A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL NOS CONSELHOS MUNICIPAIS E NO COLEGIADO TERRITORIAL DO ALTO SERTÃO SERGIPANO.

Autores

  • Taiane Almeida do Nascimento Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.46551/rssp.202009

Resumo

O presente artigo foi elaborado a partir do Curso de Especialização em Residência Agrária (Agroecologia, Questão Agrária, Agroindústria e Cooperativismo), justifica- se pela necessidade da participação popular nas instâncias de Controle Social com vistas a problematizar e propor ações concretas que fortaleçam esta relação. A Constituição de 1988 ratifica a democracia direta no seu Capítulo II - Dos Direitos Sociais, “É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação” (art.10), ou seja, o debate em espaços coletivos para a exposição de ideias, propostas e ações de decisão. O objetivo geral da pesquisa foi investigar como se dá a articulação do Colegiado Territorial do Alto Sertão Sergipano com os CMDRS para ampliar o Controle Social das Políticas de Desenvolvimento Rural Sustentável, e, ao mesmo tempo reforçar essa relação. Para isso foram cumpridos objetivos específicos: acompanhar a dinâmica do Colegiado Territorial do Alto Sertão Sergipano; investigar a legislação e as Políticas de Desenvolvimento Sustentável e socializar os resultados da pesquisa e apoiar o processo de aproximação entre Colegiado e CMDRS. Este trabalho se orienta pelo método dialético, por aproximar-se da realidade concreta dos sujeitos históricos em sua dinâmica e contradições. Em busca de compreender a participação popular nos conselhos gestores e no colegiado territorial do Alto Sertão Sergipano a metodologia da pesquisa utilizada foi a entrevista semiestruturada com 10 pessoas, sendo 06 dos CMDRS priorizando-se representantes da sociedade civil.

 

Palavras – Chave: Política de Desenvolvimento Rural Sustentável. Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável. Colegiado Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: 1988.

______.Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades. Disponível em:
http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=28&search=sergipe.

______. Ministério do Desenvolvimento Agrário. II Plano Nacional de Reforma Agrária: Paz, Produção e Qualidade de vida no meio rural. Aracaju, Sergipe, 2003.

______. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. II- Plano Regional de Reforma Agrária – PRRA. Aracaju, Sergipe, 2004.

______.Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Procuradoria Federal Especializada junto ao Incra. Lei 8629/93 Comentada por Procuradores Federais: Uma contribuição da PFE/Incra para o fortalecimento da reforma agrária e do direito agrário autônomo. Brasília: INCRA, 2011.

GOHN, Maria da Glória. Conselhos Gestores e Gestão Pública. São Paulo: Ciências Sociais Unisinos, 2006. Disponível em: <file:///C:/Users/T/Downloads/6008-18468-1-SM.pdf>

NASCIMENTO, Taiane Almeida do. O Controle Social no Alto Sertão Sergipano em Conjunto com o Colegiado Territorial. Relatório de Estágio Supervisionado Obrigatório em Serviço Social. São Cristóvão: UFS, 2010.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. Barbárie e Modernidade: As Transformações no Campo e no Agronegócio no Brasil. In: Revista Terra Livre, 21. São Paulo: AGB, ano 19, v 02, Julho- dez de 2003, p. 113-156.

RAICHELIS, R. EsfBRASIL. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: 1988.

______.Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades. Disponível em:
http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=28&search=sergipe.

______. Ministério do Desenvolvimento Agrário. II Plano Nacional de Reforma Agrária: Paz, Produção e Qualidade de vida no meio rural. Aracaju, Sergipe, 2003.

______. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. II- Plano Regional de Reforma Agrária – PRRA. Aracaju, Sergipe, 2004.

______.Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Procuradoria Federal Especializada junto ao Incra. Lei 8629/93 Comentada por Procuradores Federais: Uma contribuição da PFE/Incra para o fortalecimento da reforma agrária e do direito agrário autônomo. Brasília: INCRA, 2011.

GOHN, Maria da Glória. Conselhos Gestores e Gestão Pública. São Paulo: Ciências Sociais Unisinos, 2006. Disponível em: <file:///C:/Users/T/Downloads/6008-18468-1-SM.pdf>

NASCIMENTO, Taiane Almeida do. O Controle Social no Alto Sertão Sergipano em Conjunto com o Colegiado Territorial. Relatório de Estágio Supervisionado Obrigatório em Serviço Social. São Cristóvão: UFS, 2010.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. Barbárie e Modernidade: As Transformações no Campo e no Agronegócio no Brasil. In: Revista Terra Livre, 21. São Paulo: AGB, ano 19, v 02, Julho- dez de 2003, p. 113-156.

RAICHELIS, R. Esfera Pública e Conselhos de Assistência Social: Caminhos da construção democrática. São Paulo: Cortez, 2005.

STÉDILE, João Pedro. Tendências do Capital na Agricultura In: A Questão Agrária no Brasil: O debate na década de 2000. São Paulo, SP: Editora Expressão Popular, 2013.

era Pública e Conselhos de Assistência Social: Caminhos da construção democrática. São Paulo: Cortez, 2005.

STÉDILE, João Pedro. Tendências do Capital na Agricultura In: A Questão Agrária no Brasil: O debate na década de 2000. São Paulo, SP: Editora Expressão Popular, 2013.

Downloads

Publicado

2020-07-04

Como Citar

Almeida do Nascimento, T. (2020). A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL NOS CONSELHOS MUNICIPAIS E NO COLEGIADO TERRITORIAL DO ALTO SERTÃO SERGIPANO . Revista Serviço Social Em Perspectiva, 4(1), 176-198. https://doi.org/10.46551/rssp.202009