A URGÊNCIA DO DIREITO À CIDADE E AS ALTERNATIVAS DE ENFRENTAMENTO À COVID-19 EM TERRITÒRIOS VULNERABILIZADOS

Autores

  • Giselle Silva Soares Unimes

DOI:

https://doi.org/10.46551/rssp.202103

Palavras-chave:

direito à cidade, território, vulnerabilidade e questão social.×

Resumo

O presente artigo apresenta uma reflexão sobre os reflexos da pandemia da Covid-19 para a condição de vida da população vulnerável do país. Apresenta também uma aproximação entre a noção sobre o direito à cidade e a resposta construída por moradores de Paraisópolis, na cidade de São Paulo. O direito à cidade remete ao processo de privatização do espaço e do bem público das cidades, um efeito da contradição da nossa sociedade e da financeirização do capital. A experiência vivida pelo moradores da comunidade de Paraisópolis revela a construção de alternativas à crise pela própria população, as características do território, bem como a possibilidade de construção na cidade urbana de bens comuns, de comunalidades, conforme a noção desenvolvida por Harvey. Além disso, aponta a urgência das demandas sociais que devem ser destaques das ações articuladas do poder público brasileiro. Desta forma, o direito à cidade ode revelar as urgências e as demandas coletivas de grupos vulnerabilizados residentes em diferentes territórios, especialmente de diferentes centros urbanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUGÉ, M. Não lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade, Campinas: Papirus, 2012.

COUTO, B.; YAZBEK, C.; SILVA e SILVA, M.; RAICHELIS, R. (orgs.) O Sistema Único de Assistência Social no Brasil. São Paulo: Cortez, 2017.

DOWBOR, L. A Era do Capital Improdutivo. São Paulo: Autonomia Literária, 2017.

FILHO, N.A, AZEVEDO, G., TRAVASSOS, C (2020). Como controlar a pandemia no Brasil. Le Monde Diplomatique. 157,8-9.

GRABOIS, A.P. (2020). A voz ativa contra a Covid-19 no Complexo do Alemão, ignorado pelo governo na pandemia. El Pais. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2020-08-16/a-voz-ativa-contra-a-covid-19-no-complexo-do-alemao-ignorado-pelo-governo-na-pandemia.html Acesso em Agosto/2020

HARVEY, David. Condição Pós-moderna. São Paulo: edições Loyola, 1992.

_____________. Cidades Rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

_____________. A Loucura da Razão Econômica. São Paulo: Boitempo, 2018.

IAMAMOTO, M.V. (2001) A questão social no capitalismo. Temporalis. Ano II, 3, 9-32.

INESC (2020). Bolsonaro, a pandemia e a explosão das demandas sociais. Le Monde Diplomatique. 157, 4-5.

KOGA, D. Medidas de Cidades. São Paulo: Cortez, 2003.

LIMA, J.D. (2020). Por que Paraisópolis se destaca no combate ao Coronavírus. Nexo Jornal. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/07/01/Por-que-Parais%C3%B3polis-se-destaca-no-combate-ao-coronav%C3%ADrus Acesso em Agosto/2020.

MARICATO, Ermínia [et.al.]. Cidades Rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo/ Carta Maior, 2013.

Downloads

Publicado

2021-01-16

Como Citar

Soares, G. S. (2021). A URGÊNCIA DO DIREITO À CIDADE E AS ALTERNATIVAS DE ENFRENTAMENTO À COVID-19 EM TERRITÒRIOS VULNERABILIZADOS. Serviço Social Em Perspectiva, 5(1), 51–64. https://doi.org/10.46551/rssp.202103