Tiburtina de Andrade Alves: (re)leituras das possibilidades de ser mulher em Montes Claros na primeira metade do século XX por meio da imprensa

Tiburtina de Andrade Alves: (re) readings of the possibilities of being a woman in Montes Claros in the first half of the 20th century through the press

Autores

  • Maria de Fátima Gomes Lima do Nascimento Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
  • Filomena Luciene Cordeiro Reis Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Palavras-chave:

História política, Cultura política, Imprensa, Mulheres, Montes Claros

Resumo

Montes Claros, cidade localizada no norte de Minas Gerais, organizava um Congresso do Algodão e Cereais em 1930, cuja divulgação, em especial nos jornais locais, circulava com informações sobre o evento. No entanto, esse momento foi palco de um acontecimento que mobilizou a cidade e a política nacional. Um tiroteio, revelando hostilidades entre as facções políticas locais, mas de âmbito estadual e nacional, se interpõe no meio do caminho. Ressaltamos que, o vicepresidente da República, Mello Vianna, estava presente e se encontrava inserido no tumulto, agravando, ainda mais, o movimento entre conservadores e liberais. Foi nesse conflito que emergiu a figura de uma mulher, Tiburtina Andrade Alves. Nesse sentido, o objetivo desse artigo é ocasionar (re)leituras das possibilidades de ser mulher em Montes Claros na primeira metade do século XX por meio da imprensa e da atuação de Tiburtina Andrade Alves. Para tanto, as fontes de estudo constituíram, sobretudo de jornais, contando também com entrevistas e livros de memorialista e cronistas, visando entender esse episódio e o papel da mulher
na política e na sociedade. A imprensa constituiu como fonte e metodologia de pesquisa e a história oral, a possibilidade de outras memórias sobre o assunto. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Gomes Lima do Nascimento, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutorado em História na Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Mestre em História pela
Universidade Severino Sombra (2004). Graduada em História pela Universidade Estadual de Montes
Claros - Unimontes (1987). Professora assistente do Departamento de História da Unimontes, pesquisadora dos temas: política, Tiburtina, Montes Claros, representações, sertão e violência.

Filomena Luciene Cordeiro Reis, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutorado em História pela Universidade Federal e Uberlândia (2013) e Mestrado em História pela
Universidade Severino Sombra (2005). Possui graduação em História pela Universidade Estadual de
Montes Claros (1994), pós graduação lato-sensu em Ciências Sociais pela Unimontes e Gestão da
Memória: Arquivo, Patrimônio e Museu pela Universidade do Estado de Minas Gerais. Professora do
Departamento de História da Unimontes. Tem experiência na área de História e Arquivo, atuando
principalmente nos seguintes temas: historiografia, cidade, memória, patrimônio cultural, arquivo.

Referências

BARROS, José D‘Assunção. O Campo Histórico. Rio de Janeiro: Cela, 2002.

BURKE, Peter. Imagens de indivíduos. In: Testemunha ocular: História e imagem. SANTOS, Vera Maria Xavier dos (Trad.). REIS FILHO, Daniel Ararão (Revisão Técnica). Bauru, S.P: EDUSC, 2004.

CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da História: ensaios da teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

FACÓ, Rui. O desperta dos pobres do campo. In.: Cangaceiros e fanáticos: gênese e luta. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965. p. 59-76.

FALCON, Francisco Calazans. História e representação. In: Representações contribuição a um debate transdisciplinar. CARDOSO, Ciro Flamarion. MALERBA, Jurandir (Orgs.) Campinas, S. P.: Papirus, 2000.

LAHUERTA, Milton. Os intelectuais e os anos 20: Moderno, modernista, modernização. In: A década de 1920 e as origens do Brasil moderno. DE LORENZO, Helena Carvalho e COSTA, Wilma Peres da (Org.) São Paulo: UNESP, 1997.

MORAIS, Aurino. Minas na Aliança Liberal e na Revolução de 1930. Belo Horizonte: Pindorama, 1933. p. 197-8. (Edição fac-similar com prefácio do deputado Bonifácio José Tamm de Andrada. Brasília: Câmara dos Deputados, 1990).

NASCIMENTO, Maria de Fátima Gomes Lima do. Tiburtina de Andrade Alves: entre as relações de poder e as representações sociais de uma mulher (Montes Claros na primeira metade do século XX). 2004. 199 f. Dissertação (mestrado em História) – Universidade Severino Sombra, Vassouras, 2004.

ORLANDI, E. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 4 ed. São Paulo: Pontes, 2002.

PANOFSKY, Erwin. Estudos de Iconografia: temas humanísticos na arte do renascimento. 2 ed. Lisboa: Estampa. 1982.

PAULA, Hermes Augusto de. Montes Claros: sua história sua gente e seus costumes. Belo Horizonte: Minas Gráfica Editora Ltda. 1979.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. In.: Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, 16(2) : 5-22, jul/dez 1990.

REMOND, René. Do político. In.: Por uma História Política. Rio de Janeiro: UFRJ/FGV, 1996.

Downloads

Publicado

2013-07-01

Como Citar

Gomes Lima do Nascimento, M. de F., & Luciene Cordeiro Reis, F. (2013). Tiburtina de Andrade Alves: (re)leituras das possibilidades de ser mulher em Montes Claros na primeira metade do século XX por meio da imprensa: Tiburtina de Andrade Alves: (re) readings of the possibilities of being a woman in Montes Claros in the first half of the 20th century through the press. Revista Caminhos Da Historia, 18(2), 81–104. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/3214

Edição

Seção

Artigos Livres