ATIVAÇÃO E WORKFARE: MEDIDAS OFENSIVAS DO CAPITAL EM TEMPOS DE CRISE

Autores

  • SILVIO APARECIDO REDON

Resumo

O presente artigo versa sobre as medidas de Workfare e as políticas de ativação, que ganharam terreno com a erosão do Estado Social e a ascensão do neoliberalismo a partir de uma nova crise do modo de produção capitalista. Para tanto será caracterizado, de forma breve, o panorama social europeu após a Segunda Guerra Mundial para, num segundo momento, apresentarmos a discussão a que se objetiva o trabalho, à luz, principalmente, de autores europeus que se dedicam ao tema, através da revisão de literatura: problematizar as principais características e definições, tanto do Workfare como das políticas de ativação, que estão influenciando novas medidas de proteção social, vinculadas ao imperativo do trabalho, seja ele qual for, como a forma mais celebrada de inserção social. As medidas surgem como mais uma ofensiva do capital na busca da acumulação ampliada, ao passo que tenciona a minimizar as ações estatais na área social, individualizando o desemprego e propondo uma inserção precária e desprotegida no mercado de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAHANSON, Peter. O retorna das medidas de ativação na política de bem-estar dinamarquesa: Emprego e Proteção Social na Dinamarca. SER Social, Brasília, v.11, n. 25, p. 244-273, jul./dez. 2009.
BEHRING, Elaine Rossetti; BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: fundamentos e história. 9° ed. São Paulo: Cortez, 2011.
BOSCHETTI, Ivanete. A Insidiosa Corrosão dos Sistemas de Proteção Social Europeus. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n.112, p. 754-803, out./dez. 2012.
CALEIRAS, Jorge. Globalização, trabalho e desemprego. Trajectórias de exclusão e estratégias de enfrentamento. In: Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, 8, 2004, Coimbra/Portugal. Anais...,2004.
COBO, Barbara. Políticas focalizadas de transferência de renda – contextos e desafios. São Paulo: Cortez, 2012.
GOUGH, Ian. Do Welfare ao WorkFare: Integração Social ou Trabalho Compulsivo? In: Seminário Europeu – Políticas e instrumentos de combate à pobreza na União Europeia: a garantia de um rendimento mínimo, Portugal, fev. 2000.
HESPANHA, Pedro; MATOS, Ana Raquel. Compulsão ao trabalho ou emancipação pelo trabalho? Para um debate sobre as políticas activas de emprego. Sociologias, Porto Alegre, ano 2, n. 4, p. 88-109, jul./dez. 2000.
JACCOUD, Luciana. Proteção Social no Brasil: Debates e Desafios. In: Concepção e gestão da Proteção Social não Contributiva no Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), 2009, p. 57-86.
LAVILLE, J. L. Inserção e workfare na Europa: perspectivas históricas e ideológicas. Reflexões a partir do exemplo francês. In: Seminário Europeu: Políticas e Instrumentos de Combate à Pobreza na União Europeia: A Garantia de um Rendimento Mínimo, 2000, Almancil/Portugal: União Europeia. Actas..., 2000.
MÉSZÁROS, I. Entrevista com Mészáros: In: ______A montanha que devemos conquistar. São Paulo: Boitempo, 2015.
MOSER, Liliane. A nova geração de políticas sociais no contexto europeu: workfare e medidas de ativação. Rev. Katás., Florianópolis, v. 14, n. 1, p. 68-77, jan./jun. 2011.
NETTO, José Paulo. Crise do Socialismo e Ofensiva Neoliberal. 5° ed. São Paulo: Cortez, 2012a.
______. Crise do capital e consequências societárias. Serviço Social e Sociedade, n° 111, p. 413-429, jul./set. 2012b.
NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia política – uma introdução crítica. 8° ed. São Paulo: Cortez, 2012.
PEREIRA, Potyara A. P. Degradação do trabalho e políticas sociais “ativas” na ordem neoliberal: aproximações ao caso brasileiro. SER Social. Brasília, v. 17, n. 37, p. 455-480, jul./dez.2015.
______. Política social e direitos humanos sob o jugo imperial dos Estados Unidos. Serviço Social e Sociedade, Sã Paulo, n° 119, p. 446-467, jul./set. 2014.
RAICHELIS, Raquel. Proteção Social e trabalho do assistente social: tendências e disputas na conjuntura da crise mundial. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n° 116, p. 609-635, out./dez. 2013.
SILVA, Armindo. Políticas de activação e de inclusão social no quadro da União Europeia. In: Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, 8, 2004, Coimbra/Portugal. Anais...,2004.
SILVA, Ricardo Gonçalves da. Do Welfare State ao Workfare ou da Política Social Keynesiana / Fordista à Política Social Schumpeteriana / Pós – Fordista. 2011. 207 fls. Tese (Doutorado em Política Social) – Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

Downloads

Publicado

2020-02-17

Como Citar

APARECIDO REDON, S. (2020). ATIVAÇÃO E WORKFARE: MEDIDAS OFENSIVAS DO CAPITAL EM TEMPOS DE CRISE. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 1(2), 63–82. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/sesoperspectiva/article/view/966