. M.; ROCHA, S. M. M. Considerações sobre a terceira revolução industrial e a força de trabalho em saúde em Natal. Rev. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.9, n.2, p.399-409, jun. 2004.

MELO, M. O. B. C. et al. Inovações tecnológicas na cadeia produtiva têxtil: análise e estudo de caso em indústria no nordeste do brasil. Revista Produção Online, v.7, n.2, Ago, 2007.

NEIRA, L. G. Design, educação, cultura: origens do projeto têxtil no Brasil. Revista Brasileira de História da Ciência, v.6, n.1, p.78-88, Rio de Janeiro, 2013.

O SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÃO E OS DESAFIOS DA SUSTENTABILIDADE. Confederação Nacional da Indústria, Associação Brasileira da

Indústria Têxtil e de Confecção – Brasília: Confederação Nacional da Indústria, 2017.

POCHMANN, M. Capitalismo e desenvolvimento. In: Brasil sem industrialização: a herança renunciada [online]. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016, p. 16-64.

RIBEIRO, A. F. Taylorismo, fordismo e Toyotismo. Rev. Lutas Sociais, São Paulo, vol.19 n.35, p.65-79, jul./dez. 2015.

RICARDO, D. (1817). Princípios de economia, política e tributação. São Paulo - SP: Nova Cultural, 1996.

SAKURAI, R.; ZUCHI, J. D. As revoluções industriais até a indústria 4.0. Revista Interface Tecnológica, v.15, n.2, SP, 2018.

SCHUMPETER, J. A. (1942). Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro - RJ: Fundo de Cultura, 1961.

SCHUMPETER, J. A. (1911). Teoria do desenvolvimento econômico: Uma investigação sobre os lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo - SP: Nova Cultural, 1997.

SMITH, A. (1776). A riqueza das nações: Investigação sobre a sua natureza e causas (Vol. 1). São Paulo - SP: Nova Cultural, 1996.

SINGER, P.: Globalização e desemprego. Contexto, São Paulo, 1999.

STEIN, Stanley J. Origens e evolução da indústria têxtil no Brasil – 1850/1950. Rio de Janeiro: Editora Campus LTDA, 1979.

PORTAL DA INDÚSTRIA. SENAI CETIQT inaugura primeira fábrica modelo de confecção 4.0 do Brasil. 2018. https://noticias.portaldaindustria.com.br/noticias/competitividade/senai-cetiqt-inaugura-primeira-fabrica-modelo-de-confeccao-40-do-brasil/>. Acesso em: 16 set. 2019.

Downloads

Publicado

2021-10-27

Edição

Seção

Artigos