ASSOCIAÇÃO ENTRE LETRAMENTO EM SAÚDE E A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS REGULARES ENTRE IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Emily Souto Martins São Leopoldo Mandic
  • José Mansano Bauman Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Marília Lasmar Gomes Pereira Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Simone Valéria Dias Souto Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Claudiana Donato Bauman Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

DOI:

https://doi.org/10.46551/rn2021121700047

Resumo

O envelhecimento e as alterações fisiológicas podem comprometer o desempenho do idoso em suas atividades diárias. A prática de Atividades Físicas Regulares (AFR) é reconhecida como uma relevante ferramenta para promoção da saúde e prevenção de doenças. O Letramento em Saúde (LS) se refere às habilidades das pessoas em acessar, compreender, avaliar e aplicar informações relacionadas ao autocuidado e aos cuidados do sistema de saúde tendo em vista a tomada de decisões adequadas. Neste sentido, tem se mostrado um dos principais determinantes em saúde. Objetivo: identificar através de uma revisão integrativa, questões teóricas relacionadas ao LS no que diz respeito a prática de AFR, possíveis associações entre o nível de (LS) e essa prática entre idosos, assim como,suas implicações. Metodologia: foram incluídos artigos publicados em português, inglês e espanhol, disponíveis nas bases de dados Bireme e Pubmed, no período de 2004 a 2019. A análise crítica foi fundamentada na adequação metodológica: delineamento, plano amostral,controle de vieses e nível de evidência.Resultados: foram identificadas as seguintes questões relacionadas ao LS no que diz respeito a prática de AFR: a aprendizagem ativa aumenta os níveis de LS; os instrumentos de avaliação do LS devem ser válidos e confiáveis; LS inadequado foi relacionado ao inadequado cumprimento das diretrizes para a realização de AFR. Quanto às possíveis associações constatou-se que a qualidade do LS foi associada à prática da AFR eque pessoas com adequados níveis deLS, obtiveram diferenças significativas para a adesão e participação em programas de AFR. Quanto às implicações observou-se que: baixos níveis de LS podem promover o declínio físico entre idoso sem função de comportamentos deletérios no que diz respeito à saúde. Conclusão: Questões teóricas importantes foram identificadas,o LS baixo ou inadequado foi associado com níveis insuficientes, impróprios ou com nenhum tipo de AFR, o que implica em alterações deletérias no organismo de idosos. Palavras-chaves:Idoso.Exercício físico.Atividade física.Alfabetização em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADAM R.J, PIANTADOSI C, ETTRIDGE K, MILLER C, WILSON C, TUCKER G et al. Functional health literacy mediates the relationship between socio-economic status, perceptions and lifestyle behaviors related to cancer risk in an Australian population. Patient Educ Couns. 2013;91(2):206-12.

ANDRADE F.L.J.P, LIMA J.M.R, FIDELIS K.N.M, LIMA J.J.K.C. Incapacidade cognitiva e fatores associados em idosos institucionalizados em Natal, RN, Brasil. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol, 2017; 20(2): 186-197.

ASSUMPÇÃO L.O.T, GOLIN C.G. Reflexão sociológica sobre o conceito de habitus relacionado à prática de atividade física. R. bras. Ci. e Mov 2016;24(3):158-166.

BERKMAN N.D, SHERIDAN S.L, DONAHUE K.E, HALPERN D.J, CROTTY K. Low health literacy and health outcomes: an updated systematic review. Ann Intern Med. 2011 Jul 19;155(2):97-107.

GUNTZVILLER L.M, KING A.J, JENSEN J.D, DAVIS L.A. Self-Efficacy, Health Literacy, and Nutrition and Exercise Behaviors in a Low-Income, Hispanic Population. J Immigr Minor Health. 2017; 19(2):489-493.

GOBBI S, VILLAR R, ZAGO A. Bases teórico-práticas do condicionamento físico. Guanabara-Koogan; 2005.

KOBAYASHI L.C, WARDLE J, WOLF M.S, VON WAGNER C. Health Literacy and Moderate to Vigorous Physical Activity During Aging, 2004-2013. Am J Prev Med. 2016 Oct;51(4):463-72.

LO BIONDO-WOOD G, HABER J. Pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação crítica e utilização. Guanabara Koogan; 2001.

MARTINS A.M.E.B.L, BAUMAN C.D, ÁVILA W.R.M, FARIAS P.K.S, PEREIRA E.J.P, FERREIRA F.N., et al. Elaboração de um instrumento de alfabetização em saúde quanto à prática de atividade física entre diabéticos. Revista Eletrônica Acervo Saúde 2018; 12:S1202-S1213.

MELNYK B.M, FINEOUT-OVERHOLT E. Making the case for evidence-based practice. In: MELNYK B.M, FINEOUT-OVERHOLT E. Evidence-based practice in nursing & healthcare. A guide to best practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins; 2005. p.3-24.

MUIR K.W, CHRISTENSES L, BOSWORTH H.B. Health literacy and glaucoma. Curr Opin Ophthalmol. 2013; 24 (2): 119-24.

SILVEIRA R.C.C.P. O cuidado de enfermagem e o cateter de Hickman: a busca de evidências . 2005. Dissertação - Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2005.

SOUZA M.T, SILVA M.D, CARVALHO R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein 2010; 8(1): 102-106.

SORENSES K, BROUCKE S.V.D, FULLAM J, DOYLE G, PELIKAN J, SLONSKA Z et al. Health literacy and public health: A systematic review and integration of definitions and models. BMC Public Health 2012; 12(80).

SMITH S.G, O’CONOR R, CURTIS L.M, WAITE K, DEARY I.J, PAASCHE-ORLOW M., et al. Low health literacy predicts decline in physical function among older adults: findings from the LitCog cohort study. J Epidemiol Community Health 2015;69:474-480.

POLIT D.F, BECK C.T, HUNGLER B. P. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação e utilização. Artmed, 2004.

PLUMMER L.C, CHALMERS K.A. Health literacy and physical activity in women diagnosed with breast cancer. Psychooncology 2017; 26(10):1478-1483.

UEMURA K, YAMADA M, OKAMOTO H. Effects of Active Learning on Health Literacy and Behavior in Older Adults: A Randomized Controlled Trial. J Am Geriatr Soc. 2018 ;66(9):1721-1729.

URSI ES, GALVÃO C.M. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Rev Latino-am Enfermagem 2006; 14(1):124-31.

ZAITUNE M.P.A, BARROS M.B.A, CÉSAR C.L.G, CARANDINA L, GOLDBAUM M, ALVES M.C.G.P. Fatores associados à prática de atividade física global e de lazer em idosos: Inquérito de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP), Brasil. Cad. Saúde Pública 2010; 26(8): 1606-1618.

Publicado

2021-06-17

Como Citar

SOUTO MARTINS, E. .; MANSANO BAUMAN, J. . .; LASMAR GOMES PEREIRA, M.; ELEUTÉRIO DE BARROS LIMA MARTINS, A. M.; VALÉRIA DIAS SOUTO SANTOS, S.; DONATO BAUMAN, C. ASSOCIAÇÃO ENTRE LETRAMENTO EM SAÚDE E A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS REGULARES ENTRE IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Revista Eletrônica Nacional de Educação Física, [S. l.], v. 12, n. 17, p. 23–28, 2021. DOI: 10.46551/rn2021121700047. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renef/article/view/1936. Acesso em: 19 out. 2021.