Educação Ambiental e suas práticas como exercício da cidadania na Escola Básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rvg2675239520211106123

Palavras-chave:

Meio ambiente, Ensino, Interdisciplinaridade

Resumo

A Educação Ambiental é de suma importância para a sociedade, sobretudo no que diz respeito à sensibilização dos indivíduos em relação ao Meio no qual estão inseridos, visando sempre uma excelente qualidade de vida sem prejudicar o meio ambiente. Para tanto, essa abordagem no âmbito educacional deve ser implementada por meio da dialética e da interdisciplinaridade, com o intuito de estabelecer relações entre a utilização dos recursos naturais e o equilíbrio entre o homem e o meio ambiente. Sendo assim, este estudo analisou a importância da abordagem da Educação Ambiental na Educação Básica, tais como os desafios enfrentados por parte dos educadores na prática escolar para o efetivo exercício da cidadania. Entre os dificultadores observados a maior ênfase esteve voltada para a limitação dos recursos pedagógicos e financeiros, materiais metodológicos auxiliadores, escassez de capacitação de docentes para abordar as diversas particularidades e especificidades da temática, defasagens de conteúdos para as práticas interdisciplinares, resistência ao trabalho interdisciplinar e insegurança nas abordagens ambientais. Estes motivos reduzem os avanços no contexto escolar, uma vez que possuem grande responsabilidade na formação de cidadãos sensíveis e participativos, capazes de propagar conhecimentos e desenvolver ações positivas para a sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Maria Soares Costa da Silveira, Universidade Estadual de Montes Claros

Doutora em Geografia - UFU. Professora do Departamento de Geociências/CCH - UNIMONTES. 

Túlio de Oliveira Ruas, Universidade Estadual de Montes Claros

Licenciado em Geografia - UNIMONTES. Ex-bolsista do PIBID/CAPES. 

Nayara Ferreira Elias , Universidade Estadual de Montes Claros

Licenciada em Geografia - UNIMONTES. Ex-bolsista PIBID/CAPES.

Referências

ATANASIO, Claudia Mira; GANDOLFI, Sergius; RODRIGUES, Ricardo Ribeiro. Manual de Reflorestamento Ambiental. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 2006.

BRASIL, Código Florestal Brasileiro, Lei Nº 4.771/65. Disponível em https://cetesb.sp.gov.br/licenciamento/documentos/1965_Lei_Fed_4771.pdf. Acesso em 15. dez. 2020.

CASTRO, Dilton. Práticas para restauração da mata ciliar. / Org. Dilton de Castro; Ricardo Silva Pereira Mello e Gabriel CollaresPoester. -- Porto Alegre: Catarse – Coletivo de Comunicação, 2012.

BRASIL, EMATER-RO. Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia. 2002. Disponível em: http://www.emater.ro.gov.br/ematerro/2018/12/20/anater-promove-a-capacitacao-de-extensionistas-da-emater-ro-em-elaboracao-e-execucao-de-projetos-sociais-para-o-terceiro-setor/ Acesso em 20 jan.2021.

FERREIRA, Robson Soares. Et al. Áreas degradadas: Técnicas de Reflorestamento Ambiental. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 06, Vol. 11, p. 71-84, 2019.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila. Disponível em http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/conteudo-2012-1/1SF/Sandra/apostilaMetodologia.pdf. Acesso em: 18dez. 2020.

FUKS, H.; RAPOSO, A.B.; GEROSA, M. A. Engenharia de Groupware: Desenvolvimento de Aplicações Colaborativas. XXI Jornada de Atualização em Informática, Anais do XXII Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, V2, Cap. 3, 2002.

GOMES, Marco Antônio Ferreira.Água: sem ela seremos o planeta Marte de amanhã. Disponível em: http://webmail.cnpma.embrapa.br/down_hp/464.pdf. Acesso em: 15 dez. 2020.

KAGEYAMA, P. Y. et al. Recuperação de Áreas Ciliares. Editora da Universidade de São Paulo. Fapesp. São Paulo. 2000.

KAGEYAMA, P. Y. et al. Restauração da Mata Ciliar – Manual para recuperação de áreas ciliares e microbacias. Projeto PlanáguaSemads/GTZ. São Paulo. 2002.

LORENZI, H. 1949.Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Vol 1. 5. Ed. Nova Odessa-SP: Instituto Plantarum.2008.

NORONHA, Daisy Pires; FERREIRA, Sueli Mara S. P. Revisões de literatura. In: CAMPELLO, Bernadete Santos; CONDÓN, Beatriz Valadares; KREMER, Jeannette Marguerite (orgs.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: UFMG, 2000.

SCHINKE, Gert. Ecologia Política. Santa Maria: Tchê! Editora, 1986.

SMA. Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Cadernos da Mata Ciliar, 2009. São Paulo: SEMA/SP. V.2. p.01-36, 2019. Disponível em: http://arquivos.ambiente.sp.gov.br/municipioverdeazul/2013/05/Cadernos-de-Mata-Ciliar-1_Preserva%C3%A7%C3%A3o-e-recupera%C3%A7%C3%A3o-de-nascentes_2004.pdf

SMA. Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Projeto de Recuperação de Matas Ciliares – Nota Conceitual. São Paulo: SMA, 2004.

Downloads

Publicado

2021-03-26

Como Citar

Silveira, I. M. S. C. da, Ruas, T. de O. ., & Elias , N. F. . (2021). Educação Ambiental e suas práticas como exercício da cidadania na Escola Básica. Revista Verde Grande: Geografia E Interdisciplinaridade, 3(01), 106-123. https://doi.org/10.46551/rvg2675239520211106123