DESIGUALDADES EM SAÚDE NA POPULAÇÃO MINEIRA: UMA ANÁLISE COMPARADA A PARTIR DAS PADS DE 2009 E 2011

Autores

  • Carolina Portugal Gonçalves da Motta Fundação João Pinheiro
  • Murilo Cássio Xavier Fahel Fundação João Pinheiro
  • Danira Morais da Silva Fundação João Pinheiro

Resumo

Resumo: O objetivo desse trabalho é analisar as desigualdades no acesso aos serviços de saúde, em cada região de planejamento (RP) e da RMBH. A desigualdade do acesso de saúde é composto pelas seguintes dimensões individuais, como idade, sexo, raça, escolaridade; geográfica como as regiões de planejamento; capacitantes como cobertura de plano de saúde e renda e, necessidades em saúde da população, no qual a variável dependente é a atendimento médico nos últimos 30 dias e, por ser uma variável dicotômica, utilizou-se regressão binomial logística para a análise das desigualdades. Os resultados mostram as diferenças de acesso aos serviços de saúde da população mineira, nos períodos de 2009 e 2011, com uso da Pesquisa por Amostra de Domicílio (PADs). É averiguada a desigualdade de acesso em Minas Gerais, entre as regiões de planejamento e entre fatores
demográficos e socioeconômicos.


Palavras Chave: SUS; acesso a serviços de saúde; regionalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Portugal Gonçalves da Motta, Fundação João Pinheiro

Doutoranda em planejamento urbano IPPUR-UFRJ; Professora e Pesquisadora na FJP, Belo Horizonte, Minas Gerais.

Murilo Cássio Xavier Fahel, Fundação João Pinheiro

Doutor em Sociologia pela UFMG; Professor na FJP.

Danira Morais da Silva, Fundação João Pinheiro

Graduanda em Ciências Sociais na UFMG; bolsista de iniciação científica na FJP.

Referências

Andrade, M. V. et. al (2012) Desigualdade socioeconômica no acesso aos serviços de saúde no Brasil: um estudo comparativo entre as regiões brasileiras em 1998 e 2008. Anais do Encontro de Economia Mineira de 2012. Diamantina. MG. Brasil. Recuperado em 2 de outubro de 2012, de <http://web.cedeplar.ufmg.br/cedeplar/seminarios/ecn/ecn-mineira/2012/trabalho/politicas-publicas/desigualdade-socioeconomica-no-acessoaos-servicos-de-saude-no-brasil-um-estudo-comparativo-entre-as-regioesbrasileiras-

em-1998-e-2008— > Recuperado em 2 de outubro de 2012.

CHANDOLA, T. (2000) Social class differences in mortality using the new UK national statistics socio-economic classification. Social Science and Medicine, 50: 641-649.

DRAIBE, S. M. (1980) Rumos e Metamorfoses - Estado e Industrialização no Brasil, 1930-1960. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra.

FUNDAÇÃO João Pinheiro(2009) Pesquisa de Amostra de Domicílios (base de dados). Recuperado em 2012, de <http://www.fjp.mg.gov.br>. FUNDAÇÃO João Pinheiro(2011). Pesquisa de Amostra de Domicílios (base de dados). Recuperado em 2012, de <http://www.fjp.mg.gov.br>. (2005), Norma operacional básica - NOB/SUAS, Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Secretaria Nacional de Assistência Social. Recuperado em: 2012, de<http://www.mds.gov.br/

assistenciasocial/resolveuid/23ad2e16c4d257cdb672c8bb352731fa/download>

ISHIDA, H. (2004) Entry into and Exit from Self-Employment in Japan, In Richard Arum and Walter Mueller (eds.), The Reemergence of Self-Employment: A Comparative Study of Self-Employment Dynamics and Social Inequality. Princeton: Princeton University Press, pp 348-87.

ISHIDA, H. (2004). Sócio-economic differentials in health in Japan, Tokyo: University of Tokyo.

MOTTA, C.P.G.; FAHEL, M.C.X.; PIMENTEL, E.C (2008). Desigualdades em saúde na População Brasileira: uma análise comparada a partir das PNADS 1998 e 2003, com foco em Minas Gerais. Anais do Encontro de Economia Mineira de 2008. Diamantina, MG, Brasil.

Ministério da Saúde (2000). SUS: Descentralização. Brasília NORONHA, K. V.; ANDRADE, M. V., (2002). Desigualdades sociais em saúde:

Evidências empíricas sobre o caso brasileiro. Revista Econômica do Nordeste, 32 (Especial): pp. 877-897.

OLIVEIRA, A.C.; SIMÕES, R.F.; Andrade, M.V. Regionalização dos serviços de média e alta complexidade hospitalar e ambulatorial em Minas Gerais: estrutura correte versus estrutura planejada. Anais do XIII Seminário sobre economia mineira de Diamantina, 2008

OMS (2002) Informe sobre la salud en el mundo, 2002: reducir los riesgos y promover una vida sana. Genebra: OMS.

PAMUK, E. (1985) Social class and inequality in mortality from 1921 to 1972 in England and Wales. Populations Studies, 39:17-31.

RIBEIRO, J.M. (2001). Regulação e contratualização no setor saúde. In:Negri, B.; Di Giovanni, G. Brasil: radiografia da saúde. Campinas: UNICAMP.p.409-443.

SANTOS, R. B.; PALES, R. C. (2012). Desenvolvimento Regional e Desigualdades Sociais entre as Macrorregiões de Planejamento de Minas

Gerais. Anais do 36º Encontro Anual da ANPOCS. Caxambu, MG, Brasil TOWNSEND, P., DAVIDISON, N. (1990) The black report. In: Inequalities in Health. Londres: Peguin Books, 65

WAGSTAFF, A. (2000) Socioeconomic inequalities in child mortality; comparisons across nine developing countries. Bulletin of the World Health Organization, 78, p.19-29.

Downloads

Publicado

2021-04-07

Edição

Seção

Artigos