SEDENTARISMO INFANTIL PROVOCADO PELO USO EXCESSIVO DA TECNOLOGIA

Autores

  • Fernanda Érica da Silva Universidade Estadual de Montes Claros - Polo Monte Azul - MG
  • Marcos Marcos Antônio de Araújo Leite Filho Universidade estadual De Montes Claros - UNIMONTES

Palavras-chave:

Sedentarismo. Tecnologia. Ensino fundamental I. Educação física escolar. Crianças.

Resumo

O sedentarismo infantil vem aumentando no Brasil devido ao mau uso das tecnologias, e com o aumento da violência nas ruas muitos pais não deixam seus filhos saírem para brincar. Objetivo: Avaliar o uso das tecnologias na vida de crianças do Ensino Fundamental I Anos Iniciais da rede pública Estadual de ensino. Metodologia: Foi realizada uma pesquisa transversal descritiva para um levantamento de dados quantitativo em caráter comprobatório sobre o sedentarismo infantil a amostra foi constituída por 50 crianças de 6 e 11 anos, de ambos os sexos do ensino fundamental I anos iniciais do 1º ao 5º de 2 instituições da rede pública estadual de ensino da cidade de Monte Azul – MG. Resultado: Ao abordar o tema sedentarismo infantil provocado pelo uso excessivo da tecnologia percebeu – se que 54% dos alunos nunca deixam as tarefas para depois pra ficar usando as tecnologias; 56% dos alunos nunca preferem a emoção das tecnologias; 54% dos alunos responderam que às vezes as pessoas reclamam do tempo que eles passam online; as notas escolares de 72% dos alunos nunca foram afetadas por causa do uso da tecnologia; 60% dos alunos nunca sentem mal – humorado, deprimido ou nervoso quando estão offline. Conclusão: Levando em consideração os resultadosbtidos sobre o uso excessivo da tecnologia e o quanto a tecnologia nos ajudou a evoluir, foi constatado que maioria dos alunos pesquisado não ficam muito tempo ligados a tecnologia e preferem o prazer de sair com outras pessoas e praticar atividades físicas, pois estão cientes que usar descontroladamente as tecnologias existentes podem trazer alguns danos à saúde física e mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERNS, R. Topical Child Development. 2002. Disponível em: http://104.238.222.167/berns-roberta-m-child-family-school.pdf. Acesso em: 27 dez. 2021.

BORBA, A. Ensino fundamental de nove anos: orientações para inclusão da criança de seis anos de idade. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/ensifund9anobasefinal.pdf. Acesso em: 15 out. 2021.

BRAND, J; RENNER, R. Estabelecendo fronteiras e limites: algumas orientações. Disponível em: http://www.avgdigitaldiaries.com/post/6874407117/setting-boundaries-and-limits-some-guidlines-on. Acesso em: 24 out. 2021.

COVALESK, R. L.; SIQUEIRA, O. A. S. Conteúdo de marca audiovisual e regimes interacionais: Reflexões sobre o engajamento digital do consumidor. Intercom-RBCC. São Paulo. v.40. n.2. p.61-75. Maio/agosto. 2017.

DARIDO, S. C. Educação Física na escola: questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara. Koogan, 2003.

GUALANO, B; TINUCCI, T. Sedentarismo, exercício físico e doenças crônicas. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo. v. 25, p. 37-43, dez. 2011.

GUEDES, N. P. A influência da tecnologia para o sedentarismo de estudantes no ensino fundamental. Brasília 2015. Disponível em: https://repositorio.uniceub.br/jspui/bitstream/235/7546/1/21313015.pdf>. Acesso em: 18 out. 2021.

MACHADO, C. M. O uso da tecnologia como meio de favorecer saúde, qualidade de vida e a educação. Goiás, p. 6, dez. 2018.

MAZIERO, L. L.; RIBEIRO, D. F.; REIS, H. M. Desenvolvimento infantil e tecnologia. Revista Interface Tecnológica v.13, n.1, p.79-91. 2016. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/127/110. Acesso em: 16 out. 2021.

MARQUES, S. M. O Lúdico: Jogos, Brinquedos e Brincadeiras na Construção do Processo de Aprendizagem na Educação Infantil. Monografia – 2012. Disponível em: https://pedagogiaaopedaletra.com/monografia-o-ludico-jogos-brinquedos-e-brincadeiras-na-construcao-do-processo-de-aprendizagem-na-educacao-infantil/. Acesso em: 24 out. 2021.

MONTEIRO, A. F.; OSÓRIO, A. J. Novas tecnologias, riscos e oportunidades na perspectiva das crianças. Revista Portuguesa de Educação. V.28. n.1. p.35-37. 2015.

MOURA, D. A. et al. Hábitos de lazer em escolares da cidade de Bocaiúva/MG, Brasil: um estudo de prevalência em crianças e adolescentes de escolas públicas e privadas. Psicologia.pt, 26/02/2017. Disponível em: encurtador.com.br/DNOT4. Acesso em: 29 maio 2021.

NIELSEN. American families see tablet as playmate teacher and babysitter. 2012. Disponível em: http://www.nielsen.com/us/en/insights/news/2012/american-families-see-tablets-as-playmate-teacher-and-babysitter.html. Acesso em 27 dez. 2021.

OLIVEIRA, E. S. A. Infância e cultura contemporânea: os diálogos das crianças com a mídia em contextos educativos. Dissertação (Mestrado em Educação) - UFMT/Rondonópolis, Mato Grosso, Brasil, 2014.

OLIVEIRA, E. S. A. Infância, mídia e Educação Física no contemporâneo: a influência dos heróis nas culturas lúdicas das crianças. Tese de Doutorado em Estudos da Criança (especialidade Educação Física e Saúde Infantil). Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2020.

PAIVA, N. M. N; COSTA, J. S. A influência da tecnologia na infância: desenvolvimento ou ameaça? Portal dos psicólogos. ISSN 1646-6977. Jan.2015. Disponível em: http://www.psicologia.pt. Acesso em: 16 out. 2021.

RODRIGUES, W.C et al. Metodologia científica. São Paulo: Avercamp, v. 90, 2006.

SILVA, T. Os aspectos sociais, cognitivos e afetivos sobre a geração de adolescentes conectados às tecnologias digitais. Trabalho de conclusão de curso (graduação) UFP. João Pessoa. 2016.

SOUZA JUNIOR, S. L. P; BIER, A. A importância da atividade física na promoção de saúde da população infanto-juvenil. Revista digital Efdeportes. Buenos Aires. v.13, n. 119. Abr. 2008. Disponível em: http://www.efdeportes.com/. Acesso em: 19 out. 2021.

SOUZA, I. M. A; SOUZA, L. V. A. O uso da tecnologia como facilitadora da aprendizagem do aluno na escola. Itabaiana : GEPIADDE, Ano 4, V.8 jul-dez de 2010.

Publicado

2022-07-29 — Atualizado em 2022-07-29

Versões

Como Citar

DA SILVA, F. Érica; MARCOS ANTÔNIO DE ARAÚJO LEITE FILHO, M. . SEDENTARISMO INFANTIL PROVOCADO PELO USO EXCESSIVO DA TECNOLOGIA. RENEF, [S. l.], v. 5, n. 6, p. 216–225, 2022. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renef/article/view/5351. Acesso em: 12 ago. 2022.