SONS E SILÊNCIOS

UMA BREVE ANÁLISE DAS MÚSICAS DE PROTESTO NOS ANOS DO REGIME MILITAR DO BRASIL

  • Gregor Castro Erbiste Universidade Federal de Alfenas / UNIFAL-MG
  • Zara Rego de Souza Universidade Federal de Alfenas / UNIFAL-MG
Palavras-chave: Ditadura Militar; Músicas de Protesto; Repressão

Resumo

No intuito de demonstrar seu descontentamento com a ditadura civil-militar
no Brasil, professores, estudantes, políticos, pensadores e personalidades, utilizaram dos
meios ao seu alcance para se manifestarem. O objetivo desse artigo é explicar e
contextualizar o período histórico da ditadura civil-militar brasileira através da análise
das músicas de protesto. Realizou-se uma revisão bibliográfica de textos que tratam do
período e da análise literária das músicas de protesto. Os resultados demonstraram as
letras das músicas como instrumentos importantes de análise de um período histórico
em que os cantores viveram, no caso específico desse trabalho, o período da ditadura
civil-militar no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BUARQUE, Chico. Cálice. Disponível em: . Acesso em 30 de jan de 2018.
DOMINGUES, Daniele; PINHEIRO, Marcos; LIMA, Talita. AI-5: O Golpe dentro do
Golpe. Eclética, PUC-RIO, p. 33-36, jul/dez, 2007.
GROPPO, Luís Antônio. O movimento estudantil de 1968 contra a ditadura e a
violência de Estado. In: NETO, Mário Daniele; STEFFENS, Marcelo Hornos; ROVAI,
Marta Gouveia (org.). Narrativas sobre tempos sombrios: ditadura civil-militar no
Brasil. São Paulo: Letra e Voz, 2017.
JÚNIOR, Weber Abrahão. Música e ensino de história: isso dá samba? Cadernos de
História, Uberlândia, 1 (1): 13-17, jan./dez., 1990.
MAIA, Adriana Valério; STANKIEWICZ, Mariese Ribas. A música popular brasileira
e a ditadura militar: vozes de coragem como manifestações de enfrentamento aos
instrumentos de repressão. 2015. 13 f. Trabalho de Conclusão de Curso
(Especialização) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2015.
NAPOLITANO, Marcos. O regime militar brasileiro: 1964-1968. São Paulo: Atual,
1998.
REGINA, Elis. O bêbado e a equilibrista. Disponível em:
. Acesso em 30 de jan de 2018.
ROLLEMBERG, Denise. Esquerdas revolucionárias e luta armada. In: FERREIRA,
Jorge; NEVES, Lucília de Almeida (orgs.). O Brasil Republicano: o tempo da
ditadura. Regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2003.
ROVAI, Marta G. O. Afinal, por que lembrar? In: NETO, Mário Daniele; STEFFENS,
Marcelo Hornos; ROVAI, Marta Gouveia (org.). Narrativas sobre tempos sombrios:
ditadura civil-militar no Brasil. São Paulo: Letra e Voz, 2017.
SAMWAYS, Daniel Trevisan. Censura à imprensa e a busca de legitimidade no
regime militar. Disponível em:
raaimprensaeabuscadelegitimidadenoregimemilitar.pdf>. Acesso em 31 de jan de 2018.
STEFFENS, Marcelo Hornos. A Folha de São Paulo fala sobre o março de 1964: os
editoriais do jornal à “espera” do golpe civil-militar. In: NETO, Mário Daniele;
STEFFENS, Marcelo Hornos; ROVAI, Marta Gouveia (org.). Narrativas sobre
tempos sombrios: ditadura civil-militar no Brasil. São Paulo: Letra e Voz, 2017.
VANDRÉ, Geraldo. Pra não dizer que não falei das flores. Disponível em:
. Acesso em 30 de jan de 2018.
Publicado
2020-03-23
Seção
Artigos