ESTÁGIO EM SERVIÇO SOCIAL, COMBATE AO RACISMO E TRABALHO COM FAMÍLIAS

UMA EXPERIÊNCIA ANTIRRACISTA NO CONTEXTO DO TRABALHO NO CRAS

Autores

  • Tales Willyan Fornazier Moreira
  • Petula Marcelino da Silva Santos

DOI:

https://doi.org/10.46551/rssp.202005

Palavras-chave:

Serviço Social. Estágio Supervisionado. Antirracismo. Trabalho no SUAS.

Resumo

As reflexões aqui desenvolvidas, são fruto de uma experiência profissional no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) de Guará, interior de São Paulo, especificamente do trabalho desenvolvido com famílias no âmbito do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), em parceria com as estagiárias de Serviço Social. O objetivo aqui proposto é compartilhar algumas das experiências antirracistas construídas nesse período, com destaque para o trabalho com grupos no interior do PAIF e a potencialidade do estágio supervisionado nesse contexto. A experiência aqui relatada nos evidencia que o estágio também pode se constituir numa possibilidade de qualificação do trabalho do(a) supervisor(a) de campo e que o debate étnico-racial e a construção de estratégias de combate ao racismo, devem fazer parte não apenas do cotidiano profissional dos(as) Assistentes Sociais nos diversos espaços sócio-ocupacionais como, fundamentalmente, da formação profissional. Compreendemos que apenas dessa forma, será possível a materialização do projeto de formação contido nas Diretrizes Curriculares da ABEPSS (1996), visto que esta pressupõe a apreensão crítica do processo histórico como totalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tales Willyan Fornazier Moreira

Assistente Social. Doutorando e Mestre em Serviço Social pela PUC-SP. Professor substituto da Universidade Federal de Goiás. Pesquisador e Vice-Líder do GEFEPSS – Grupo de Estudo e Pesquisa: Fundamentos, Formação e Exercício Profissional em Serviço Social da UFTM. Pesquisador associado à ABPN – Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as). Membro do NEAM – Núcleo de Estudos e Pesquisas em Aprofundamento Marxista do PEPGSS da PUC-SP. Membro da Comissão Ampliada de Ética e Direitos Humanos do CRESS-Goiás.

Petula Marcelino da Silva Santos

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL (ABEPSS). Diretrizes Gerais para o Curso de Serviço Social. Rio de Janeiro, 1996. Disponível em: http://www.abepss.org.br/arquivos/textos/documento_201603311138166377210.pdf. Acesso em: 08 mai. 2020.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL (ABEPSS). Política nacional de estágio. Brasília, [2010]. Disponível em: http://www.abepss.org.br/politica-nacional-deestagio-da-abepss-11. Acesso em: 08 jan. 2020.
ALMEIDA, S. O que é racismo estrutural?. Letramento, Belo Horizonte, 2018.
BEHRING, Elaine Rosetti. Políticas sociais: seus fundamentos lógicos e suas circunstâncias históricas. In: GARCIA, Carla Cristina; HÚNGARO, Edson Marcelo; DAMASCENO, Luciano Galvão (Orgs). Estado, Política e Emancipação Humana: lazer, educação, esporte e saúde como direitos sociais. Alpharrabio, Santo André, 2008.
BRASIL. Lei Orgânica da Assistência Social. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Brasília, 1993. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8742.htm. Acesso em: 07 mai 2020.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). População negra é a maior beneficiária de programas sociais no Brasil. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social; 2013. Disponível em: http://mds.gov.br/area-de-imprensa/noticias/2013/dezembro/populacao-negra-e-a-maior-beneficiaria-de-programas-sociais-no-brasil. Acesso em: 07 mai. 2020.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Orientações técnicas –Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social; 2009. Disponível em:http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_Cras.pdf. Acesso em: 07 mai 2020.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – PAIF. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social; 2015. Disponível em: http://mds.gov.br/acesso-a-informacao/perguntas-frequentes/assistencia-social/psb-protecao-social-basica/projetos-psb/servico-de-protecao-e-atendimento-integral-a-familia-2013-paif. Acesso em: 07 mai 2020.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social; 2014. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/tipificacao.pdf. Acesso em: 24 mai 2020.
CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Resolução n. 533 que regulamenta a supervisão direta de estágio em serviço social. Brasília, 2008. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/Resolucao533.pdf. Acesso em: 08 mai. 2020.
FORNAZIER MOREIRA, Tales Willyan. Serviço Social no combate ao racismo: experiência profissional no âmbito de um CRAS no interior paulista. 16º Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais. Brasília, 2019. Disponível em: http://broseguini.bonino.com.br/ojs/index.php/CBAS/article/view/1383/1351. Acesso em 05 mai 2020.
IAMAMOTO, Marilda Villela; CARVALHO, Raul de. Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de um interpretação teórico-metodológica. São Paulo: Cortez, 1995.
IAMAMOTO, Marilda Vilela. Renovação e conservadorismo no serviço social: ensaios críticos. São Paulo, Cortez, 1994.
MARTINS, Tereza Cristina Santos. Racismo, questão social e serviço social: elementos para pensar a violação de direitos no Brasil. Revista Inscrita, Brasília, n. 14, p. 11-17, 2013.
MOURA, Clóvis. Escravismo, colonialismo, imperialismo e racismo. Afro-Ásia, Bahia, n.14, p. 124-137, 1983. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/20824. Acesso em: 01 mai 2020.
RAICHELIS, Raquel. O assistente social como trabalhador assalariado: desafios frente às violações de seus direitos. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 107, p. 420-437, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-66282011000300003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 07 mai 2020.
SILVA, José Fernando Siqueira da. Serviço Social: resistência e emancipação? 2010. 210 f. Tese (livre-docência) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, 2010. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/106702. Acesso em: 22 mai 2020.
YAZBEK, Carmelita. A pobreza e as formas históricas de seu enfrentamento. Políticas Públicas, Maranhão, n. 1, v. 9, p. 217-228, 2005. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/viewFile/3775/1858. Acesso em: 20 mai 2020.

Downloads

Publicado

2020-07-04

Como Citar

Fornazier Moreira, T. W., & Marcelino da Silva Santos, P. . (2020). ESTÁGIO EM SERVIÇO SOCIAL, COMBATE AO RACISMO E TRABALHO COM FAMÍLIAS : UMA EXPERIÊNCIA ANTIRRACISTA NO CONTEXTO DO TRABALHO NO CRAS . Revista Serviço Social Em Perspectiva, 4(1), 91-113. https://doi.org/10.46551/rssp.202005